Paulinho Dias diz que tricolores estão comprometidos e nega medo de não subir

Paulinho destaca comprometimento dos atletas e refuta medo de não subir

Publicado em 12 de outubro de 2015 às 20:21

- Atualizado há 10 meses

Paulinho Dias(Foto: Divulgação/EC Bahia/Arquivo)O Bahia não vence há cinco rodadas e passa por um momento de tensão, depois de sair do G4 da Série B e ver o acesso à Primeira Divisão ficar mais complicado. Precisando reagir, o tricolor viu o treinador Sérgio Soares ser demitido e Charles assumir o comando do time. 

O volante Paulinho Dias, que foi titular nos últimos jogos sob comando de Soares, afirma que não existe medo de que o Bahia não consiga subir para a Série A. "Medo? De coração, a gente não tem que ter medo nunca. Aprendi com muitas coisas que se passa na vida. Perdas familiares, medo da vida normal. Todo mundo tem medos, mas se ficar olhando para o medo, você não sai de casa, não tem filho, não se casa, não trabalha. Carrego minha vida com o copo sempre meio cheio, nunca meio vazio. Temos que entregar todas nossas preocupações a Deus e trabalhar sem medo. Se a gente trabalhar forte, vai ser consequência do que a gente vai fazer no fim do ano. O medo só vai atrapalhar. O medo pode trazer mais vontade de se preparar. Quero ter mais vontade de me preparar. O que acontecer será sequência. O medo é combustível para se preparar mais", garante.

Segundo Paulinho, atletas, comissão técnica e todos do Bahia estão comprometidos com o acesso. O time enfrenta o Oeste no sábado. "Aqui no Bahia, particularmente, e eu já disse isso, estou muito adaptado e me impressionou o envolvimento da diretoria, da comissão, dos jogadores com a competição. Qualquer jogador sabe dos jogadores suspensos do adversário, de quem vai jogar no outro time. Vive-se muito a competição e isso é muito legal. Lógico que se analisa a tabela. Mas aprendi e tenho aprendido que futebol é sempre o próximo jogo. É frase repetida, mas é verdade. Só temos condições de pensar no Oeste. Só podemos somar os três pontos contra o Oeste. Só temos os jogadores à disposição jogadores para a partida contra o Oeste. Não sabemos o que vai acontecer. Tem que pensar jogo a jogo. Futebol é muito rápido, dinâmico. Tem que se entregar no jogo a jogo", afirma.

Oeste e Bahia se enfrentam a partir das 16h30 de sábado.