Sobrevivente de massacre em universidade diz que atirador visava evangélicos

As vítimas contaram que o atirador pediu que os evangélicos ficassem de pé e disse: "você vai ver seu Deus em um segundo"

Publicado em 2 de outubro de 2015 às 10:49

- Atualizado há 10 meses

Um dia após o massacre no Instituto Superior Técnico de Umpaqua, no estado de Oregon, na costa Oeste dos Estados Unidos - que deixou pelo menos dez mortos e sete feridos na quinta-feira (1º) - as redes de televisão norte-americanas mostram vigílias pelas vítimas e tentam mostrar os motivos que levaram Chris Harper Mercer, 26 anos, morto pela polícia, a fazer os disparos.(Foto: Reprodução/Facebook)Uma das denúncias diz que a motivação teria sido religiosa. O pai de uma das estudantes feridas disse, em entrevista à rede CNN, que a filha revelou, antes de entrar em cirurgia, que o jovem atirador questionou a opção religiosa das vítimas antes de abrir fogo.

As vítimas contaram que o atirador pediu que os evangélicos ficassem de pé e, quando se levantaram, ele teria dito: "Se você é evangélico, você vai ver seu Deus em um segundo", contou o pai. Atirador matou ao menos 10 pessoas em ataque(Foto: Reprodução/Youtube)Segundo relatos de parentes, os sobreviventes disseram que ele atirou à queima-roupa contra o professor que estava na sala de aula e, depois, em direção a alguns alunos. Quando Harper começou a disparar, os estudantes deitaram-se no chão.

Ele deu então uma pausa para recarregar a pistola, antes de mandar que os evangélicos se colocassem de pé e atirar novamente. A identidade de Harper foi divulgada ontem (1º) à noite. Ele tinha grande quantidade de munição e várias armas e, além disso, usava colete à prova de balas.

Segundo as declarações da polícia, o atirador abriu fogo em pelo menos duas salas de aula, em prédios diferentes da faculdade. A polícia chegou ao local depois de receber uma chamada de emergência por meio do serviço 911. Houve troca de tiros entre Harper e policiais.

De acordo com o Departamento Policial do Condado de Douglas, mais de 100 agentes foram enviados ao instituto. O presidente Barack Obama fez um pronunciamento ontem na Casa Branca e voltou a pedir mudanças no controle de armas. O discurso foi considerado um dos mais emotivos que ele já fez em quase dois mandatos presidenciais.