7 vinhos com a cara do verão

paula theotonio
16.01.2022, 05:10:00

7 vinhos com a cara do verão

A gente já falou aqui sobre como o vinho servido na temperatura errada pode ficar intragável. Mas há vinhos que suportam uma temperatura mais baixa sem perder seus aromas ou sabores, e eles são perfeitos para o verão. Confira alguns estilos e regiões que vão fazer bonito nos meses mais quentes do ano:

  1. Vinho Verde: a região de paisagens esverdeadas mais ao Norte de Portugal produz um dos vinhos brancos mais amados do Brasil. Há diferentes estilos: podem ser levemente frisantes ou mais complexos. Mas na maioria dos casos, eles têm a acidez refrescante e um toque floral que precisamos para enfrentar as altas temperaturas. Indico desde o Quinta do Ameal Bico Amarelo (a partir de R$ 65) ao Dona Paterna Alvarinho Monção & Melgaço (cerca de R$ 170). A uva Alvarinho é emblemática e tem resultado em excelentes exemplares fora de Portugal. O brasileiro Miolo Single Vineyard Alvarinho 2021 é um destaque. Sirva entre 8 e 12 ºC.
  1. Rosé de Provence: Paixão mundial! Os vinhos dessa região, localizada no Sudoeste da França e às margens do Mediterrâneo, tendem a ter aromas de frutas vermelhas, como morango; pêssego, um toque floral e acidez destacada. A tonalidade fica entre o salmão ou casca de cebola. Gosto bastante do Calvet Côtes de Provence Murmure de Rose (a partir de R$ 130). Sirva entre 8 e 10 ºC.
  1. Beaujolais: Esta região, localizada ao sul da Borgonha, na França, faz vinhos incríveis a partir da uva Gamay. Assim como em Vinho Verde, o estilo muda bastante: os Beaujolais AOC e Beaujolais Village AOC são mais jovens, leves, frutados e frescos. Gostei MUITO do Louis Latour Beaujolais Village (a partir de R$ 135). Já os Crus, (10 ao todo), têm mais intensidade e alguns podem envelhecer por anos! Sirva seus bojôs mais levinhos a 13 ºC.
  1. Barbera d’Asti: A Barbera é uma das estrelas do Piemonte, na Itália; e produz vinhos bem frutados, de acidez alta e nível médio a baixo de taninos. São muito facinhos de beber e, quando têm pelo menos um rápido estágio em madeira, ganham aromas de cedro, baunilha e pimenta. São interessantíssimos! Eu indico de olhos fechados o Ricossa Barbera D´Asti DOCG 2019 (R$ 126,90 na Grand Cru), que tem esse toque de baunilha e um pouco mais de corpo. Sirva a 16 ºC.
  1. Prosecco: Para fazer drinks, como o Bellini, ou para beber em dias bem quentes, os Proseccos fazem muito bonito! São leves, cremosos, vibrantes e têm aromas de mação e melão. Você pode apostar nos originais, provenientes de algumas cidades no Nordeste da Itália, ou se aventurar na produção nacional. Eu adoro o da Don Guerino! Sirva a 6 ºC.
  1. Pétillant Naturel: Estes espumantes ancestrais (também chamados carinhosamente de pét-nat) são frescos, menos alcoólicos, com borbulhas singelas, de boa acidez e, geralmente, surpreendentes. Podem ser levemente doces ou secos. A cena de vinhos naturais no Brasil tem brilhado com esse estilo e vale a pena provar o Faccin Patinete (R$ 139). Orgânico e natural, tem cor amarelo-palha, aromas complexos de açafrão e melão maduro. No paladar é seco, com toque de laranja, flor, nuances minerais e de pimenta branca.
  1. Vinhos em lata, vendido em taça e growler: Mais que falar em região produtora, cabe falar em embalagem. Vinhos em lata brasileiros, como os produzidos pela Somm e pela Arya; as taças de acrílico da Jolie, marca de espumantes do Vale do São Francisco; além dos growlers da Tão Longe, Tão Perto, são pedidas para um verão mais solto e descontraído.

(Fotos: Divulgação)
(Fotos: Divulgação)

PROMOÇÃO
É tempo de aproveitar, até 11 de fevereiro, o Bota Fora da World Wine — com seus descontos de até 60%. Para beber já, indico o Bouchon País Viejo 2020, de R$ 133 por R$ 66,50; e o bojô G. Duboeuf Château des Capitans Juliénas 2018, de R$ 228 por R$ 159,60. Para mais informações, acesse www.worldwine.com.br.

A Grand Cru, inclusive em suas lojas de Salvador, tem uma seleção de vinhos ideais para o verão com até 20% OFF. Nas compras acima de R$ 1.500 você pode ganhar uma cooler bag a e uma canga exclusiva em parceria com a Scarf Me. Atenção para o San Marzano Tramari Primitivo Salento IGP 2019, um meio seco bastante fresco e versátil; e o Leyda Pinot Noir Reserva 2020, por R$ 92,72.

QUEIJOS & VINHOS
Para celebrar o Dia Nacional do Queijo, que acontece em 20 de janeiro, a Evino realizará uma aula on-line e gratuita sobre harmonização de queijos e vinhos. O curso terá início às 20h e será ministrado pelo sommelier Vinicius Santiago, com transmissão ao vivo no canal do YouTube. Para garantir a sua vaga, é só fazer a inscrição no site da Eventbrite.

VINHO EM TAÇA
Pegue o cartão de vacinação e vá ter uma experiência bacana na Adega Terroir, localizada na R. Fonte do Boi, no Rio Vermelho. A loja de vinhos, que se destaca pela sua seleção de rótulos naturais, orgânicos, biodinâmicos e de baixa intervenção, agora abre às segundas. Outra dica é aproveitar o projeto Terroir na Taça: por apenas R$ 50, o enófilo prova três taças de três vinhos diferentes e pré-selecionados pelas sommelières da casa (um branco, rosé e tinto).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas