À procura de um crush? Veja dicas para você arrasar no Tinder no Dia dos Namorados

em alta
12.06.2019, 12:00:00
Atualizado: 12.06.2019, 13:37:53
Elias e Ledy se conheceram por meio da plataforma (Foto: Arquivo Pessoal)

À procura de um crush? Veja dicas para você arrasar no Tinder no Dia dos Namorados

Foto sorrindo aumenta suas chances de match em até 14%, diz plataforma

Se para quem tem um mozão, o Dia dos Namorados é sinônimo de abracinhos, carinhos e beijinhos, para os solteiros não convictos a data pode significar maratonas de comédias românticas na Netflix enquanto se lamenta a solidão.

Para quem quer encontrar o tão sonhado 'crush' e recorre à aplicativos de relacionamento, como o Tinder, o CORREIO separou dicas e relatos para ajudar você a ostentar 'matchs' após ler esta reportagem. 

'Lágrimas são meu alimento dia e noite'

Uma dessas insatisfeitas com a solteirice é a jovem Regina Phalange**, 23. Ela diz que tem tanta vergonha de sua carência (e desespero) que nem quis ter seu nome verdadeiro identificado. Ao invés de colecionar matchs com 'boys magia' no Tinder, ela acumula decepções. Regina diz que só aumenta o número de razões para ficar em casa maratonando Friends "enquanto se entorpece com sorvete de creme com cobertura de lágrimas”, dramatiza.

“Às vezes parece que eu sou uma viciada. Entro no Tinder, converso com alguns caras, aparecem até alguns que são gente boa, mas eu sempre acabo perdendo o interesse. Saio com um ou dois, que são bonzinhos demais ou super escrotos. Juro que vou apagar o aplicativo e não voltar mais. Um mês depois, lá estou eu começando tudo de novo. Alguém conhece um grupo para viciados em Tinder anônimos?”, questiona.

Mas esta reportagem não é para te fazer desistir de emplacar Jorge e Mateus na trilha sonora do Dia dos Namorados edição 2020, e não Pablo. Muito pelo contrário. Então, para reacender suas esperanças, dois casais que surgiram após um match compartilham suas histórias.

Amor de Tinder: volume 1

Os primeiros apaixonadinhos a dar dicas de namoro no aplicativo são Elias Malê, 24, e Ledy Moraes, 19. “Tudo começou com um superlike”, narra ele, contando como conheceu sua 'lady'. Ela, de início, não queria nada sério. Mas acabaram conversando sobre o que tinham em comum e também o que tinham de diferente.

Hoje, Malê se diz um grande entusiasta desta maneira mais moderninha que o cupido encontrou para agir.

“As pessoas têm um certo preconceito com o Tinder, olham como se não desse para arranjar algo sério pela internet, ou até mesmo casual. Assim como na rua, no dia a dia, nos aplicativos existirão experiências ruins, até porque são um reflexo da sociedade. Ao mesmo tempo, você também vai achar pessoas legais, pessoas que estão ali como você, querendo algo sério ou algo casual de maneira saudável”, militou.

“No meu caso, por exemplo, o aplicativo foi de grande ajuda, pois, como sou tímido, me ajudou a me sentir mais à vontade. E também tem aquela coisa: a tecnologia te permite conhecer pessoas que não conheceria presencialmente. Às vezes ela não frequenta os mesmos lugares que você, né? Então a tecnologia encurta essa barreira, coloca você e outra pessoa, mesmo distantes, no mesmo ambiente", conclui.

'Lelias' (como o casal é conhecido) está junto há mais de um ano (Foto: Arquivo Pessoal)

Amor de Tinder: volume 2

Já o segundo casal começou sua história lá em 2016. Fernanda Ramos, 21, estava triste e cabisbaixa pois, um ano antes, ela havia terminado o namoro. Solteira desde então, para se recuperar e voltar à ativa no mundo da pegação, a moça resolveu se aventurar pelas bandas do Tinder. Após alguns encontros mal sucedidos, ela conheceu Daniel Muniz, 22.

“De início eu nem dava muita moral para ele. Mas aí Daniel foi insistindo, puxando papo, conversamos. Aí vimos que tínhamos muito em comum. Marcamos de sair e continuamos saindo até hoje. Tanto eu quanto ele somos pessoas que não vão muito para festas e ‘rolês’, em geral. Então só conseguíamos conhecer possíveis crushs no Tinder e, por isso, acho que o aplicativo foi perfeito para nos conhecermos”, conta Fernanda.

