Policial branco que aparece em vídeo atacando estudante negra pode ser exonerado; entenda

Imagens causaram revolta nas redes sociais. FBI investiga se houve violação de direitos civis e de leis federais no incidente

Publicado em 28 de outubro de 2015 às 08:31

- Atualizado há 10 meses

Um policial branco da Carolina do Sul, nos Estados Unidos, foi colocado em licença administrativa depois que um vídeo divulgado nas redes sociais mostrou ele dando uma chave de braço em uma aluna negra do ensino médio antes de derrubá-la de sua cadeira e arrastá-la pelo chão da sala de aula.

A polícia local deve decidir nesta quarta-feira (28) se ele será exonerado ou não, e o FBI investiga se houve violação de direitos civis e de leis federais no incidente. O fato aconteceu na segunda-feira na escola Spring Valley, na cidade de Columbia, na Carolina do Sul. Ninguém ficou ferido no confronto.

Vídeo em que policial branco ataca estudante negra causa revolta(Foto: Reprodução)Autoridades disseram que o incidente ocorreu após a estudante recusar o pedido do policial Ben Fields, um dos dois policiais designados para a escola, de se retirar da sala de aula. O ocorrido foi gravado por celulares de diversos alunos.

O vídeo mostra o policial pedindo para a garota se levantar. A hashtag #AssaultAtSpringValleyHigh - em referência ao nome da escola - virou um trending topic no Twitter e os vídeos rapidamente se tornaram virais. Imagens causaram revolta nas redes sociais.Vídeo causou revolta nas redes sociais; polícia decide hoje se policial será exonerado(Foto: Reprodução)No vídeo, a menina permanece sentada e o oficial então dá uma chave de braço na garota. Em seguida, o policial empurra a menina e a mesa dela para trás, até que ela cai no chão, arrastando-a para frente da sala de aula, onde o policial ordenou que ela colocasse as mãos para trás, algemando-a.

Assista abaixo ao vídeo:

O xerife do condado de Richland, responsável pela investigação, Leon Lott, disse que o vídeo mostrou que a estudante resistiu e foi presa. “É muito preocupante o que aconteceu. É algo que eu tenho que lidar e é isso que vamos fazer”, disse Lott. A menina foi acusada de ter distúrbios por diversas escolas onde já estudou, além de ter sido abandonada por seus pais.

A superintendente do distrito da escola, Debbie Hamm, divulgou um comunicado sobre o fato. “Nosso distrito está profundamente preocupado com um incidente que ocorreu em Spring Valley High School e o distrito não tolerará qualquer ação que ponha em risco a segurança dos nossos alunos”, segundo o comunicado.

O caso ocorre em um momento em que a brutalidade policial está em evidência nos Estados Unidos após uma série de incidentes  envolvendo autoridades policiais e homens ou jovens  egros.