'Bons velhinhos' escapam da crise e recebem até R$ 12 mil no Natal

Só em Salvador serão 16 papais noéis e mais de 129 funcionários entre ajudantes e jovens responsáveis por orientar os consumidores

Publicado em 25 de outubro de 2015 às 15:05

- Atualizado há 10 meses

Os empregos temporários de Natal cairão 60% neste final de ano. Apesar do cenário difícil, o Papai Noel já confirmou presença na capital baiana. A maioria dos ajudantes oficiais do bom velhinho trabalha em grandes shoppings da cidade e teve seu emprego garantido. Só em Salvador serão 16 papais noéis e mais de 129 funcionários entre ajudantes e jovens responsáveis por orientar os consumidores. Os ‘covers’ mais caprichados devem faturar até R$ 12 mil nos 40 dias que antecedem o Natal. O servidor público federal Diomar Tolentino, 61 anos, trabalha desde 2009 como Papai Noel em shoppings(Foto: Marina Silva/CORREIO)Apesar de menos frequente nas lojas de rua, a aparição da figura do Papai Noel é considerada essencial para a criação de uma atmosfera natalina e, consequentemente, atrair consumidores para lojas de varejo. “Principalmente nos shoppings, ele já se tornou fundamental na decoração. É difícil os shoppings se desvincularem da figura do Papai Noel”, afirma o diretor da Câmara de Dirigentes Lojistas de Salvador (CDL Salvador) Felipe Sica, acrescentando que os estabelecimentos estão planejando manter os mesmos investimentos do Natal de 2014 para atrair pessoas no final do ano e tentar superar o cenário difícil de vendas. INTERAÇÃOMuito mais do que uma estratégia de vendas, esses profissionais são responsáveis por estabelecer uma interação com o público e trazer a ‘magia do Natal’ para milhares de crianças. “Amo o que faço e estudei muito pra isso. Interpreto o personagem. Sempre pergunto de onde as pessoas são e várias vêm do interior”, conta o servidor público federal Diomar Tolentino, de 61 anos, que trabalha desde 2009 como Papai Noel em shoppings e este ano estará no Barra. “Pergunto para as crianças o que elas gostariam de ganhar como presente e digo: ‘Presente é um reconhecimento. Você se comportou direitinho? Está indo bem na escola?’”. Apaixonado pelo que faz, ele usa o dinheiro do trabalho extra para completar a renda no final do ano. “Papai Noel também tem esposa, filho e neto e precisa honrar com seus compromissos”.  Oscar Daltro destina boa parte do que ganha no Natal para doação(Foto: Divulgação)Apesar de não revelar o seu cachê como Papai Noel no Shopping Lapa, o taxista Wilson Menezes, 59, conta que não deixa o ofício. “Como taxista, tenho uma renda média de R$ 4 mil durante o ano. Em dezembro, com a Bandeira 2, não deixo meu trenózinho da vida real. Trabalho de manhã, porque a renda aumenta 30%, e de tarde vou para o shopping”, fala. O que ele mais gosta é o contato com as crianças. “Faço isso pela gratificação pessoal. Não tem preço”. Também taxista, Oscar Oliveira Daltro, 62, se divide entre o ofício e o trabalho como Papai Noel. Ele trabalha há quatro anos no ramo e em 2015  estará ‘disfarçado’ no Shopping Salvador. “Não existe crise para o bom velhinho”, opina. “A melhor parte é a satisfação e os sorrisos nos rostos”, afirma. A maior parte da renda que ganha no final do ano é destinada para ação social. “Utilizo meu personagem para oferecer alegria a quem precisa”. ESTRATÉGIAO Salvador Shopping, por exemplo, terá o mesmo número de contratados que em 2014 - três noéis e 21 monitores. Também terão 48 auxiliares. “Considerada a principal data do varejo, o Natal representa uma oportunidade de incremento das vendas”, diz a gerente de marketing do shopping, Karina Dourado. Seguindo a expectativa da direção do centro comercial, as  vendas por lá devem aumentar 6%,  comparado com o Natal de 2014.  Com três noéis e 25 ‘noeletes’, o Shopping da Bahia (antigo Iguatemi) também espera aumentar as vendas. “As pessoas já esperam, não podemos deixar de fazer as ações”, afirma a gerente de marketing do empreendimento, Izabel Ciacci. O fluxo de pessoas deve crescer 20% no período. O Barra, por sua vez, terá três papais noéis e 16 noeletes. “O investimento em decoração é de R$ 1,1 milhão. As vendas devem aumentar entre 7% e 8%”, revela a gerente de marketing, Karina Brito. O que o Papai Noel Wilson Menezes mais gosta é de lidar com as crianças(Foto: Divulgação)De acordo com  a gerente de marketing do Salvador Norte, Karen Silva, o local terá dois Noéis e quatro promotores. O estabelecimento espera um  fluxo de pessoas e de vendas na casa dos 10% frente 2014. Segundo a gerente de marketing do Piedade, Maria Baleeiro, o local terá dois ‘bons velhinhos’ e dez auxiliares.  

