Adolescentes matam servidor em Minas e fogem para curtir Carnaval com dinheiro da vítima na BA

Suspeitos, com idade entres 15 e 17 anos, viajaram no carro da vítima, que teve os pulsos cortados

Publicado em 10 de fevereiro de 2016 às 13:35

- Atualizado há 10 meses

Corpo de Terence foi encontrado na manhã de ontem,depois que os jovens confessaram o crime(Foto: Reprodução/Facebook)Quatro adolescentes foram apreendidos durante o Carnaval de Mucuri, no Extremo-Sul baiano, depois de sequestrar, torturar e matar o servidor público de Minas Gerais Terence Henrique Silva, 45 anos.

Ele teve a casa, em Governador Valadares invadida pelos menores no último sábado (6) quando se preparava para passar o Carnaval na cidade do Prado, na Bahia, com os filhos.

O corpo de Terence foi localizado na madrugada desta terça-feira (9), depois que os adolescentes indicaram o local do crime.

Segundo a polícia, os adolescentes já possuíam registros por atos infracionais em Mucuri. Os suspeitos, com idades entre 15 e 17 anos, foram detidos no calçadão da orla, principal circuito da folia em Mucuri, durante a passagem do bloco Pirão Mania, com a cantora Carla Cristina.

Depois de passar um mês observando os hábitos do servidor, dois adolescentes, que são primos, convidaram outros dois para praticar o assalto. Segundo a polícia, o que chamou a atenção dos assaltantes foram os carros na garagem da vítima. "Eles queriam roubar uma Mitsubishi para vir passar o Carnaval aqui, onde têm parentes. Mas quando a vítima estava saindo de casa em um Ford Fusion, resolveram pegar aquele carro", conta o delegado Samuel Martins Neto, titular de Mucuri.

O objetivo dos adolescentes era sequestrar Terence e levá-lo para agências bancárias para fazer saques. Porém, o grupo mudou de ideia depois de encontrar a vítima apenas com um cartão de crédito. Eles então levaram Terence para a BR-116, em Frei Inocêncio (MG), onde o torturaram. O servidor teve os pulsos cortados, foi agredido com um triângulo de sinalização e esganado com uma corda e uma correia dentada. Os quatro adolescente participaram do crime.

"Terence morava sozinho e era separado. Ele deveria passar na casa da ex-mulher para pegar os dois filhos e viajar para Prado. Como ele não apareceu, a família alertou a polícia", explica o delegado.

Logo depois do crime, os adolescentes fugiram no carro da vítima para a Bahia. Ainda de acordo com a Polícia Civil, eles foram abordados pela PM na BA-698, mas houve perseguição e os adolescentes fugiram por um matagal, abandonando o veículo na rodovia. O carro foi apreendido e entregue à Polícia Civil. Um familiar de Terence, que já estava em Mucuri por conta do Carnaval, foi até a delegacia para alertar a polícia sobre a possibilidade dos sequestradores estarem na região.

As primeiras pistas dos adolescentes começaram a aparecer quando um deles fez uma compra em uma farmácia da cidade com o cartão de crédito da vítima. "Eles compraram roupas, celulares e outras coisas no cartão. A polícia de Minas Gerais estava monitorando todos os gastos que eles faziam. O GPS do carro dele também tinha acusado presença aqui em Mucuri", conta o delegado.

Imagens das câmeras da farmácia foram capturadas e comparadas com as fotos enviadas pela Polícia Civil de Minas Gerais - onde eles também já possuíam registros por atos infracionais.

ApreensãoTrês deles foram flagrados, por volta das 22h, em um cerco montado por 30 policiais da Companhia Independente de Policiamento Especializado - Mata Atlântica (Caema) da Polícia Militar após denúncias de moradores que viram o grupo andando em direção à orla. 

Um dos garotos foi flagrado no circuito pela PM, mas conseguiu fugir. Ele foi seguido e abordado no calçadão da orla com outros dois comparsas. O quarto garoto foi apreendido na casa da avó, que mora em Mucuri.

Na delegacia, os garotos confessaram os crimes e contaram detalhes da execução. "Um deles contou que queria ver sangue e que o objetivo era matar. Disse que bateu com o cone, mas só saia sangue do nariz. Cortaram os pulsos dele ainda vivo. Dois seguraram uma corda de um lado e os outros dois puxaram a correia do outro. Só pararam quando ouviram o pescoço estalar", conta um policial, que não quis se identificar.

Toda a investigação foi liderada pelos delegados Jorge Silva Nascimento e Samuel Martins Neto, titular de Mucuri. O delegado regional de Governador Valadares, Bernardo Pena Sales, esteve na cidade, onde cumpriu os mandados de busca e apreensão dos quatro adolescentes. Eles foram levados para Minas Gerais e encaminhados para um centro de internação.