Ainda assim, a maneira como ambos se conheceram assusta algumas pessoas. “Quando eu conto para as pessoas que conheci meu namorado no Tinder quase ninguém acredita. Já existe essa imagem de que nada que começa lá tende a dar certo. E até quando eu usava mesmo, antes de conhecer meu namorado, a maioria dos caras de lá aparentemente não queriam nada sério. Só viam aquilo como um divertimento momentâneo. Mas, por alguma razão, comigo deu certo e estamos juntos há dois anos e cinco meses”, comemora.

A história desses pombinhos pode ter feito você pensar: “Que lindos, mas isso nunca vai acontecer comigo. Eu só quebro a cara no Tinder”. Se esse é o seu caso, não se avexe: o estagiário aqui não é cupido, mas vai te dar uma força para chover crush em sua horta. Pegue seu caderninho e fique atento.

Sorria, bê

Primeiro, bote esse sorrisão pra jogo nas fotos. Os retratos que mostram os dentes aumentam as chances de match em até 14%, de acordo com o Tinder. Segundo, os chamados 'Super Likes' estão lá para serem usados. Quando encontrar aquele perfil que possa ser a sua Jenifer, arraste pra cima. Quando esse recurso é usado, as chances da outra pessoa te curtir também aumentam em três vezes. E os papos que começaram através disso tendem a durar 70% mais tempo do que os matchs convencionais. 

Foto: Reprodução

Tire a lupeta

Mas às vezes seu insucesso acontece por coisas que você está fazendo errado. Não coloque muitas fotos com cores neutras (branco, preto, bege e cinza). Você está em Salvador, “meu rei”, coloque seu perfil colorido para chamar a atenção. Mas também não exagere nos óculos escuros. Quando só tem fotos suas com a 'lupa', as chances de alguém te curtir diminuem 12%.

Foto: Reprodução

Largue o doce

Também não deixe o campo para te descrever em branco. Fale sobre você, seus hobbies, as músicas que gosta, se é Bahia ou Vitória, afro. Qualquer coisa que possa fazer com que a pessoa que te curtiu puxe um assunto. E, caso a conversa não flua, mande um GIF, isso aumenta em 30% as chances do postulante a crush te responder.

Foto: Reprodução

Tô pegando no sono, mas queria tá pegando você

Se você quer conselhos de o que fazer para aumentar as chances de conseguir um paquera e finalmente responder que tem alguém quando sua tia perguntar 'Cadê as namoradinhas ou os namoradinhos?', reunimos aqui vários depoimentos de pessoas que usam o “aplicativo do foguinho”, cada uma dizendo o que gosta e o que as broxa quando encontram alguém por lá. 

Tem dicas para (quase) todos: homens e mulheres, heterossexuais ou homossexuais. Assim vocês poderão se dar bem como este estagiário aqui, que perguntou para uma das entrevistadas o que a atraia num perfil do Tinder, e ela respondeu “Sua foto”.

Dicas para homens heterossexuais

  • Natasha Antunes, 23, youtuber 

"Foto: Eu nunca curto se só tiver retrato de óculos escuros. E é importante ver os olhos, pois nele vejo a expressão dela. Também é importante ter várias. Se for uma só, nem curto. Também se for aquelas em frente ao espelho, forçando o braço, passo pra esquerda. É legal malhar e tal, mas no Tinder mostra futilidade. Outra coisa importante: não coloquem todas as fotos com amigos, nunca vou saber quem estou curtindo.

Biografia: Coloque suas reais intenções. Se quer sexo, namoro, um lance... Precisamos saber no que estamos nos metendo. É legal também colocar o gosto musical e conectar com o Instagram.

Conversa: Acho péssimo a famosa frase “o que procura aqui no Tinder”. A resposta é meio óbvia né? Outra coisa chata é falar de ex. Também não usem palavras escrotas com as mulheres, tipo chamar de gostosa. O bom no papo é mostrar interesse pela pessoa, ser engraçado e não mostrar possessividade, como, por exemplo, perguntar 'Por que está demorando para me responder?'"

