ROMPEU CONTRATO

Paolo Guerrero desiste de jogar em time do Peru após mãe receber ameaças

A contratação já havia sido anunciada e seria a primeira vez que Guerrero jogaria em seu país natal

  • Foto do(a) author(a) Estadão
  • Estadão

Publicado em 14 de fevereiro de 2024 às 08:26

Paolo Guerrero desiste de jogar em time do Peru Crédito: Divulgação/Avaí Futebol Clube

O atacante Paolo Guerrero desistiu de defender as cores do Universidad César Vallejo, do Peru, por causa de ameaças feitas à sua mãe, conforme informado por César Acuña, dono do clube e governador da região de La Libertad, em entrevista a veículos peruanos nesta terça-feira. A contratação já havia sido anunciada e seria a primeira vez que Guerrero jogaria em seu país natal, por isso havia muita expectativa, mesmo ele já tendo 40 anos.

Acuña contou que o atacante pediu o rompimento do contrato e disse que está trabalhando em um acordo para ter uma rescisão amigável. "Eu entendo o Paolo. No mesmo dia em que ele assinou o contrato, criminosos fizeram ameaças à mãe dele. Acho que ele está avaliando, está pensando: é a família ou o futebol. Eu faria o mesmo. Ligaram para a mãe dele e a ameaçaram", afirmou o dirigente.

A preocupação se dá em razão da onda de violência vivida pelo Peru. Trujillo, capital de La Libertad e terceira cidade mais populosa do país, decretou toque de recolher durante à noite e limitou diversas liberdades individuais por 60 dias. Os casos envolvem extorsão, sequestro e assassinatos. No dia 24 de janeiro, o corpo de um empresário apareceu em uma área distante de Trujillo. Em seu abdômen foi escrita a frase: "por não pagar integralmente".

Durante o ano passado, o Ministério Público do Peru registrou mais de 2.273 denúncias de extorsão em diferentes negócios. Em alguns casos, os desfechos foram explosões de granadas, dinamite e carros incendiados.

Autor do gol do título do segundo Mundial de Clubes do Corinthians, em 2012, Paolo Guerrero é ídolo máximo no Peru, mas nunca chegou a atuar profissionalmente em um clube do país. Foi ainda jovem para Alemanha, onde se profissionalizou no Bayern de Munique e jogou também no Hamburgo. Veio para o Brasil justamente em 2012 para vestir a camisa corintiana e ficou no futebol brasileiro até 2022. Após passagens por Flamengo, Internacional e Avaí, jogou no Racing, da Argentina, e na LDU, do Equador.