AGORA É O BRASILEIRÃO

Em novo Ba-Vi no Barradão, Bahia tenta equilibrar retrospecto de duelos na temporada

Tricolor está em desvantagem no confronto com o Vitória em 2024

  • Foto do(a) author(a) Gabriel Rodrigues
  • Gabriel Rodrigues

Publicado em 19 de abril de 2024 às 05:00

Rogério Ceni em treino
Rogério Ceni projeta grande jogo do tricolor no clássico contra o Vitória Crédito: Letícia Martins/EC Bahia

Adversários históricos, Bahia e Vitória estão cada vez mais íntimos em 2024. Neste domingo, os dois principais clubes do estado se enfrentarão pela quinta vez na temporada. No Barradão, o tricolor tentará equilibrar a disputa, que até aqui, tem vantagem do rubro-negro.

Nos quatro Ba-Vis disputados este ano, o Esquadrão venceu apenas um, na Fonte Nova, por 2x1, pela Copa do Nordeste. O time perdeu duas vezes, ambas por 3x2, e um outro duelo terminou empatado em 1x1.

O Bahia ainda está mordido pela perda do título do Campeonato Baiano para o principal rival e sabe que precisa de uma resposta no clássico.

O desafio deste domingo fica ainda maior por conta do palco do confronto. As duas derrotas que o clube sofreu para o Leão foram jogando como visitante no Barradão. Por outro lado, nas duas partidas, a equipe de Rogério Ceni esteve à frente do adversário, o que mostra que tem condição de vencer o embate, mas precisa de atenção.

“É trabalhar forte, temos um clássico muito difícil e vamos nos entregar muito para conseguir o triunfo. Temos que estar muito concentrados, jogamos lá duas vezes, viramos o jogo, tivemos o resultado na mão, mas perdemos no final. Que esses erros não se repitam para que a gente possa sair com o triunfo”, afirmou Caio Alexandre.

A preocupação com o foco durante o jogo foi reforçada pelo atacante Ademir. Para ele, a partida contra o Fluminense deve servir como uma virada de chave. O Esquadrão saiu atrás, mas conseguiu reverter a situação e conquistou o triunfo.

“Espero que tenha sido a virada de chave, essa maturidade para não tomar as viradas. A gente tem que entender que, no Campeonato Brasileiro, se não der para vencer, não pode perder. Os pontos são importantes para a gente conseguir o nosso objetivo no fim”, disse.

Mudanças na equipe?

Por falar em atenção, o Bahia precisa mesmo ficar ligado. A equipe foi vazada três vezes nos dois primeiros jogos no Brasileirão. Na partida mais recente, Rogério Ceni optou por mudar a defesa e trocou Kanu por Gabriel Xavier.

O treinador não revelou se a alteração será mantida, mas o zagueiro formado na base deixou boa impressão e está pedindo passagem. Ceni, aliás, deixou aberta a possibilidade de outras mudanças.

Contra o Internacional, fora de casa, o técnico escalou o meio-campo com Rezende no lugar de Cauly, deixando o sistema defensivo tricolor mais protegido. Em relação ao último encontro com o Vitória, o Bahia tem pelo menos duas novidades.

Ausente nas finais do Baianão, o atacante Everaldo está recuperado de lesão e à disposição de Rogério Ceni. Ele entrou no segundo tempo dos duelos contra Internacional e Fluminense.

Já o meia Carlos de Pena vive a expectativa de disputar o seu primeiro Ba-Vi. O uruguaio de 32 anos foi o único jogador contratado pelo Esquadrão na janela disponibilizada pela CBF após os estaduais, e é uma peça importante para manter a estrutura da equipe durante as partidas. Os clubes das Séries A e B têm até hoje para reforçar os seus elencos. Depois disso, o próximo período de inscrições será apenas em julho.