  • Lorenna Souza, 21, intérprete

"O perfil tem que mostrar uma aleatoriedade, ser divertido, descontraído. A foto tem que estar sorrindo. Me amarro muito em um sorriso espontâneo. Uma descrição ganha meu coração quando tem algo engraçada, mas também não pode achar que está num programa de humor. O papo depende muito da sintonia entre os dois. Não adianta só dar o match pela aparência, tem que rolar a conexão mental. Já os erros que a galera comete é chamar a ex de maluca, perco logo o interesse. Alguns comportamentos machistas também são bem broxantes."

  • Maria Cecilia Senhorinha, 20, designer de interiores

"Quando eu vejo o perfil da pessoa e ela é descontraída, não deixa tudo muito igual ao de todo mundo pra se encaixar e mostra a personalidade mesmo, fico logo interessada. O que me chama atenção primeiramente são as fotos da pessoa, se vejo que a ‘vibe’ é parecida com a minha, dou o like. Se for muito sério nas fotos ou na descrição, já não faz muito minha cara e ai perco o interesse. E, claro, se votou no candidato errado nas eleições de 2018, desfaço o match."

  • Ana Júlia**, 19, estudante

"A pessoa tem que ser legal e bonita também, né? Sempre interessante. É ótimo quando ele conecta o Spotify para ver o gosto musical, é sempre algo para puxar um papo. Odeio descrição curta e frases manjadas. E, claro, sempre é interessante quando a pessoa fala com você puxando um assunto além do convencional "oi, tudo bom?" Fala sobre música, viagens ou algo assim, qualquer coisa. E coloquem fotos sorrindo, sem ser de galera. Fotografias de viagens e de cachorro a mulherada gama."

  • Gabriela Pacheco**, 21, estudante

"Primeiro, na foto tem que ser sorrindo. Quando posta alguma sério, acho bem sem graça. E que sejam retratos que pareçam reais, que não seja só aquela de pose, mas que tenha lugares, família... Que mostre que é uma pessoa real. 

O mais importante é a descrição. Não precisa ser uma super piadista, com trocadilhos. Mas dizer quantos anos tem, se estuda, trabalha, o que gosta de fazer... Isso faz com que a conversa já comece de uma maneira legal, diferente daquele 'oi, tudo bom?'. E isso vale para quem vem falar comigo também. Sempre olhe a descrição da pessoa e puxe o papo a partir disso. É um porre quando vem naquele clichê. Nem respondo. "

Dicas para homens gays

  • João Gabriel, 19, estudante

"Acho que o mais legal num perfil do Tinder é essa possibilidade de descontração que na paquera off-line fica mais difícil. Então nada de colocar na bio os idiomas que fala ou alguma frase de filósofo, um trocadilho infame sempre é a opção mais certeira. Não tem muito um manual do que falar na hora do flerte não. É legal puxar papo com alguma característica do perfil (bio, músicas e etc) e NUNCA, em hipótese alguma, fazer perguntas sobre peso/altura, já que você não vai medir o Índice de Massa Corporal (IMC) de alguém."

  • Ítalo Estevão**, 22, estudante

"Primeiro, antes de tudo, seja sincero com você mesmo. Coloque informações reais sobre você e não bote fotos modificadas, com filtros, por exemplo. Evite colocar seu número de telefone, isso dá margem para pensar que você quer tudo muito fácil, sem ao menos dar match no aplicativo.
Outra coisa! Não seja embuste e antipático. Pense bem se você quer colocar no perfil frases como: "Não me venha perguntando quantos anos eu tenho, onde moro, o que gosta de fazer". As vezes e muitas vezes essa é a única forma que algumas pessoas tem para puxar uma conversa. E o papo, pode até evoluir para algo agradável."

  • Ricardo Neves**, 21, estudante 

"Amo pessoas espontâneas que não ficam no clichê e basicão! Se deixar uma foto só eu já meto um 'Xzão' vermelhão, porqueu não confio. E mostrar seu rostinho é essencial! Nada de piadinhas nas fotos, mesmo eu tendo bom humor, não curto. 

O que geralmente me atrai na pessoa é uma característica marcante. Por exemplo: eu adoro um barbudo ou rapazes que usam óculos com cara de 'retardado fofo'. Não gosto de meninos com cara de bebê, mas curto os novinhos. Ângulos e luzes diferentes ajudam a melhorar as fotos e realçar o que tem de melhor em você, né. Amo variedade."