O Paralela e o Lapa trabalharão com um Papai Noel. “Muitos clientes vêm ao shopping para vê-lo”, garante a gerente Adriana Vianna. “Pretendemos alcançar um crescimento de cerca de 10% em relação ao mesmo período do ano passado”, revela o gerente do Lapa, Ivanir Mattos.  O Itaigara terá um Papai Noel e cinco noeletes. Segundo o superintendente André Podhorodeski, o investimento do Natal aumentou em 10% em comparação a 2014. O shopping vai sortear um Jeep Renegade. A partir do próximo dia 7, cada R$ 250 em compras vale um cupom para concorrer ao prêmio.O Paseo e Outlet Premium informaram que não vão fazer investimentos específicos para o Natal. O Bela Vista foi procurado pela reportagem desde o dia 19 e não respondeu até o fechamento desta edição. Cachê dos noéis varia de acordo com as características físicasNem mesmo o calor da roupa vermelha e da barba branca natural interfere no desejo  de baianos  se tornarem ajudantes oficiais do Papai Noel.

Para a sócia da empresa Célere Soluções em Comunicação, que capta papais noéis para shoppings da capital baiana, Fabiana Viegas, esse mercado específico permanece forte. Segundo ela, o cachê dos ‘bons velhinhos’ baianos varia de R$ 5 mil a 

R$ 12 mil nos 40 dias do final do ano. “Varia de acordo com as características físicas. Se tem olho claro, barba natural, etc. Os do Shopping da Bahia, por exemplo, são da Alemanha”, diz. “Os estabelecimentos não querem perder clientes. Independentemente da crise, as lojas vão vender”, complementa ela, que é responsável pela captação desses profissionais para o antigo Iguatemi.  Em outros eventos, os noéis agenciados ganham de R$ 100 a R$ 300 em 4 horas.

Beleza   é estratégia do varejo para aumentar vendas no NatalChamar atenção pela estética e pela decoração é uma boa estratégia para as lojas conseguirem clientes e vender no final do ano. Pelo menos é o que acredita o economista e publicitário Fred Rocha. 

“Quando você tira o aspecto promocional e comercial das lojas e caracteriza o ambiente, para que ele fique bonito, acaba chamando mais a atenção das pessoas”, afirma ele, que também é especialista em varejo. “É importante não enfeitar só por enfeitar e fazer aquilo pela magia do Natal. A venda aumenta pela sequência de ‘uaus’ das pessoas impressionadas”, defende.

O final do ano é uma boa época para os lojistas fazerem promoções, sem transformar a data em algo estritamente comercial. “Ninguém vai deixar de dar presente por causa de crise. Vende quem atende melhor e tem um ambiente mais confortável”, garante.