VIOLÊNCIA

Di María muda os planos e desiste de voltar ao Rosário Central após sofrer ameaças

Segundo jornal, o jogador está inclinado a renovar o contrato com o Benfica

  • Foto do(a) author(a) Estadão
  • Estadão

Publicado em 1 de abril de 2024 às 12:57

Di Maria, jogador do Benfica
Di Maria, jogador do Benfica Crédito: Reprodução

As ameaças sofridas pela família de Di María após o jogador manifestar o desejo de encerrar a carreira no Rosário Central devem manter o atacante longe da Argentina por um bom tempo. Segundo o jornal A Bola, de Portugal, o jogador está inclinado a renovar o contrato com o clube português Benfica.

Impressionado com as mensagens em tom de intimidação feitas por "narcoterroristas" que moram na cidade, o atacante pode permanecer na Europa ou ainda estudar outras ofertas para o futuro.

Natural de Rosário, o jogador de 36 anos disse ter o interesse de encerrar a trajetória no clube que o revelou. O índice de violência que vem tornando a cidade de Rosário como uma das mais perigosas da Argentina, no entanto, fez o atleta mudar de ideia.

De acordo com a mídia local, logo após Di María anunciar a possibilidade de retorno, uma placa foi deixada em um carro estacionado em frente a um empreendimento privado onde o atleta costuma se hospedar com uma mensagem.

"Diga ao seu filho Angel para não voltar para Rosário porque mataremos um membro da família". A ameaça chegou a citar o governador da província, Maximiliano Pularo. "Nem mesmo Pullaro vai salvá-los. Não deixamos notas de papel. Deixamos balas e pessoas mortas para trás".

A polícia ainda não descobriu o que motivou a ameaça ao jogador e sua família, mas vem trabalhando com diversas linhas de investigação para conseguir chegar aos autores da intimidação.

Caso não entre em acordo com o Benfica, Di María tem ainda ofertas para jogar na Arábia Saudita e também nos Estados Unidos Em alta, ele foi convocado para os dois amistosos da seleção argentina no período da Data Fifa.

Ainda de acordo com o jornal A Bola, o Rosário Central entrou em contato com o jogador no sentido de convencer o atleta a encerrar a carreira no clube onde deu os primeiros chutes. Di María, no entanto, está propenso a seguir sua vida longe da Argentina.