LAURO DE FREITAS

'Não pode ir ao banheiro sozinha de noite': estudantes relatam insegurança na Unime

Estudante de psicologia foi vítima de sequestro em estacionamento da faculdade

  • Foto do(a) author(a) Wendel de Novais
  • Wendel de Novais

Publicado em 10 de maio de 2024 às 12:00

Estudantes reclamam de insegurança na faculdade Crédito: Reprodução/Unime

O caso da estudante que foi vítima de um sequestro dentro do estacionamento da Unime de Lauro de Freitas, na última terça-feira (7), não é a única demonstração de insegurança na instituição. Pelo menos, é o que garante quem estuda no local. Na porta da unidade de ensino, estudantes ouvidos pela reportagem destacaram a ausência de fiscalização no estacionamento onde houve o crime e criticaram ainda a livre circulação de qualquer pessoa nas dependências da faculdade, o que resulta em problemas de segurança, principalmente, à noite.

Uma estudante de Medicina Veterinária, que prefere não se identificar, lamenta a situação e diz que, no período noturno, não pode nem ir ao banheiro sozinha por conta da insegurança. Segundo ela, desde que entrou na faculdade, há três anos, existe a promessa que vão implantar nas catracas um sistema em que apenas pessoas vinculadas à instituição terão cartão de acesso. No entanto, até hoje isso não ocorreu, e as pessoas conseguem ter acesso ao local sem dificuldade.

"Até hoje ninguém arrumou isso, então não tem segurança nenhuma aí dentro. Inclusive, eu penso muito em me transferir daqui, porque eu tenho medo de andar pela faculdade à noite. Não pode ir ao banheiro sozinha de noite. O pessoal fala que, se você for, não vá sozinha, vá acompanhada, porque qualquer um entra e faz miséria aí dentro da faculdade", revela a estudante.

Ainda de acordo com ela, já houve situações em que uma pessoa em situação de rua chegou a entrar em uma sala de aula para falar com estudantes. "Qualquer um entra, inclusive já teve um caso de um senhor que entrava dentro da sala para pedir dinheiro para a gente", fala ela, destacando que o homem não oferecia perigo, mas temendo que, assim como ele, outras pessoas pudessem fazer o mesmo, e algum problema, como o que houve no estacionamento, acontecesse.

O CORREIO procurou a Unime para comentar as queixas sobre insegurança na unidade e aguarda resposta.

Mais cedo, a instituição comentou o caso da estudante sequestrada e, por nota, lamentou o ocorrido. Além disso, destacou que o estacionamento é um serviço terceirizado e que a empresa contratada é responsável por cuidar da vigilância e segurança de toda e qualquer atividade explorada no espaço sublocado.

"Sendo assim, em conformidade com o contrato, toda perda proveniente de furto ou roubo que os usuários venham a sofrer, cabe inteiramente à empresa prestadora do serviço. A instituição ressalta que, ao ter conhecimento dos fatos, acionou a Polícia local e a empresa proprietária do estacionamento a fim de conhecer evidências do ocorrido. A reitoria recebeu e ouviu a aluna em questão, se colocando à disposição para dar suporte e prestar esclarecimentos", escreve em nota.

Os problemas, porém, não se limitam ao espaço onde os veículos são parados. Um outro estudante, que também não revela o nome, faz coro às criticas da colega. "Aqui tem roubo, furto e agora até sequestro. É claro que a maioria das ocorrências estão no estacionamento, mas a gente vê gente que não é da faculdade circulando em vários lugares daqui e essas pessoas têm a oportunidade de nos assaltar porque não tem nada que nos proteja de uma forma mais segura", afirma.

Uma terceira estudante faz uma reclamação em relação aos seguranças dispostos no local. De acordo com ela, apesar do serviço privado existir nas dependências internas da Unime, não é realizado da maneira ideal. "Muitos deles ficam na guarita, sem circular, ou então na parte interna da faculdade. E os que estão fora desses espaços, muitas vezes, ficam sentados e desatentos. Eu não me sinto segura com esse serviço que fazem para a Unime", completa a jovem.

A Polícia Civil (PC) informou que a 23ª Delegacia Territorial (DT/Lauro de Freitas) já tem a ocorrência e apura o caso. "A 23° registrou o roubo de um veículo e um celular, sofrido por uma mulher, dentro de uma instituição de ensino na Avenida Luiz Tarquínio, no centro de Lauro de Freitas. Imagens de câmeras de segurança estão sendo analisadas para identificar o autor do crime e recuperar os objetos roubados", informa a PC.