Sem regalias: procurador pede transferência de prefeita ostentação para Pedrinhas

Lidiane Leite segue detida em um quarto com ar-condicionado, banheiro privativo e duas camas

Publicado em 1 de outubro de 2015 às 17:59

- Atualizado há 10 meses

O Ministério Público Federal pediu à Justiça que a ex-prefeita de Bom Jardim, no Maranhão, Lidiane Leite, ficasse detida no alojamento do Corpo de Bombeiros do estado. O procurador da República Galtiênio da Cruz Paulino, defendeu que Lidiane fosse encaminhada para a ala feminina do presídio de Pedrinhas. No dia 29 de setembro, a Justiça suspendeu a transferência para o presídio.(Foto: Reprodução/Facebook)Conhecida como prefeita ostentação, Lidiane se entregou à Polícia Federal na segunda-feira (28) depois de passar 39 dias foragida. Lidiane ostentava uma vida de luxo nas redes sociais e passou a ser procurada após ter a prisão decretada por suspeita de corrupção.

Apesar de não ter curso superior, a ex-prefeita segue tendo privilégios mesmo estando presa. Ela é apontada como um dos integrantes de um grupo que desviou mais de R$ 15 milhões da Educação municipal. No momento, Lidiane está recolhida em um quarto com ar-condicionado, duas camas e banheiro privativo. No quarto ainda haviam uma televisão e um frigobar.

O promotor de Execuções Penais, Pedro Lino, visitou o local onde Lidiane está detida e concluiu que as instalações não estão de acordo com a Lei de Execuções Penais (LEP). "As condições a que ela está submetida não estão previstas na LEP e tudo o que foge à legislação eu entendo como regalia", destacou.