Alerta máximo

Com o retorno da onda de calor na Bahia, 14 cidades enfrentam epidemia de dengue

Veja a lista completa

  • Foto do(a) author(a) Maysa Polcri
  • Maysa Polcri

Publicado em 14 de novembro de 2023 às 16:00

Entre janeiro e março deste ano, a Secretaria Municipal de Saúde notificou 99 casos de dengue, 58 de chikugunya e 18 de zika.
Mais de 46 mil casos foram identificados neste ano no estado Crédito: Paula Fróes/CORREIO

onda de calor que afeta mais de cem cidades da Bahia e é similar à que atingiu municípios em meados de setembro traz, além do clima abafado, uma vilã já bem conhecida nos trópicos: a dengue. Segundo os dados mais recentes da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), 14 cidades enfrentam epidemia da doença.

Entre 1º de janeiro deste ano e o dia 4 de novembro, o estado registrou 46.234 casos prováveis da doença - número 35% maior do que o identificado no mesmo período do ano passado, quando foram 34.063. Os casos prováveis englobam pacientes com diagnósticos inconclusivos.

Salvador é um dos municípios em estado de epidemia, ao lado de cidades como Camaçari, Feira de Santana, Guanambi, Macaúbas, Teixeira de Freitas e Vitória da Conquista (veja a lista completa abaixo). A epidemia acontece quando há um aumento no número de casos em diversas localidades, sem atingir, no entanto, a escala global.

As altas temperaturas e a chuvas formam o cenário ideal para a proliferação do aedes aegypti, vetor da arbovirose. Aliado a isso, está a proximidade do verão, que começará em 22 de dezembro e promete elevar médias máximas. Das cidades que enfrentam a nova onda de calor em território baiano, três estão entre os dez municípios com maior incidência de dengue: Vereda, Piripá e Novo Horizonte.

“Estamos entrando nas semanas do ano em que o número de casos deve aumentar, além da onda de calor que atinge todo o Brasil, acompanhado de chuvas. Essa é a melhor estrutura climática para a proliferação do mosquito”, explicou Alberto Chebabo, presidente da Associação Brasileira de Infectologia, durante o webinar Dengue: O Impacto da Doença no Brasil, realizado pela farmacêutica Takeda, na terça-feira (14).

Em nota, a Secretaria de Saúde de Salvador (SMS), informou que há quatro semanas a capital mantém redução do número de casos, o que "sinaliza que a situação está sob controle". Nenhum óbito foi registrado em Salvador em decorrência da dengue neste ano.

"A Prefeitura Municipal de Salvador (PMS), através da SMS, está envidando todos os esforços para proteger e cuidar da população de Salvador. As unidades de saúde estão preparadas para identificar e atender as suspeitas de dengue, chikungunya e zika, o controle do aedes aegypti está sendo feito em toda a cidade, reduzindo a infestação e evitando novos casos", pontua. 

Até novembro deste ano, 391 municípios baianos já realizaram notificações para o avanço da doença. Desses, 178 apresentaram mais de 100 casos para cada 100 mil habitantes. Enquanto a Bahia acompanha o número de casos crescer consideravelmente, estados vizinhos têm queda na quantidade de doentes. É o caso do Piauí, que teve redução de 83% no número de casos entre o ano passado e este ano.

O médico infectologista Alberto Chebabo explica que cada região tem sua peculiaridade e que o vírus possui sazonalidade própia. “Após dois ou três anos de aumento do número de casos, há um esgotamento do número de pessoas suscetíveis e a tendência é a queda. Esses períodos acontecem a cada quatro anos, em média, até que ocorra a entrada de um sorotipo diferente”, afirma.

Segundo o médico, o aumento dos casos na Bahia pode estar associado à entrada do sorotipo 3 da dengue no Nordeste. “Ele não circula há um bom tempo no país, mas já foi identificado em regiões do Nordeste e países da América Latina”, diz. A dengue possui quatro sorotipos, que se diferenciam pela formação genética e molecular.

Diante do aumento do número casos, vale lembrar as formas de evitar a disseminação do mosquito. “As temperaturas vão aumentar e é importante que a população esteja alerta para os cuidados: cobrir tanques de água e não deixar água parada em casa. Assim, os mosquitos não encontram lugar para colocar os ovos”, ressalta o virologista Gúbio Soares.

A Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) foi questionada, através da assessoria de imprensa, sobre as ações que têm sido tomadas para reduzir o número de focos de dengue e atender a população doente, mas não houve retorno. 

Cidades que enfrentam epidemia de dengue, segundo a Sesab

  • Camaçari
  • Feira de Santana
  • Guanambi
  • Jeremoabo
  • Macaúbas
  • Morro do Chapéu
  • Mucuri
  • Piripá
  • Rio Leal
  • Salvador
  • Santo Estevão
  • Teixeira de Freitas 
  • Uruçuca
  • Vitória da Conquista