ACIDENTE

Nadador é atingido na cabeça por barco de remo em Salvador

Segundo a vítima do acidente, o homem que conduzia o barco não prestou socorro

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 9 de abril de 2024 às 16:45

Nadador foi atingido na cabeça na área do píer Edifício Mansão Leonor Calmon Crédito: Arquivo Pessoal e Ponto de Vista Drones

Um nadador foi atingido na cabeça por um barco de remo, modelo Single Skiff, durante a manhã do último sábado (6) no píer Edifício Mansão Leonor Calmon, no Corredor da Vitória. Segundo Guilherme Tranchesi, vítima do acidente, o homem que conduzia o barco não prestou socorro.

Em conversa com o CORREIO, a vítima relatou que nadava na encosta do Corredor da Vitória, quando foi atingido na cabeça. Guilherme Tranchesi também disse que o condutor do barco remava de costas no momento do acidente. "Esse barco, Single Skiff, nos apresenta risco imenso, já que o praticante não enxerga para onde vai. Estava praticamente às cegas”, disse.

O nadador também contou que o remador é associado do Yacht Club da Bahia e já foi alertado, diversas vezes, por nadadores e banhistas, do risco que ele assume de causar acidentes. A vítima registrou a ocorrência na delegacia e foi encaminhada ao IML para realizar o exame de corpo delito.

De acordo com Guilherme, foram nove pontos na cabeça e uma lesão no crânio foi identificada na tomografia. “Perdi muito sangue enquanto estava no mar e a caminho da emergência. Ficarei afastado das minhas atividades profissionais por, no mínimo, 14 dias por recomendação médica. Estou medicado, em repouso e irei refazer a tomografia após 30 dias para reavaliar”, disse.

Procurado, o Yacht Clube da Bahia (YCB) esclareceu que o remador é um associado, mas não é remador da equipe do clube, ou seja, não estava treinando ou competindo pelo YCB. No momento do ocorrido, ele remava em frente à Praia da Gamboa, distante do clube, e não estava participando de nenhuma programação organizada ou promovida pelo clube, ocasião em que todas as medidas de segurança são tomadas.

Em nota, a Federação Baiana de Desportos Aquáticos (FBDA) repudiou o incidente. “É lamentável que uma situação como essa tenha ocorrido devido à negligência das normas de navegação estabelecidas pela Marinha do Brasil. A FBDA reitera a importância do cumprimento dessas normas para garantir a segurança de todos os praticantes de esportes aquáticos e banhistas", diz.

A FBDA também informou que pediu às autoridades competentes que investiguem o incidente e tomem as medidas necessárias para evitar que situações semelhantes ocorram no futuro.

Segundo a Polícia Civil, uma ocorrência de omissão de socorro com resultado lesão corporal foi registrada na 14ª DT/Barra, que expediu a guia para exame médico legal da vítima e apura o ocorrido.