Reconhecimento facial do Planserv impede atendimentos em Salvador

Beneficiários criticam nova modalidade implementada em dezembro

  • Foto do(a) author(a) Maysa Polcri
  • Maysa Polcri

Publicado em 6 de março de 2024 às 06:00

Biometria facial pode ser cadastrada no aplicativo do Planserv Crédito: Divulgação

Uma medida que deveria facilitar o atendimento de beneficiários da Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais (Planserv), vem causando transtornos em unidades de saúde de Salvador. O Planserv deu início ao cadastramento da biometria facial dos usuários em dezembro, mas usuários do plano não conseguem acessar clínicas e laboratórios que ainda não implementaram a tecnologia.

Um beneficiário do plano que prefere não se identificar conta que tentou realizar exames no laboratório Spalazanni, no bairro Águas Claras, mas que a unidade não conta com o reconhecimento. “O Planserv ainda não enviou a câmera de reconhecimento facial para o laboratório e tive que ir em outra unidade, em Cajazeiras”, diz.

O transtorno não é o único, de acordo com o usuário. “O reconhecimento demora e é necessário sempre fazer várias tentativas”, completa. De acordo com o Planserv, o cadastramento da imagem da face pode ser feito no aplicativo móvel do plano ou no prestador de saúde durante o atendimento.

O método utilizado em clínicas e hospitais conveniados também é alvo de críticas do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB). Os servidores da Educação apontam muitas dificuldades para acessar o aplicativo, na capital e interior.No município de Jequié, por exemplo, há uma crescente insatisfação em várias instituições médicas. Em alguns casos, os conveniados solicitam ajuda dos funcionários hospitalares para não ficarem sem atendimento médico”, pontua.

O Planserv foi questionado, através da sua assessoria de imprensa, sobre as dificuldades enfrentadas pelos beneficiários por conta da biometria facial, mas não se manifestou. Reclamações podem ser registradas através da ouvidoria, no site