5 atitudes não óbvias para ampliar a produtividade e diminuir a ansiedade no dia a dia

vanessa brunt
20.05.2020, 05:00:00

5 atitudes não óbvias para ampliar a produtividade e diminuir a ansiedade no dia a dia


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Em tempos de isolamento social, a ansiedade cresce e a tentativa de manter a produtividade em dia (ou ainda maior) pode fazer com que as tensões só aumentem. Há alguns anos, sofri com fortes crises de ansiedade, as quais faziam o meu corpo tremer durante o sono, causando o que pareciam convulsões.

Passei, então, a melhorar exponencialmente após começar a fazer atividade física, a cuidar melhor da alimentação, a priorizar os meus horários combinados para o lazer e, agora, estou também buscando fazer ioga e aprender, com ela, técnicas para respirar melhor (o que também é de grande ajuda).

Mas todos esses pontos acabam sendo clichês para quem pesquisa sobre o tema e quer encaixar outras atitudes práticas no cotidiano que possam ser realmente úteis. Para que possamos nos ajudar ainda mais, separei, portanto, algumas outras indicações que ficam mais fora do óbvio e que têm me feito lidar cada vez melhor com a rotina nesses tempos de crise.

Esses macetes não servem apenas para essa fase delicada, mas também para todas as outras da vida. Confira as dicas para aguçar a sua criatividade sem deixar de cuidar da sua saúde mental:

Veja também: 5 dicas para melhorar o estudo ou o trabalho dentro de casa

1. Organização de horários fora dos clichês: saiba a diferença entre relaxar e descansar, faça primeiro as atividades mais pesadas e separe um momento para cumprir desafios de criatividade

• Deixe as coisas mais "pesadas" para serem feitas primeiro no seu dia: como as partes mais puxadas do trabalho ou as leituras de informações mais densas, tensas e/ou tristes. Tente resolver os piores e/ou mais demorados problemas logo nesse início dos afazeres. Se quiser ter alguma conversa mais delicada com alguém, por exemplo, faça logo nesse começo. Isto vai fazer com que você possa digerir as ideias durante o resto do dia inteiro, enquanto produz as outras coisas. A ideia de ainda precisar fazer algo maior e mais trabalhoso no meio ou no fim do dia só vai gerando mais ansiedade enquanto resolve outros assuntos (o que pode atrapalhar em todos eles). Seguir esse tipo de organização é algo que pode ajudar não somente para que tenha mais insights (já que quando estiver produzindo algo mais leve, estará com esses outros conteúdos sendo trabalhados internamente com menos agonias e mais espaço para criar), mas também para que possa terminar o dia mais leve, com menos tensão – o que vai ajudar a ter uma qualidade de sono melhor.    

• Lembre que relaxar e descansar são coisas diferentes e que ambas precisam ser feitas todos os dias. Descansar é parar para dormir por exemplo, é fazer o corpo parar, é repor as energias de formas mais óbvias. Ter um bom descanso é claramente fundamental, mas relaxar também é fundamental. O relaxamento tem a ver com o descanso da mente e muito está conectado com o lazer. Assistir a um filme, jogar um game e ficar um pouco longe do celular enquanto está lendo uma boa trama são algumas possibilidades. Descubra o que realmente serve de lazer para você ao ponto de tirar a sua cabeça do lugar onde está e te levar para outro mundo. Reserve um momento do dia para isso. Ah, e em todas as semanas, não deixe de ter ao menos um dia totalmente livre de qualquer obrigação.

• Falando em lazer, lembre de encaixar nele coisas criativas, interativas e novas. Crie uma meta para isso (por exemplo: ao menos uma vez a cada 15 dias tentarei algo novo). Se você gosta muito de assistir filmes, mas não tem o costume de usar jogos de tabuleiro, nesse dia você iria tentar a diversão com os jogos de tabuleiro. A próxima coisa da minha lista, por exemplo, é a tentativa de ir para o mundo dos videogames e de universos com RPG, que não são nada costumeiros para mim. Isso vai me conhecer conhecer novos formatos e novas narrativas, o que pode ajudar a novas soluções e mais maneiras de estimular o cérebro.

 • Outro detalhe interessante para aguçar a criatividade e, consequentemente, a produtividade diária, é persistir para produzir coisas novas. Quando temos a obrigação de criar, querendo ou não isso pode fazer com que coisas surpreendentes sejam feitas, porque o nosso cérebro vai tentar achar saídas e soluções que não tentaria normalmente. Ter a 'obrigação' de postar frases quase que diariamente no meu Instagram faz com que eu acabe escrevendo mais. Não significa que você deve forçar a barra e tentar ultrapassar os limites da sua saúde mental, mas sim tentar uma disciplina diferenciada; por isso, não é algo que precisa ser feito em todos os dias. Reserve um ou mais dias da semana (como sentir que fica melhor dentro da sua realidade) para cumprir alguns desafios que estimulem o seu poder de criação para além do que já fizer cotidianamente. Na lista com dicas de escrita criativa que já deixei aqui na coluna, é possível encontrar alguns deles. Pesquise desafios de escrita (ou outros) pela internet.

