A noite da Perigosinha: Claudia Leitte canta, rebola e brinca com fãs no Festival Virada 2020

salvador
28.12.2019, 23:50:59
Atualizado: 29.12.2019, 01:02:29
Claudia Leitte cantou em português, espanhol e inglês no palco do Festival (Arisson Marinho/CORREIO)

A noite da Perigosinha: Claudia Leitte canta, rebola e brinca com fãs no Festival Virada 2020

Cantora mostrou novas músicas e antigos sucessos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Dois dias antes de subir ao palco do Festival Virada Salvador 2020, a cantora Claudia Leitte disse em entrevista ao CORREIO, que quer cantar por muitos anos no evento que, segundo ela, ‘já faz parte do coração de todos nós’. “Eu amo esse lugar e poder cantar, dançar e festejar ao lado de tanta gente alegre e que gosta de ver o lado bom da vida assim como eu”, declarou a loira ao jornal. 

Pois na abertura do seu show, na noite deste sábado (28), a cantora mostrou que animação e alto astral não lhe faltam. Claudia, vestindo um body dourado com franjas, entrou no palco ao som do axé pulsante ‘Claudinha Bagunceira’. Na sequência, emendou os sucessos ‘Dekole’, ‘Largadinho’, ‘Baldin de Gelo’, ‘Taquitá’ e ‘Bandera’.

(Arisson Marinho/CORREIO)
(Arisson Marinho/CORREIO)
(Arisson Marinho/CORREIO)
(Arisson Marinho/CORREIO)
(Arisson Marinho/CORREIO)
(Jefferson Peixoto/Secom)
(Jefferson Peixoto/Secom)
(Jefferson Peixoto/Secom)
(Jefferson Peixoto/Secom)

Pouco antes de começar o show, Claudia Leitte conversou com a imprensa nos bastidores  e aproveitou para contar o que sonha para 2020: “Eu quero que a gente se olhe mais no olho, para produzir mais vida”. 

Leia mais: Relembre a primeira noite do Festival Virada Salvador 2020

A cantora também falou sobre sua relação com o palco e com os fãs: “Fã para mim é extensão da família. Meu trabalho, o que eu faço, implica em ser realizada. Eu não posso subir naquele palco pra 'matar um frango', como a gente diz, a grosso modo, quando a gente vai pra matar um cachê. Eu vou pra ser feliz. A gente nunca sabe o que vai acontecer no minuto seguinte. Eu estou aqui pra dividir o melhor que eu tenho com vocês. Eu sempre fiz isso”. 

Cantora vestiu um body dourado com franjas
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Os planos da loira para o ano novo são trabalhar e ser feliz. Atualmente, ela divulga as músicas do álbum Bandera, que traz canções também em espanhol e inglês. Algumas das músicas foram apresentadas no show deste sábado. Ela também resgatou os grandes sucessos da carreira como ‘Cai Fora’.

A cantora acrescentou ainda que o show no Festival  e o novo álbum são repletos de músicas para diversão, como é o caso de ‘Perigosinha’, que ganhou um vídeo com a cantora Anitta dançando. No palco, ela disse que a roupa escolhida para o show era uma referência à letra da canção. “Hoje eu estou perigosinha”.

Também brincou com os fãs e perguntou se alguém ali já havia passado do limite com a bebida, confessando que adora cerveja gelada: “meus fãs sabem, gosto mesmo é de cerveja”.

Entre uma música e outra, Claudinha conversava com os fãs e elogiava o entusiasmo do público: “Vocês são os grandes responsáveis por a gente ter as melhores festas do planeta, com diversidade de verdade, sem fazer esforço”, afirmou, referindo-se ao Carnaval e à musicalidade do soteropolitano.

No show ela ainda resgatou 'Paquerei', do grupo É o Tchan, e requebrou até o chão ao som do ‘pagode das antigas’, levando o público ao delírio. Também homenageou o Olodum com ‘Nossa Gente (Avisa Lá)’.

Cantou com Danilo Moreno e Marta Lan, vocalistas da banda Filhos de Jorge, e exibiu o videoclipe da canção ‘Então Vem Cá’,  que interpreta com Mano Walter.

Fã de Claudinha desde os 13 anos, Fabiola da Paz Silva, 23, trabalha em restaurante e foi ao Festival apenas para ver a musa. “Tudo em Claudinha é mágico.  A música, a vibração,  o figurino...Ela é  diva e não abro mão”, disse.

Inês Santana, técnica em enfermagem, 45, também curte a cantora desde os tempos de vocalista da banda Babado Novo. Ela chegou às 18h para curtir Claudinha. A filha cochilava sentada, mas ela não arrredou pé até ver a loira. “Não me lembro quando não gostei ou não curti uma canção e hoje, mesmo com minha Giovana morrendo de sono, não arredaremos pé daqui”.

O  show de Claudia Leitte começou pouco depois das 22h. A cantora foi a terceira atração da noite, depois de Iza e Vintage Culture. Depois dela ainda cantaram Bell e Xand Avião, que fechou a noite, que teve ainda os pocket shows de Ubunto, Old Boys, Yan e Lucas Banco.

*Com informações de Carmen Vasconcelos e Gabriela Cruz

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas