Apresentador do Oscar faz piada sobre ausência de negros: "prêmios das pessoas brancas"

Se eles também nomeassem os apresentadores, eu não teria trabalho", acrescentou o humorista e ator afro-americano, Chris Rock

Publicado em 29 de fevereiro de 2016 às 06:58

- Atualizado há 10 meses

A cerimônia do Oscar deste ano começou hoje (28) em Los Angeles, com o apresentador, Chris Rock, fazendo diversas referências e piadas sobre a falta de diversidade racial entre os nomeados. Chris Rock deu as boas-vindas à festa, que, segundo ele, "também é conhecida como os prêmios das pessoas brancas".Foto: Mark Ralston/AFP"Se eles também nomeassem os apresentadores, eu não teria trabalho", acrescentou o humorista e ator afro-americano. "Todos vocês estariam assistindo a Neil Patrick Harris nesse exato momento", brincou. Este ano, os prêmios do cinema dos Estados Unidos estão marcados há semanas pela polêmica  das questões raciais.

"É a 88ª edição do Oscar, o que significa que essa coisa toda de 'sem indicados negros' aconteceu pelo menos outras 71 vezes, ok? Vocês precisam se dar conta de que isso aconteceu nos anos 1950, 1960", afirmou Rock. "Sabe, quando sua avó está pendurada em uma árvore, é muito difícil se preocupar com o melhor curta de documentário estrangeiro", provocou.

Pelo segundo ano consecutivo, a Academia de Cinema dos Estados Unidos nomeou exclusivamente atores brancos, motivando uma onda de protestos e apelo a um boicote na cerimônia, nomeadamente por parte do realizador Spike Lee e do casal de atores Will Smith e Jada Pinkett-Smith.

Em janeiro, a organização anunciou que iria tomar "medidas históricas" para que, no futuro, os prêmios possam ser mais abrangentes, com maior diversidade racial e étnica.

Esta semana, dias antes da cerimônia, foi divulgado um estudo da Universidade do Sul da Califórnia informando que a indústria cinematográfica de Holllywood vive com uma "epidemia de invisibilidade" no que toca à participação de minorias étnicas, das mulheres e da comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgénero).

Antes do início da cerimónia, quando os convidados desfilavam pelo tapete vermelho, um pequeno grupo de manifestantes convocados por um reverendo protestou pela falta de diversidade dos nomeados.

O Regresso, filme de Alejandro González Iñárritu, é indicado nesta 88.ª edição em 12 categorias, entre as quais de melhor realização e melhor filme, duas estatuetas que o cineasta mexicano conquistou em 2015 com Birdman. Leonardo di Caprio, protagonista, é o favorito ao Oscar de melhor ator.

A garota dinamarquesaConfirmando as previsões, a sueca Alicia Vikander, que vem brilhando em produções recentes, ganhou a estatueta de melhor atriz coadjuvante pelo filme A garota dinamarquesa. Em seu discurso, ela agradeceu o ator Eddie Redmayne, com quem contracenou no longa. "Você foi o melhor parceiro possível", disse Alicia.