ECONOMIA

Presentes para o Dia das Mães estão com preços menos salgados do que em 2023, segundo a Fecomércio-BA

Produtos ligados à área de eletrônicos e eletrodomésticos mostram queda nos valores

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 8 de maio de 2024 às 12:31

A média dos itens selecionados na RMS é de 0,57% no acumulado dos últimos 12 meses
A média dos itens selecionados na RMS é de 0,57% no acumulado dos últimos 12 meses Crédito: Divulgação

Os presentes para o Dia das Mães estão com preços menos salgados do que em 2023, segundo informações da Fecomércio-BA. Foram selecionados 23 potenciais produtos do comércio que podem ser comprados, entre eles artigos da área de eletrônicos, eletrodomésticos, vestuário, beleza e acessórios.

A média desses itens na Região Metropolitana de Salvador é de 0,57% no acumulado dos últimos 12 meses, sendo que no mesmo período do ano passado, a variação ponderada desse grupo foi de 10,05%, um sinal claro de desaceleração. O crédito para a aquisição desses produtos também está mais em conta, dado o cenário de redução da taxa de juros.

“Alguns produtos ligados a área de eletrônicos e eletrodomésticos chamam a atenção pela deflação no período, com destaque para o televisor que aponta queda de 10,18%, seguido da máquina de lavar com recuo de -6,62% e computador pessoal com variação negativa de 6,55%”, conta o consultor econômico da Fecomércio-BA, Guilherme Dietze.

Produtos para cabelo (-2,87%), artigos de maquiagem (-2,46%) e bolsas (-2,13%) também apresentaram queda, se tornando produtos mais acessíveis por terem valores agregados mais baixos. Enquanto itens de vestuário apresentaram aumento nos últimos 12 meses, sua variação é mais baixa do que a média da região 3,55%, mas isso torna os produtos relativamente mais baratos do que no ano anterior.

O preço médio do vestido ficou praticamente estável, com 0,7%, e o short feminino com avanço médio de 2,55%, muito próximo do observado nas lingeries (2,67%). Por outro lado, quem pensa em comprar um ar-condicionado, uma bijuteria ou um livro, terá que gastar, em média, mais do que em 2023. As elevações respectivas foram de 16,64%, 13,05% e 12,84%.

“Evidentemente, o dado do IBGE aponta para uma média de preço, mas cabe ao consumidor fazer a sua pesquisa, uma vez que são produtos que possuem muita variedade no varejo e dada a concorrência e método de pagamento, pode-se obter um bom desconto no fim do dia”, conclui Dietze.

Outro fator que auxilia o momento positivo da economia local são as famílias da região que estão com maior poder de compra devido a uma redução importante na inadimplência, de 35,3% para 24,1% no intervalo de um ano. Representando a saída de pouco mais de 100 mil famílias com contas em atraso em Salvador, de acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, a PEIC, da Fecomércio-BA e CNC – Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo.