ECONOMIA

Vendas do varejo caem 5% na Páscoa de 2024 em relação à de 2023, diz ICVA

No setor de Supermercados e Hipermercados, as vendas caíram 3,9% nesse período

  • Foto do(a) author(a) Estadão
  • Estadão

Publicado em 1 de abril de 2024 às 17:33

Nas Lojas Americanas do Salvador Shopping, ovos de Páscoa a partir de R$ 17,99
Nas Lojas Americanas do Salvador Shopping, ovos de Páscoa a partir de R$ 17,99 Crédito: Marina Silva/ CORREIO

As vendas do varejo brasileiro caíram 5% na Páscoa deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com o Índice Cielo de Varejo Ampliado (ICVA). Os números apontam, segundo a companhia, os efeitos do calendário: neste ano, a Páscoa aconteceu no final do mês, período em que os recursos disponíveis para as famílias são mais escassos.

"No ano passado, a Páscoa caiu no início do mês, período em que o comércio está mais aquecido por causa dos depósitos dos salários", afirma o vice-presidente de Tecnologia e Negócios da Cielo, Carlos Alves. 

O ICVA mediu as vendas realizadas pelo varejo entre os dias 25 e 31 de março deste ano, e os comparou com as da semana de Páscoa de 2023, que aconteceu entre 3 e 9 de abril do ano passado.

No setor de Supermercados e Hipermercados, as vendas caíram 3,9% nesse período. As chocolaterias, porém, cresceram 3,8%, com alta de 4% para as localizadas em shoppings, e de 3,7% nas chocolaterias de rua.

Houve queda de vendas em todas as regiões do País, sendo que a mais acentuada foi no Centro-Oeste (-8,5%). No Sudeste, a baixa foi de 5,5%. O Estado em que houve a maior queda de vendas foi o Paraná, com redução de 8,8%, sendo que no comparativo com 2023, nenhum Estado teve vendas mais fortes na Páscoa.

O ICVA é calculado pela Cielo com base nas vendas de 18 setores mapeados pela companhia, com lojistas de todos os portes. Os dados respondem por mais de 870 mil varejistas ligados à companhia, e o peso de cada setor no indicador é dado por seu desempenho no mês.