MS diz que número de camisinhas distribuídas é insuficiente

A distribuição tem foco em grupos de risco específicos, mas que a orientação é se previnir

Publicado em 4 de janeiro de 2009 às 13:36

- Atualizado há 9 meses

Apesar do recorde na distribuição de camisinhas em 2008, um total de 406 milhões, o Ministério da Saúde considera que o número de unidades não é capaz de atender toda a população e alerta que o brasileiro ainda precisa criar o hábito de usar o preservativo. O diretor- adjunto do Programa Nacional de DST/Aids, Eduardo Barbosa, explicou que a distribuição tem foco em grupos de risco específicos, mas que a orientação é que todos procurem se prevenir. “Nossa distribuição é bemplanejada, até porque a gente não atende toda a população brasileira. As atividades sexuais da população brasileira são bemmaiores do que a disponibilização do ministério. As pessoas precisam criar o hábito de usar a camisinha e podem adquirir em farmácias populares, a preços mais baratos”, disse.