NATAÇÃO

Promessa do Brasil é operada a menos de 80 dias da Olimpíada de Paris-2024

Stephanie Balduccini afirmou que vinha enfrentando crises de apendicite nas últimas semanas

  • Foto do(a) author(a) Estadão
  • Estadão

Publicado em 15 de maio de 2024 às 14:01

Stephanie Balduccini é um dos destaques do Brasil na natação
Stephanie Balduccini é um dos destaques do Brasil na natação Crédito: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Faltando menos de 80 dias para o início da Olimpíada de Paris-2024, a nadadora Stephanie Balduccini foi submetida a uma cirurgia no apêndice nesta terça-feira (15), em São Paulo. A brasileira, classificada para disputar três provas de revezamento na capital francesa, tem previsão de voltar às piscinas daqui a 10 dias.

Uma das referências da nova geração da natação brasileira, Stephanie foi operada no Hospital Albert Einstein na tarde desta terça, poucas horas após participar de um evento de sua equipe, com outros nadadores olímpicos, na Unisanta, na cidade de Santos Ela vai disputar sua segunda Olimpíada da carreira.

Pelas redes sociais, ela revelou que vinha enfrentando crises de apendicite nas últimas semanas, ainda nos Estados Unidos, onde treina. "Poucos sabem, mas três semanas atrás fui parar no hospital de Michigan com dores fortes no abdome e diagnosticada com apendicite. Naquele momento a recomendação do médico foi de operar no mesmo dia. O mundo parecia que tinha acabado para mim", disse Stephanie.

A nadadora precisou fazer um tratamento conservador, com antibióticos, para ter condições de disputar a Seletiva Olímpica, realizada na semana passada, pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA), no Rio de Janeiro.

"Expliquei ao médico que teria a seletiva em poucos dias e ele sugeriu tentar desinflamar o apêndice com antibióticos na veia. E, claro, tudo isso no meio das minhas provas finais na faculdade. Por sorte o medicamento deu efeito depois de dois dias e minha inflamação melhorou. Fiquei muito aflita porque perdi três dias de treino e minha volta às piscinas foi mais lenta do que desejava", comentou.

A redução no ritmo dos treinos ajuda a explicar o rendimento de Stephanie abaixo do esperado na Seletiva. Ela não obteve nenhum índice para provas individuais, apesar do favoritismo. Mas vai compor a seleção brasileira para disputar os revezamentos 4x100m, 4x200m livre e 4x100m medley misto.

Após revelar o problema de saúde, ela admitiu que vinha nadando nos treinos e na Seletiva com dores. "Nadei com um pouco de dor. Mas não acho que foi isso que atrapalhou a minha performance. Foi um conjunto de tudo, não acredito muito em desculpa. Já competi até com dengue. Mas desta vez foi um pouco difícil, principalmente na parte mental", disse a nadadora em entrevista ao canal ESPN.