ALASKAPOX

O que é a varíola do Alasca? Doença causa primeira morte nos EUA e chama a atenção para vírus

Animais de estimação, como cães e gatos, também podem ser portadores do vírus

  • Foto do(a) author(a) Estadão
  • Estadão

Publicado em 15 de fevereiro de 2024 às 18:26

null Crédito: Departamento de Saúde do Alasca

Há nove anos, as autoridades de saúde do Alasca estão cientes de um vírus incomum que causa doenças raras e relativamente leves na área de Fairbanks. Mas um caso recente em outra parte do Estado - que resultou na morte de um homem - chamou a atenção para o chamado vírus Alaskapox.

O que é o Alaskapox

O Alaskapox pertence a uma família de vírus em forma de tijolo que pode infectar animais e seres humanos. Esses micro-organismos, conhecidos como orthopoxvirus, tendem a causar lesões, ou varíola, na pele. Cada um tem suas próprias características, e alguns são considerados mais perigosos do que outros.

A varíola talvez seja o mais famoso deles, mas outros membros da família incluem cowpox (varíola bovina) e mpox (anteriormente conhecido como monkeypox).

O Alaskapox foi descoberto em 2015 em uma mulher que vivia perto de Fairbanks, no Alasca. Ela foi encontrada principalmente em pequenos mamíferos, incluindo ratazanas de dorso vermelho e musaranhos. Mas animais de estimação, como cães e gatos, também podem ser portadores do vírus, segundo as autoridades de saúde.

Sete pessoas, todas no Alasca, foram infectadas com o vírus nos últimos nove anos.

Quais os sintomas do Alaskapox?

As pessoas com Alaskapox desenvolveram um ou mais inchaços ou pústulas na pele, bem como dores articulares ou musculares e inchaço dos gânglios linfáticos.

Quase todos os pacientes tiveram doenças leves que se resolveram por conta própria após algumas semanas. No entanto, as pessoas com sistemas imunológicos enfraquecidos podem correr o risco de contrair doenças mais graves.

Como o Alaskapox se espalha?

As autoridades acreditam que o Alaskapox se espalha por meio do contato com animais infectados.

Não há nenhum caso documentado de transmissão de uma pessoa para outra. No entanto, outros vírus da mesma família podem se espalhar quando uma pessoa entra em contato com as lesões de outra pessoa, portanto, as autoridades de saúde do Alasca estão aconselhando qualquer pessoa com uma lesão de Alaskapox a cobri-la com um curativo.

O que aconteceu com o último caso?

As autoridades de saúde do Alasca têm conhecimento de sete pessoas infectadas com o Alaskapox desde que o vírus foi descoberto, mas o caso mais recente representa a primeira vez que se sabe que alguém morreu em decorrência do vírus.

O idoso, que morava na Península de Kenai, estava em tratamento contra o câncer e tinha o sistema imunológico suprimido por causa dos medicamentos. Em setembro, ele notou uma ferida vermelha na axila direita e foi ao médico nos dois meses seguintes por causa da fadiga e da dor em queimação. Ele foi hospitalizado em novembro e morreu no mês passado, de acordo com um boletim da semana passada das autoridades de saúde pública do Alasca.

O homem morava em uma área florestal remota e não viajava. Ele havia sido repetidamente arranhado por um gato de rua que caçava pequenos animais, e um dos arranhões foi na área da axila do homem, disseram as autoridades.

Formas de prevenção

A Alaskapox é uma doença rara que, na maioria dos casos, causa sintomas relativamente leves, segundo as autoridades de saúde.

Dito isso, a vida selvagem pode acarretar riscos de infecções. As autoridades de saúde dizem que a melhor maneira de manter os animais de estimação e os membros da família em segurança é manter uma distância segura da vida selvagem e lavar as mãos depois de sair ao ar livre. Além disso, não tente manter animais selvagens como animais de estimação.