  • João Costa**, 28, Designer

"Acho que bom humor na descrição do perfil é fundamental, já é uma deixa para iniciar uma conversa bacana. Na hora da escolha das fotos é bom dar aquela caprichada na seleção, pegar as fotos que renderam mais likes no Instagram e tal. Imagem na praia, de uma viagem legal, se tiver algum pet é válido, tatuagem, a depender do lugar, é um “plus”. Durante a conversa é importante não ser babaca e usar a criatividade. Geralmente as conversas acabam morrendo muito cedo... Uma morte terrível."

  • Tomás Pereira, 29, estudante 

"Ter fotos reais, para não vender expectativas além da realidade. Quando estão sorrindo ajudam bastante, mas não precisa ser de sunga na praia. E, claro, sempre com uma boa iluminação. Uma descrição muito básica, muito texto em um App dinâmico como aquele não faz sentido. O match permite conversar. Não precisa ter fotos muito íntimas, o desconhecido faz parte da sedução. Sempre tento quebrar o gelo com bom humor, é fundamental e as pessoas se abrem e de uma forma sincera.

Está evoluindo? Peça o 'Zap'. O App é ótimo pra conhecer, mas péssimo pra conversar. Não permite áudio, nem fotos. Sempre marco primeiros encontros em lugares públicos. Me sinto mais protegido e faço uma análise melhor da pessoa. Se rolar clima, marco um segundo encontro e quem sabe rola algo a mais. E o que mais me incomoda são as pessoas que estão no aplicativo de paquera, mas não querem conhecer as pessoas. Quando as coisas começam a avançar, simplesmente somem."

Dicas para mulheres lésbicas

  • Maena Teixeira**, 22 anos, fisioterapeuta 

"Costumo observar se a foto me chama a atenção. Não tem algum detalhe específico, mas que exista algo me dê vontade de saber mais sobre a pessoa. Não gosto quando a pessoa tem uma foto só, geralmente desconfio. As descrições mais criativas, engraçadas e simples costumam ter mais chances de receber meu like. Se o match acontecer, eu prefiro que a pessoa venha falar comigo, pra ser sincera. Mas, se eu estiver muito interessada, tento puxar assunto (apesar de ser péssima nisso). Gosto de assuntos aleatórios, falar sobre séries, filmes, até porque aquele diálogo clichê é bem chato. É bom também aproveitar a descrição do perfil para motivar os assuntos."

  • Eronildes da Cruz**, 21, estudante 

"O que me motiva a dar like é basicamente o conjunto: uma idade não tão distante da minha, uma descrição bacana, e, principalmente, sorriso. Em relação a foto, não me importo tanto não. Mas acho que várias fotos de ângulos variados para ter uma certeza de que não é uma armadilha já vale. Sobre as descrições, sinceramente? Não sou muito de olhar para elas não. Mas, quando vejo, gosto que seja algo que dê para puxar um papo logo de cara, sabe?  E que dê para identificar se vocês têm algo em comum ou não. Já o papo deve ser leve, descontraído, sem pressa, sem imposição... Tudo muito tranquilo, afinal, você está procurando uma @ ou um emprego? (Não que eu esteja dispensando o job)."

  • Raquel Bastos**, 21, estudante

"Acho que é um conjunto. Gosto muito de saber o que a pessoa faz da vida. Quando não tem muita informação, acho que é fake. Outra coisa que acontece, é que quando não tem nenhuma detalhe, eu não sei como puxar um papo legal. Se for para ter uma conversa chata, só aquele 'oi, tudo bem?', prefiro nem ter.

O que não gosto é quando rola uma cobrança. Por exemplo, as vezes eu esqueço de pegar no celular e aí a pessoa fica mandando várias mensagens seguidas. Quando isso acontece, ignoro totalmente a pessoa, fico assustada. 

Também não gosto de quando a pessoa não tem um papo legal, que encaixe. No Tinder, se deu Match, você já gosta dela fisicamente. Depois dali, é questão da conversa fluir mesmo."

  • Alice Tavares**, 20, atendente de telemarketing

"Eu não sou uma pessoa que tem um tipo definido. