Satélite: Prefeito descarta agenda no interior durante eleições deste ano

Linha Fina Lorem ipsum dolor sit amet consectetur adipisicing elit. Dolorum ipsa voluptatum enim voluptatem dignissimos.

Publicado em 10 de fevereiro de 2016 às 08:32

- Atualizado há 10 meses

Bloco bem distante do interiorQuem espera contar com o prefeito ACM Neto (DEM) nos palanques eleitorais espalhados pela Bahia, terá que repensar a estratégia. Numa das raras vezes em que deixou o Carnaval de lado para falar sobre política, Neto garantiu à Satélite que a agenda no interior está descartada.

“Essa é uma das poucas decisões tomadas. Salvo casos pontuais, que serão muito poucos, o foco será Salvador. Das conversas e negociações, vou acompanhar e estarei presente, mas não há a menor condição de participar ativamente da sucessão nos demais municípios”, afirmou.

Neto fez segredo sobre as cidades onde dará suporte pessoal à campanha, mas aliados do democrata listam Camaçari, Vitória da Conquista, Itabuna e Feira de Santana como as mais prováveis.ACM Neto abre espaço na agenda do domingo de Carnaval e dá um beijo na caçula Marcela, que, ao lado da irmã Lívia, acompanhou o prefeito durante todo o tempo em que ele permaneceu no Campo Grande cumprindo agenda oficial (Foto: Max Haack/Agecom)Arrastão na CâmaraPresidente da Câmara de Salvador, o vereador Paulo Câmara (PSDB) diz ter número suficiente para votar o PDDU e a Lous ainda no primeiro semestre. Pelas contas do tucano,  36 parlamentares, incluindo parte da bancada de oposição, fecharam apoio às duas propostas, 14 votos a mais do que os 22 necessários para aprová-las.

Baile do retornoCardeais do PT e da base aliada ao governador Rui Costa  dão como certa a escolha do ministro da Cultura, Juca Ferreira, para liderar a chapa do partido na disputa em Salvador.

Recentemente, relataram as fontes, Juca recebeu garantias de que, caso seja derrotado, terá o espaço que quiser no alto escalão de Rui, incluindo a Secretaria de Cultura, comandada por Jorge Portugal. Como nunca teve uma relação amistosa com a presidente Dilma Rousseff - sua nomeação foi pedida pelo ex-presidente Lula -, Juca está a um passo de retornar à Bahia.

Corda esticadaPela temperatura nos blocos do governo e da prefeitura durante a folia, a integração entre o metrô e os ônibus da capital tende a permanecer parada no fim da fila. Reservadamente, representantes das duas alas na negociação admitiram que ainda não há sinais de acerto sobre o maior impasse ao processo: o preço da passagem para os coletivos que vão se interligar ao sistema metroviário.

O Palácio de Ondina quer um valor abaixo do previsto no acordo para cessão do metrô, firmado com o Thomé de Souza em 2013. Por contrato, a tarifa a ser repassada às empresas de ônibus está hoje em cerca de R$ 1,20, mas a prefeitura avisou que não bancará a diferença.

No começo de abril, termina o prazo de 90 dias para que a Comissão de Mobilidade encontre consenso. Algo que parece bem distante do circuito.

Música repetidaEm pleno camarote do governo no Campo Grande, Rui Costa ouviu apelos de empresários e executivos favoráveis à volta do horário de Verão na Bahia. O argumento da iniciativa privada é antigo: a diferença em relação ao Sul e Sudeste prejudica operações financeiras e negócios com o eixo Rio-São Paulo.

Sem promessas, o petista disse que estudaria o pedido com calma após a folia.  Pareceu até seu antecessor, o ministro Jaques Wagner (Casa Civil), que sempre escutou as mesmas queixas com atenção, mas nunca as atendeu.

Destaques no cortejoOs pré-candidatos do PT na Bahia devem ser definidos antes do fim de março, prazo previsto por Rui Costa. Segundo o presidente estadual do partido, Everaldo Anunciação, sábado e domingo que vem haverá um encontro do diretório ampliado da legenda para tratar, exclusivamente, das eleições nos 35 maiores colégios eleitorais do interior e nas 80 cidades governadas pelo PT.  

“Essas cidades serão nossas prioridades e é possível que comecemos as definições em relação a eles já neste fim de semana”, afirma Anunciação.''Folia extraA prefeitura quer lançar até meados de abril o Viva Cultura, mecanismo de incentivo ao setor por meio de isenção de tributos municipais, em especial Imposto Sobre Serviços (ISS). De passagem pelo circuito Osmar no domingo, o presidente da Fundação Gregório de Mattos, Fernando Guerreiro, disse que o programa ainda está em fase de ajustes, embora tenha como eixo a redução de ISS para empresas que investirem em projetos culturais na cidade.

No lançamento, antecipou Guerreiro, será feita uma homenagem ao ex-governador Paulo Souto (DEM), atual secretário da Fazenda de Salvador. “Muita gente não lembra ou atribui a ideia ao PT, mas foi Paulo Souto quem idealizou o Fazcultura, pioneiro no estado”, justificou Guerreiro.

PÍLULAS

* Duplo abadá: Ex-secretário da Indústria, Comércio e Mineração no governo Jaques Wagner, James Correia fez uma visita de cortesia ao prefeito ACM Neto (DEM) no domingo. Indagado se adotou o ecumenismo político, fez graça: “A gente briga, mas se ama. Somos até vizinhos”.  

* Troca de cores: Recém-filiado ao PV, o vereador Paulo Magalhães Júnior arrancou risadas ao circular de camisa amarela  no Campo Grande. “Estamos amadurecendo, como acontece com todo bom político”, disparou, ao ser questionado se o figurino certo não deveria ser baseado no verde. 

* Confete de milhões: O secretário de Educação de Salvador, Guilherme Bellintani,  transitou com sorriso de orelha a orelha nos circuitos carnavalescos. Motivo: “Nós conseguimos economizar cerca de R$ 40 milhões ao sair do esquema das livrarias e editoras e produzirmos nosso próprio material pedagógico. Na quinta (amanhã), começamos a distribui-lo”.