Rodoviários metropolitanos decidem manter estado de greve; nova reunião será realizada após o Carnaval

Trabalhadores vão trabalhar normalmente durante a folia. Segundo o Sindmetro, os empresários aceitaram pagar a gratificação de Carnaval, com reajuste

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 7 de fevereiro de 2024 às 06:00

Ponto de ônibus em dia de assembleia dos rodoviários Crédito: Arisson Marinho/CORREIO

O Sindicato dos Rodoviários Metropolitanos (Sindmetro) decidiu, na tarde desta terça-feira (6), permanecer no estado de greve. A assembleia aconteceu na sede da entidade, em Lauro de Freitas. Segundo a categoria, haverá uma nova reunião no dia 21 de fevereiro e, caso não haja um acordo, será declarada greve no dia 22.

O presidente do Sindmetro, Mário Cleber, informou ao CORREIO que os empresários aceitaram pagar a gratificação de Carnaval, reajustando de R$46 para R$ 52, por dia trabalhado. A medida valerá para todos os rodoviários metropolitanos, não só os que estarão trabalhando no Carnaval.

Na assembleia, o sindicato ponderou que a greve prejudicaria os usuários do transporte público. "Pensamos no bem comum da população que não conseguiria se deslocar para o Carnaval", disse Mário Cleber.

Após a assembleia, o Sindmetro se reuniu com os representantes das empresas de ônibus para comunicar o adiamento da greve. No entanto, os trabalhadores da empresa Avanço Transporte devem parar de operar na próxima sexta (9), o que deve prejudicar as cidades de Madre de Deus, Santo Amaro, Candeias, São Francisco do Conde e Camaçari.

A categoria está em estado de greve desde o dia 25 de janeiro. As principais demandas são o retorno dos cobradores que foram demitidos na pandemia; recomposição salarial de 11%; recomposição de 100% da cesta básica (custa R$ 576, enquanto eles recebem R$ 245); e redução do valor do plano de saúde dos dependentes.