Jogadores do Bahia "jogam milho" e provocam o Vitória após triunfo no clássico: 'Futebol é isso'

Jean Lucas e Caio Alexandre puxaram a fila nas brincadeiras

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 21 de março de 2024 às 15:24

Jean Lucas e Caio Alexandre
Jean Lucas e Caio Alexandre provocam o Vitória após gol do Bahia na Fonte Nova Crédito: Tiago Caldas/EC Bahia

O segundo clássico Ba-Vi de 2024 terminou com o triunfo de virada do Bahia por 2x1, na Fonte Nova, e foi marcado por muita provocação por parte dos tricolores. Após anotar o gol de empate, o volante Jean Lucas simulou que estava "jogando milho" para o Vitória, e foi acompanhado por Caio Alexandre, que simulou uma galinha.

A provocação é usada pela torcida do Bahia por conta do episódio ocorrido no "Ba-Vi da Paz", em 2018, quando o jogo no Barradão foi encerrado antes do fim, após o Vitória forçar a expulsão do zagueiro Bruno Bispo e ficar com quantidade insuficiente de jogadores em campo. O Leão recebeu W.O e o tricolor foi decretado vencedor pelo placar de 3x0.

Na zona mista da Fonte Nova, Jean Lucas explicou a comemoração e lembrou que no primeiro Ba-Vi do ano, no Barradão, os jogadores do Vitória também fizeram provocações ao Esquadrão.

"Somos um grupo unido, vocês podem ver em campo que somos alegres. Sobre a provocação, eles fizeram lá [no primeiro clássico, no Barradão] e eu fiz aqui. Futebol é isso, tem as provocações, eles fizeram lá primeiro e eu falei com os jogadores que se fizesse o gol ia ter dancinha. Estou muito feliz com o resultado, que é o mais importante, e agora é dar seguimento ao trabalho", disse.

A atitude de Jean Lucas, no entanto, foi reprovada pelo zagueiro Wagner Leonardo, do Vitória. Ao ver a cena, o defensor partiu para cima do volante tricolor e iniciou um princípio de confusão.

“Já trabalhei com o Jean Lucas e sei do perfil dele, nunca vi ele provocando o adversário. Acredito que dentro da partida temos que ter o respeito, ele não poderia e não deveria ter feito essa provocação durante a partida. Tive o desejo de conversar com ele, mas não houve, não consegui chegar até ele porque os jogadores do Bahia queriam procurar confusão comigo e eu já parei ali, porque não ia arrumar confusão. Não vejo o sentido de brigar, a gente tá ali pra jogar bola. Após a briga a gente conversou numa boa e ele entendeu que o que ele fez durante a partida não é adequado, mas faz parte do espetáculo e do clássico. No primeiro jogo houve provocação da nossa parte e a gente tem que saber lidar com isso, mas nada como uma boa partida e em um jogo jogado a gente resolve tudo", explicou o zagueiro.

Após o apito final e a confirmação do triunfo do Esquadrão, os jogadores voltaram a provocar o Vitória. O volante Jota jogou milho no campo, enquanto outros jogadores usaram uma máscara de galinha. O desenho de um caixão nas cores vermelho e preto também foi levantado pelos atletas.

O clima de provocação deverá continuar no próximo clássico. No dia 31, Bahia e Vitória se enfrentam pelo primeiro jogo da final do Campeonato Baiano. A partida será no Barradão, com torcida única do Vitória.

A volta será no dia 7 de abril, na Fonte Nova. No jogo da taça, apenas os tricolores terão acesso ao estádio.