2. Sentido inverso: não anote somente o que vai fazer no dia, mas também vá escrevendo tudo o que está fazendo aos poucos

Temos o costume de falar sobre checklists, a famosa lista de afazeres. Ele é sim importante, tanto a de afazeres diários como as de metas maiores para o ano, para o mês e/ou para a semana. Mas olhar para essa lista com tudo o que precisamos fazer no dia pode ser algo que crie ainda mais ansiedade e bloqueios criativos, principalmente quando a noite (ou o horário de finalizar os trabalhos) começa a chegar e algum ponto do compilado ainda não foi cumprido. Como, então, resolver?

Não precisa anular a lista de afazeres, mas faça também uma lista inversa. Ou seja, vá anotando tudo o que for realizando, mesmo quando forem 'pequenas coisas' (como arrumar o armário, lavar a louça ou escrever sobre uma ideia extra). Quando a parte de obrigações do seu dia for chegando a o fim, olhe para essa lista inversa e veja que fez muito mais do que imaginava e que pode se cobrar menos. Se algo da listagem principal ficar faltando de ser cumprido, jogue para a organização do dia seguinte, mas não deixe de analisar o quanto fez para além dessa própria checklist endurecida.

É bacana, inclusive, também incluir os momentos de pausa/lazer nesse compilado ao inverso. Lembre que pausar também é estar fazendo e que nesses momentos você vai estar fazendo algo que não somente é importante para a sua saúde mental, mas que também ajuda a ter a sua criatividade estimulada.

OBS: se não tiver tempo ou condições de ir anotando tudo aos poucos, tente ao menos lembrar de todos os pontos (mesmo desses que parecem mais bestas) e faça essa lista ao fim do dia antes de olhar para a outra (de afazeres).

3. Conte as suas ideias para outras pessoas, descubra como sair da sua bolha e não pergunte o que as pessoas acharam, mas sim o que sentiram

• Muita gente tem medo de contar ideias para outras pessoas. Seja por receio de possíveis cópias ou seja por medo da rejeição, mas esse é um dos piores erros que alguém criativo pode cometer. É óbvio que, a depender da ideia e do caso, vale a pena registrar o que foi pensado (seja na Biblioteca Nacional, em um orgão competente ou até em um e-mail, com data, ou em um post mais privado pela internet), mas compartilhar isso com outras pessoas pode ajudar no processo de criação. Enquanto você explicar a ideia, mais ideias dentro daquilo vão surgindo. Se você escreveu um livro, pode falar apenas um pouco da sinopse dele, por exemplo, e ir respondendo sobre dúvidas que ficarem para a pessoa com a qual está falando (é mais uma maneira de 'proteger a sua ideia', mas sem deixar de falar sobre ela).

• Além disso, as respostas dos outros não precisam ser tomadas como verdades absolutas, mas devem sempre gerar reflexões. Tente pensar com o olhar daquela outra pessoa e veja o que mudaria ou acrescentaria na sua ideia para encaixar também essa visão de mundo dela. "Não é enxergando o que ninguém vê que fará o diferencial. É entendendo ângulos que ninguém pensou sobre aquilo que todo mundo viu." (frase do meu livro Entre Chaves). E para entender, de fato, o que aquele indivíduo pensou da sua ideia, não pergunte o que ele achou dela, mas o que ele sentiu com ela e o que ele iria querer fazer com ela, por exemplo. Formule questionamentos assim, que envolvam mais o lado emocional e não sejam tão abrangentes.

•  E nada de falar sobre os assuntos apenas com quem tem intimidade/proximidade (sejam as ideias ou as reflexões geradas por algum filme ou outra arte que conferiu). Saia da sua bolha. Entre em grupos do Facebook que sejam ativos e sobre temas diferentes, interaja com quem está nas suas redes sociais e envie perguntas. Se está criando uma ideia para quem mora sozinho, por exemplo, entre em grupos de pessoas que estão nessa empreitada da vida e deixe perguntas para elas sobre algo que tenha a ver com as ideias ou os questionamentos que têm. Abra horizontes.

4. Separe dois cadernos ou bloco de notas: um para insights e outro para o seu diário de bordo. Também descubra as artes que te inspiram e faça anotações encaixando na sua realidade.

