CRIME

Lula diz que Robinho já deveria estar cumprindo pena por estupro no Brasil: ‘Crime imperdoável’

Presidente concedeu entrevista a emissora de televisão

  • Foto do(a) author(a) Estadão
  • Estadão

Publicado em 12 de março de 2024 às 11:05

Robinho, ex-jogador de futebol
Robinho, ex-jogador de futebol Crédito: Reprodução

No dia 20 de março, Robinho deve descobrir após o julgamento do Superior Tribunal de Justiça (STJ) se vai cumprir pena no Brasil. Na justiça italiana, o jogador já foi condenado a cumprir a pena de nove anos por estupro coletivo. Para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o jogador já deveria estar cumprindo a pena no Brasil. Em entrevista exclusiva ao SBT, Lula afirmou que estupro é um "crime imperdoável".

O presidente reforçou que todas as pessoas que cometem crime de estupro devem ser presas. "A pessoa precisa aprender que a relação sexual não é apenas o desejo de uma parte, é a concórdia das partes." Ele relembrou que Robinho participou de um estupro coletivo, mas achou que não cometeu crime, além de culpar a bebida. "Cria vergonha, sabe?", enfatizou Lula.

Condenado em todas as instâncias na Itália, o julgamento de Robinho no Brasil será realizado pela Corte Especial do STJ e foi marcado poucos dias depois da condenação do ex-jogador Daniel Alves. O relator da ação é o ministro Francisco Falcão. No tribunal, 15 dos 33 ministros com maior tempo de atuação no local vão votar a favor ou contra o cumprimento da pena no País

O julgamento, aberto à imprensa, será transmitido no canal do tribunal no YouTube. Existe a possibilidade da sessão não terminar no dia 20, caso algum dos ministros peça mais tempo para examinar o tema. Vale lembrar que a execução de sentença estrangeira está prevista na Constituição Federal, ou seja, é um procedimento comum. O papel do STJ é examinar aspectos formais da sentença, sem reexaminar o caso em si. Eles devem analisar se quem proferiu a sentença na Itália é competente, se a tradução foi feita dentro das diretrizes consulares e se não há mais recursos.

RELEMBRE O CASO

Robinho estuprou uma mulher albanesa com mais cinco homens em uma boate em Milão, em 22 de janeiro de 2013, na época em que atuava pelo Milan. A vítima comemorava seu aniversário no dia. Ele foi condenado em primeira instância em dezembro de 2017, já os outros suspeitos deixaram a Itália ao longo da investigação e, por isso, a participação deles no ato virou alvo de outro processo. Em 2023, gravações utilizadas pela Justiça da Itália na sentença foram divulgadas.

Procurado pela reportagem em outubro de 2020, o advogado Franco Moretti, que representava Robinho na Itália, reforçou que seu cliente era inocente. O jogador afirmou que toda a relação que teve com a denunciante foi consensual e ressaltou que seu único arrependimento foi ter sido infiel com sua mulher. Robinho é casado.