Brasil fica perto do pódio no Mundial com Mafê Costa, Gabi Roncatto e Cachorrão

Nadadoras ficam em quarto e quinto na final dos 400m livre feminino; Guilherme Costa termina em 4º no masculino

Publicado em 11 de fevereiro de 2024 às 18:37

Mafê Costa e Gabi Roncatto disputaram final dos 400m livre em Doha
Mafê Costa e Gabi Roncatto disputaram final dos 400m livre em Doha Crédito: Satiro Sodré/CBDA

Em uma final inédita para o Brasil, as nadadoras Maria Fernanda Costa, a Mafê, e Gabrielle Roncatto, melhoraram o recorde sul-americano dos 400m livre e ficaram próximas do pódio no primeiro dia de natação no Mundial de Esportes Aquáticos de Doha. Mafê foi a quarta colocada com 4min02s86, e Roncatto terminou uma posição atrás, com 4min04s18.

O pódio foi formado pela neozelandesa Erika Fairweather, com 3min59s44, a chinesa Bingjie Li, com 4min01s62, e a alemã Isabel Gose, apenas 47 centésimos mais rápida do que a brasileira, com 4min02s39. O recorde sul-americano havia sido estabelecido por Mafê nas eliminatórias da prova: 4min05s52.

"Estou bem feliz com o resultado. Fico bastante feliz pelo que venho fazendo aqui. É um processo difícil. Estou muito feliz pelo meu desempenho e pelo desempenho da Gabrielle também", afirmou a recordista sul-americana.

Por causa da proximidade com a Olimpíada de Paris-2024, o Mundial de Doha contou com desfalques importantes como a australiana Ariarne Titmus, campeã olímpica, a americana Katie Ledecky, vice, e a canadense Summer Mcintosh. Com os tempos de Doha, as brasileiras têm boas chances de entrar na final olímpica na França.

Na final masculina dos 400m livre, Guilherme Costa, o Cachorrão, terminou em quatro lugar com 3min44s22. "Não fiquei muito satisfeito com o meu resultado. Gostaria de sair daqui campeão mundial, mas sei que dei o meu melhor. É uma prova que vem evoluindo e quero estar melhor ainda em Paris", afirmou o brasileiro, que foi o 11º nos Jogos de Tóquio.

O Brasil ainda conquistou vaga olímpica nos revezamentos 4x100m livre feminino e masculino. As vagas vieram após as disputas das eliminatórias. As equipes medalhistas do Mundial de Fukuoka de 2023 e os 13 melhores tempos dos Mundiais de Fukuoka e Doha se classificaram para os Jogos.

O quarteto feminino, liderado por Ana Vieira, Maria Fernanda Costa, Stephanie Balduccini e Aline Rodrigues, terminou a disputa em Doha em sexto, com 3min40s56. Já o time masculino não nadou em Doha e obteve a vaga pelo desempenho de Fukuoka. A equipe, formada pelo baiano Guilherme Caribé, Marcelo Chierighini, Felipe Souza e Victor Alcará, fez o tempo de 3min13s82. Com isso, o tempo também se manteve no top-13 e garantiu a classificação.

Nesta segunda, o Brasil será representado no Mundial por Ana Carolina Vieira (100m peito), Guilherme Costa e Fernando Scheffer (200m livre) e Beatriz Dizotti (1.500m livre).

RECORDE MUNDIAL

A competição em Doha registrou seu primeiro recorde mundial na abertura do revezamento 4x100m livre. O chinês Pan Zhanle abriu a prova com 46s80, seis centésimos mais rápido do que o romeno David Popovic nadou em 2022.

Tempo individual no revezamento só vale como recorde se for estabelecido pelo primeiro competidor, que sai após o comando do árbitro. Os demais nadadores podem se mexer no bloco antes da chegada dos colegas e, por isso, levam vantagem.

Aos 19 anos, o novo recordista mundial tinha como melhor tempo 46s97. Antes de ser quebrado por David Popovic, o recorde dos 100m livre pertenceu por muito tempo ao brasileiro Cesar Cielo.