Vaticano dispensa padre após ele revelar ser gay e apresentar companheiro

Krzystof Charamsa pediu que Igreja Catolica altere sua posição sobre homossexualidade

Publicado em 3 de outubro de 2015 às 14:59

- Atualizado há 10 meses

Padre Krysztof Olaf Charamsa (esquerda) em entrevista ao lado do parceiro (Foto: TIZIANA FABI / AFP)O Vaticano dispensou neste sábado (3) um padre da Santa Sé depois que ele assumiu ser gay e afirmou ter um companheiro um dia antes do início do sínodo sobre a família. O monsenhor Krzystof Charamsa, 43 anos, foi destituído de sua posição na Congregação para a Doutrina da Fé, braço doutrinal do Vaticano, depois da revelação feita para a imprensa. Ele trabalhava na Santa Fé desde 2003.Krzystof reuniu jornalistas onde apresentou seu companheiro, um espanhol, e ativistas gays para pedir que a Igreja Católica altere sua posição sobre a homossexualidade.Padre Krysztof Olaf Charamsa (esquerda) em entrevista ao lado do parceiro (Foto: TIZIANA FABI / AFP)Segundo a agência Reuters, o Vaticano disse que a demissão de Charamsa não tem relação com seus comentários sobre sua situação pessoal, que afirmou “merecer respeito”.O Vaticano afirmou, porém, que ter dado a entrevista foi “grave e irresponsável”, por conta do início do sínodo, em que bispos vão discutir questões sobre a família.O Vaticano disse que as ações do padre sujeitariam o sínodo, que o Papa Francisco deve abrir no domingo, a “pressão da mídia indevida”.