De Cittadini a Juba: veja as opções que o Bahia tem para substituir Cauly

Meia machucou o ligamento do joelho e desfalcará o tricolor

  • Foto do(a) author(a) Gabriel Rodrigues
  • Gabriel Rodrigues

Publicado em 30 de agosto de 2023 às 05:00

Léo Cittadini é o mais cotado para substituir Cauly contra o Vasco
Léo Cittadini é o mais cotado para substituir Cauly contra o Vasco Crédito: Felipe Oliveira/EC Bahia

O Bahia perdeu uma das suas principais peças no Brasileirão. Ontem, o tricolor confirmou que o meia Cauly sofreu uma lesão no ligamento colateral medial do joelho direito e desfalcará o time nos próximos jogos.

O Esquadrão não confirmou o prazo de recuperação, mas para esse tipo de lesão - que não precisa de intervenção cirúrgica -, o tempo estimado pelos médicos para o retorno aos gramados é de até cinco semanas.

Nas redes sociais, o jogador, que se machucou na derrota para o Botafogo, lamentou o período que ficará fora do time. “Infelizmente, em um momento tão importante da temporada, precisarei ficar de fora alguns dias. Mas faz parte do futebol. Agora, é focar na recuperação pra voltar ainda mais forte. E o quanto antes. Logo, logo estaremos juntos outra vez”, escreveu.

Com a baixa, o meia estará fora de uma das principais sequências da equipe na Série A. Nas próximas rodadas, o Esquadrão enfrentará Vasco, Coritiba e Santos, respectivamente, adversários diretos na luta contra o rebaixamento.

Sem o camisa 8, o técnico Renato Paiva terá um grande problema para ajustar o time. Entre as opções que tem no elenco, a decisão natural de Paiva será a de escalar o meia Léo Cittadini na vaga de Cauly. Foi essa substituição que o treinador fez na derrota para o Botafogo, no Rio de Janeiro.

Cittadini, no entanto, tem características completamente diferentes. No Athletico-PR ele se acostumou a jogar como um segundo volante, mas também pode fazer o papel de meia central. Enquanto Cauly é um meia-atacante que encosta nos jogadores de frente e finaliza dentro da área.

Por sinal, o Bahia não tem no elenco outro jogador com estilo semelhante ao de Cauly. Meias de origem, Patrick Verhon recebeu poucas chances de Paiva ao longo da temporada, e Lucas Mugni, que era um 10 no início da carreira, destacou-se nos últimos anos jogando mais recuado. Ele também perdeu prestígio com o treinador.

Em um outro cenário, Paiva pode escalar um volante no time e avançar Thaciano. Acevedo é a principal opção, já que Yago Felipe, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, cumprirá suspensão diante do Vasco, domingo, às 18h30, na Fonte Nova. Diego Rosa corre por fora.

Em uma ideia mais remota, o Bahia pode pensar em Luciano Juba atuando por dentro, e não como ponta, como costuma jogar. O meia-atacante se juntará ao grupo na sexta-feira (1º), um dia após o fim do contrato com o Sport.

Luciano Juba chega ao Bahia nesta sexta-feira e precisa ser regularizado para estrear contra o Vasco
Juba chega ao Bahia sexta-feira e precisa ser regularizado para estrear contra o Vasco Crédito: Anderson Stevens/Sport

Juba precisaria ser regularizado na mesma sexta-feira para ter condição de estrear contra o Vasco. Além disso, teria apenas dois dias de treinos com os novos companheiros e o técnico Renato Paiva. A função, no entanto, ele já exerceu no Sport.

A IMPORTÂNCIA DE CAULY

Desde que chegou ao Bahia, em fevereiro, Cauly se firmou na equipe titular e assumiu o protagonismo. Este ano ele marcou oito gols e deu cinco assistências em 35 jogos. Pelo Brasileirão, foram dois gols e quatro passes.

Ele é o terceiro jogador com mais participações em gols no elenco, com 13. Fica atrás somente de Everaldo, que tem 18, e Biel, com 14.

“De fato, é verdade que o Cauly tem sido muito importante para a nossa manobra ofensiva; criador, finalizador. Foi pena o que aconteceu. No sintético, contra o Athletico-PR, lesão do Kayky. Agora, em outro campo sintético, lesão de joelho de Cauly. Uma pena, mas é o que é. Vamos nos reerguer e contamos com o apoio dos nossos torcedores”, disse Paiva.