Titular contra o Santa Cruz, Feijão mostra que ainda pode dar caldo e mira clássico com o Leão

Cria das divisões de base, volante será mantido no time titular para a partida contra a Juazeirense, na Fonte Nova

Publicado em 16 de fevereiro de 2016 às 09:05

- Atualizado há 10 meses

Do mesmo jeito que ainda é cedo para tirar conclusões ou avaliar qualquer jogador neste início de temporada, Feijão provou domingo, contra o Santa Cruz, o quão cedo ele passou de grande promessa a jogador fora dos planos.Na ausência de Paulo Roberto, vetado com um estiramento na virilha, o volante foi escolhido por Doriva para voltar a ser titular do Bahia, o que não acontecia desde o dia 13 de maio de 2015, no empate do tricolor por 0x0 com o Luverdense, pela Copa do Brasil.A boa atuação foi, para muitos, uma grata surpresa, mas não para o treinador. “Não me interessa o passado do Feijão. Me interessa o que apresenta no dia a dia. Quando cheguei, ele estava mal, gordo. Mas vem se superando. Optei por ele porque vem treinando, foi para o banco, fez um grande jogo hoje (domingo). Ganhamos um grande atleta. Tem potencial. É atleta do clube. Não foi para o Flamengo à toa”, elogiou Doriva."Estou com muita saudade de enfrentar o maior rival, mas vamos encontrar a Juazeirense, que é muito importante para nosso grupo e campeonato" (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)  Voltar a ser titular representa um recomeço para Feijão. Em 2013, quando teve regularidade sob o comando de Cristóvão Borges, em um esquema tático semelhante ao que usa Doriva, ele atuou em 26 jogos no ano, sendo 20 como titular.Emprestado ao Flamengo no início de 2014 numa troca com Rafinha, o volante retornou ao Fazendão no segundo semestre e, dali em diante, nunca mais foi o mesmo. Ano passado, em novo empréstimo, desta vez para o Atlético Goianiense, voltou a atuar com regularidade e foi titular em 18 partidas na Série B.A expectativa para quinta-feira é reencontrar o torcedor tricolor na Fonte Nova. Se vai ser mantido como titular contra a Juazeirense, na segunda rodada da Copa do Nordeste, ele ainda não sabe. “Isso tem que perguntar ao Doriva, ele que resolve o problema”, disse Feijão ao Programa do Esquadrão, aos risos. SaudadeSe jogar novamente na quinta já será especial, há um outro jogo que Feijão não abre mão de participar. “Estou com muita saudade de enfrentar o maior rival, mas vamos focar na Juazeirense, que é muito importante para o nosso grupo”. O Ba-Vi é dia 13 de março.