SEMANA MINHA CASA, MINHA VIDA

Feirão oferece imóveis com descontos de até R$ 55 mil

Os apartamentos estão localizados em áreas como Paralela, Piatã, Cajazeiras, Cabula, Valéria, Sussuarana, Pirajá e mais

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 6 de maio de 2024 às 16:53

Semana Minha Casa, Minha Vida Crédito: Divulgação

Quem sonha com a oportunidade de comprar a casa própria poderá aproveitar as ofertas da “Semana Minha Casa, Minha Vida”. O evento acontece do dia 22 até o 26 de maio, sempre das 07h às 20h, na sede da IMOB - Inteligência Imobiliária, na Avenida Paralela, em Salvador. O feirão oferece descontos que chegam a R$55 mil, em cerca de 2 mil unidades a partir de R$173 mil.

Os apartamentos integram o programa do Governo Federal em áreas como Paralela, Piatã, Areia Branca, Boca da Mata, Cajazeiras, Cabula, Marechal Rondon, Valéria, Sussuarana, Pau da Lima, Vila Canária e Pirajá. Esta será a segunda edição do feirão, que reunirá nove incorporadoras, apresentando empreendimentos de diferentes tipos, tamanhos e preços, prontos para morar, em fase de construção ou os que estão na planta. 

Para aprovar a pasta do cliente, é feita uma análise de crédito a partir das documentações básicas: documento de identificação, comprovante de endereço e de renda. “Documentos específicos podem ser solicitados, a depender do perfil de cada um. Porém, o evento irá disponibilizar assessoria bancária, com a possibilidade de aprovação do crédito na hora", explica a diretora do Imob, Nane Brandão.

"O interessado tem que ficar atento também aos limites do imóvel a ser comprado. No caso dos clientes enquadrados nas faixas 1 e 2 do programa, os imóveis têm os limites de R$ 255 mil, em Salvador; R$ 225 mil, em Lauro de Freitas e Camaçari. Clientes da faixa 3, com renda familiar bruta de R$ 4.400,01 até R$8 mil, o limite do imóvel é de R$ 350.000 em todo o território nacional”, completou.

Crescimento do número de financiamentos

No primeiro trimestre deste ano, o número de unidades negociadas pelo Minha Casa Minha Vida (MCMV) aumentou 52% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Esse crescimento está atrelado às medidas lançadas no ano passado pelo Governo Federal, com o intuito de ampliar o acesso de pessoas à casa própria: aumento de subsídios para famílias (de R$ 47,5 mil para R$ 55 mil), redução de juros para financiamentos de baixa renda (para o patamar de 4% a 4,25% ao ano), ampliação do teto de valores dos imóveis (de R$ 265 mil para até R$ 350 mil) e prazo de financiamento estendido (de 30 para 35 anos).

Os reflexos ligados a alterações mais recentes, como o financiamento pelo "FGTS Futuro", ainda devem ser mensurados. A nova modalidade permite que trabalhadores com renda mensal de até R$ 2.640 contratem um financiamento pelo Minha Casa, Minha Vida, utilizando a sua conta vinculada do FGTS (fundo de garantia). A autorização dos créditos disponíveis nas contas do fundo por um prazo de até 120 meses (10 anos) deve ser feita no ato da contratação do crédito habitacional.