41% dos bombeiros enviados do RJ para o interior Bahia estão com covid-19

salvador
03.01.2022, 05:10:00
Bombeiros partem do RJ para a Bahia na quarta-feira (29). É possível notar que todos estão sem utilizar máscaras (Foto: Ricardo Cassiano/Divulgação CBMERJ)

41% dos bombeiros enviados do RJ para o interior Bahia estão com covid-19

Os 19 agentes do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro cumprem quarentena em Vitória da Conquista desde sábado (1)

As chuvas torrenciais que atingiram o extremo-sul, sul, centro-sul e sudoeste da Bahia mobilizaram esforços de grupamentos militares de todo o país. No sábado (1), porém, 19 dos 46 bombeiros que vieram do Rio de Janeiro prestar ajuda na região de Vitória da Conquista testaram positivo para o coronavírus. Todos os infectados estão de quarentena em um hotel na cidade. 

Os bombeiros receberam os resultados dos testes no sábado (1) de noite. Uma equipe médica prestou os primeiros atendimentos ainda no alojamento em que eles se encontravam. Na mesma noite, o local passou por um processo de desinfecção e os militares foram transferidos para o hotel. Alguns deles apresentam sintomas leves, como febre, e outros estão assintomáticos, mas todos passam bem, de acordo com o comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro (CBMERJ), Leandro Monteiro. 

A Secretaria Municipal de Saúde de Vitória da Conquista (SMS) explicou que, na manhã de sábado (1), recebeu uma solicitação de avaliação de bombeiros que apresentavam sintomas gripais. Um farmacêutico foi então encaminhado para fazer a testagem de 12 pessoas inicialmente. A princípio, nove deles tiveram diagnósticos positivos. 

Embarque dos agentes do corpo de bombeiros do Rio de Janeiro para a Bahia, na quarta-feira (29). Nenhum deles utilizava máscaras (Foto: Ricardo Cassiano)

Considerando os contatos e interação da tropa, a SMS e a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) decidiram realizar testes em todos que estavam no alojamento. Então foram detectados 19 casos positivos. Nesta segunda-feira (3), novos testes de RT-PCR serão realizados nos demais que não tiveram diagnóstico, considerando a janela imunológica e tempo de incubação do vírus, segundo a prefeitura de Vitória da Conquista. 

O tenente-coronel Valdir Ferreira, designado para coordenar a operação de assistência aos infectados, afirma que alguns deles estão sozinhos e outros em duplas, no hotel: “Os bombeiros estão sendo acompanhados, monitorados e assistidos pela equipe médica do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia e da saúde estadual e municipal”.

Os 19 militares chegaram na Bahia na última quarta-feira (29) e agora estão se alimentando nos quartos, além de terem recebido kits com analgésicos e máscaras. No domingo (2), uma equipe de médicos, enfermeiros e auxiliares foi enviada,  por meio de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), para reforçar os cuidados aos diagnosticados, de acordo com o CBMERJ.

O imunologista e professor da Universidade Federal da Bahia, Celso Santana, explica que o tempo de incubação do vírus é normalmente de cinco a 12 dias, mas que pode chegar até 15. Por isso, é possível que os bombeiros tenham embarcado no Rio de Janeiro contaminados, uma vez que os sintomas podem demorar para aparecer.

Ainda de acordo com Celso, é imprescindível que esses agentes tenham vindo para a Bahia com o ciclo de imunização completo: “Bombeiros não devem vir combater enchentes sem estarem vacinados”. O CBMERJ não informou se os militares foram testados antes de viajar e nem se todos estão vacinados. 

O imunologista ressalta ainda que todos que tiveram contato com os infectados devem fazer testagem entre um a seis dias: “Eles devem ser acompanhados por uma equipe médica para saber quando os testes devem ser feitos, levando em consideração a janela imunológica”.  

Celso Santana afirma que é estrategicamente impossível testar todas os moradores que tiveram contato com os agentes, mas que mesmo os bombeiros que testarem negativo devem “trabalhar com o máximo de rigor, como se estivessem em zona de risco”. O médico lembra que o Brasil também enfrenta uma epidemia de gripe, que pode confundir o diagnóstico da covid-19.

“O surto de gripe praticamente começou no Rio de Janeiro e, além disso, vivemos em um momento de muita insegurança. Os dados sobre contaminados não são confiáveis desde o ataque hacker que o Ministério da Saúde sofreu”, diz.

A princípio, os bombeiros voltariam no domingo (2) para o Rio de Janeiro, em um avião do governo de Minas Gerais. Com apenas dez lugares, a aeronave teria que fazer dois voos. No entanto, o governo da Bahia disponibilizou a hospedagem e eles ficarão no estado até cumprirem todos os protocolos sanitários. 

No grupo dos bombeiros enviados estão especialistas em desastres, salva-vidas, operadores de embarcações e profissionais de atendimento pré-hospitalar. Além dos agentes, o governo do Rio enviou à Bahia 20 embarcações, materiais para socorro em inundações e soterramentos. Também vieram prestar ajuda nos municípios atingidos pelas chuvas bombeiros de oito estados e do Distrito Federal. 

Bombeiros atuam em regiões afetadas pela chuva no interior da Bahia

(Foto: Mateus Pereira/GOVBA)

A prefeitura de Vitória da Conquista e o governo do estado foram procurados pelo CORREIO para informar se moradores que tiveram contato com os militares serão testados para o coronavírus, mas nenhum dos dois informaram. O Corpo de Bombeiros da Bahia e o do Rio de Janeiro não souberam precisar em quais municípios os agentes atuaram. 

De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela SMS de Vitória da Conquista, no domingo (2), a cidade já soma 36.043 infectados e 633 óbitos desde o início da pandemia. No final de semana, 479 casos suspeitos de covid-19 aguardavam resultados dos testes. A taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), no sábado, era de 55,2%.

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas