Mesmas cores, novo manto: Tréllez tem outra chance no Brasil

Centroavante do Leão esteve no Flamengo em 2007, mas não jogou pelo time principal

Publicado em 2 de setembro de 2017 às 17:00

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Foto: Betto Jr/CORREIO

Não é a primeira vez que Santiago Tréllez veste vermelho e preto no Brasil. Vice-artilheiro do Vitória no Brasileirão, com três gols, o colombiano esteve no Flamengo em 2007, aos 17 anos, quando ainda estava começando a carreira. Apontado como promessa das categorias de base da Colômbia, Tréllez despertou o interesse da equipe carioca.

“O Flamengo me comprou depois do Sul-Americano sub-17. Vim para cá, mas, nos primeiros seis meses, não fiquei muito no Flamengo, porque ainda faltava o Mundial sub-17, então eu vinha treinar 15 a 20 dias no Flamengo e depois viajava para a Colômbia por 20 dias ou um mês para jogar na seleção”, relembra.

Apesar da pouca idade, Tréllez já tinha debutado como profissional pelo Independiente Medellín antes de chegar ao Rio de Janeiro e o objetivo do Flamengo era utilizá-lo também no time principal, algo que nunca ocorreu.

“Eu tinha contrato profissional com o Flamengo. Treinava com o profissional e jogava com o juniores. Depois que voltei do Mundial sub-17, demorou muito pra me regularizar. Eu ia à Polícia Federal e não ficava pronto. Não sei se as pessoas que faziam os papéis no Flamengo demoraram. Comecei a ficar aborrecido. Sempre enrolavam. Aí chegou um dia que eu falei para o presidente ‘vou embora, se não regularizar, eu vou embora’. Falei com meu representante ‘não aguento essa situação de ficar todo dia treinando e sem jogar’. Eu estava pronto fisicamente, mas não tinha a regularização”, conta o atacante.

Depois de um ano e meio no centro de treinamento rubro-negro, Tréllez fez as malas. O fato de ficar fora das quatro linhas o incomodava, mas não foi o principal motivador para a tomada de decisão. “O Flamengo financeiramente não estava bem. Eles deviam pra gente quatro a cinco meses. Quando eu tomei a decisão de ir embora, foi mais por isso”, admite.

Aos 27 anos, ele acredita que fez a escolha errada. “Agora que eu já amadureci muito, acho que foi uma decisão errada. Poderia ter aguentado um ano mais, a história poderia ter sido outra. Acho que se eu tivesse ficado no Flamengo, minha carreira poderia ter tomado outro rumo. Não é o mesmo você começar a jogar na Colômbia e jogar no Brasil, no Flamengo, que é um time grande e conhecido em todo o mundo”, pondera o atleta, que não chegou a defender a seleção principal de seu país e tem no currículo passagem por clubes como Vélez Sarsfield, da Argentina, Libertad, do Paraguai, Deportivo Pasto e Atlético Nacional, ambos da Colômbia.

Dez anos depois, Santiago Tréllez tem nova chance em um clube rubro-negro brasileiro. No Vitória, ganhou a confiança do técnico Vagner Mancini e a camisa de titular, mas quer conquistar seu espaço não apenas na Toca do Leão. “É uma oportunidade pra mim de vir novamente ao Brasil, um país que respira futebol. É uma oportunidade para cumpri minhas metas. Quero ir pra seleção e sei que depende de mim, tenho que fazer bem as coisas”, planeja.

FOLGA

Por conta da pausa no Brasileirão em função das eliminatórias da Copa do Mundo 2018, os jogadores do Vitória ganharam folga neste sábado (2) e domingo (3). A reapresentação é na segunda-feira (4).