• Escrever à mão sempre me ajudou a captar melhor as minhas próprias ideias. Há a rasura visível (que não há com um 'delete'), há o tempo que se demora para escrever uma palavra enquanto vai pensando na outra, há todo um processo que costuma estimular a criatividade ainda mais do que sair digitando. Mas, percebi que quando tenho ideias corriqueiramente, e que sequer vou desenvolver de fato naquele instante. Ter o celular ao meu lado acaba me fazendo querer escrever logo nele do que ir procurar o meu caderno e a minha caneta para anotar a ideia ou a reflexão que tive naquela hora. Então, um ponto muito importante é esse: escolha as melhores maneiras para você e separe um único meio para deixar ideias soltas. Se for no bloco de notas, deixe as ideias em uma única parte dele, porque, no fim, quando voltar a essas ideias, verá as outras ali e poderá conectá-las. Tente também, ao fim do mês, passar as melhores para o papel e desenvolvê-las nele.

• Anote de tudo. Desde uma ideia brilhante que teve para o trabalho até aquela reflexão louca que entendeu sobre o final daquela série de TV que maratonou. Tudo, no fim, para se somar e gerar uma ideia só para algo incrível. Deixe frases soltas, parágrafos e o que mais for. E lembra daquele dia em que vai parar para resolver desafios criativos? Pare nesse mesmo momento para reler essas ideias deixadas e tente desenvolver um pouco mais sobre alguma (assim como tente conectar algumas das que já estão ali).

• Além disso, é sempre importante lembrar que criatividade é sobre repertório. Portanto, assista vídeos no YouTube, devore filmes, leia livros sobre temas que gosta e tente absorver o máximo de arte e de conteúdos possível. Descubra as que mais te inspiram, mas tente também sair da zona de conforto. Se ama maratonar séries, que tal ler o roteiro de alguma delas na internet? Como falei mais acima, tente captar diferentes formatos. E sempre que terminar de assistir algo ou de ler algo, anote as mensagens que pôde captar daquela arte.

• Ainda que tenha separado o seu espaço com ideias soltas, é bacana também que organize, em um caderno ou outro canto separado, uma lista das artes que conferiu naquele mês. Ao fim do mês, reveja quais foram e relembre as principais mensagens de cada (deixe-as em tópicos nas anotação). Isso vai fazer com que acabe conectando ainda mais ideias ou que possa fazer um certo tipo de releitura (o que sempre gera uma forma nova de entender algo). Nessas anotações, sempre tente também fazer algumas encaixando o que refletiu na sua realidade ou na realidade de pessoas que conhece. Exemplo: se a personagem tal fosse da minha cidade, como isso seria?

• Também tente, ao fim de cada mês ou semana, preencher um pouco do seu 'diário de bordo'. Já falei um pouco sobre a importância dele na lista de 5 coisas que você tem feito errado e ninguém te falou.

5. A hora de dormir e a hora de acordar: tente fazer isso mais de uma hora antes do necessário

• Ainda que deixe para fazer as coisas "mais pesadas" logo no início do dia e que tente acordar o mais cedo possível (o que vai ajudar a deixar a sensação de um dia mais produtivo), já iniciar a sua rotina bombardeando a mente com informações não é uma boa saída (ainda mais para os realmente ansiosos). Por isso, é bacana que tente acordar ao menos uma hora antes do horário previsto para começar os seus afazeres diários. Deixe essa uma hora para o seu café da manhã e para mais nada. Não inclua atividades físicas nela (deixe um horário já reservado para isso, e de preferência que seja uma das primeiras coisas a se fazer, afinal, fica dentro da lista de coisas mais pesadas). Use essa uma hora para 'fazer nada', para ir acordando, se alimentando sem pressa (lembrando que o café da manhã é a refeição que precisa ser a mais reforçada) e ligando a mente aos poucos. Isso dá um gás diferenciado para que, quando comece a fazer suas atividades, sinta que 'já teve tempo suficiente para ter procastinado'.

• Não esqueça também de seguir os horários combinados da maneira mais firme possível. Se é para trabalhar até às 18h, vá até às 18h. É óbvio que temos que ser flexíveis, mas isso é fundamental para que possa não somente ter os momentos de lazer, mas também para que tenha as horas 'de digestão' de tudo o que houve no seu dia antes de começar a se preparar para dormir.  

• E, falando em dormir, também tente deitar na cama ao menos uma hora (ou meia hora) antes do horário em que realmente precisaria estar dormindo. Tente, nesse tempo, ir vendo coisas mais leves e que destraem a mente. Assistir episódios curtos de séries levinhas (como Friends, The Bold Type ou Jane The Virgin) são uma boa. E não esqueça de diminuir o brilho do celular ou de qualquer tela nesse momento. Confira, inclusive, dicas que ajudam a ter um sono melhor.

EXTRA: não deixe de conferir aplicativos e sites que podem te ajudar a ter um dia mais produtivo.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas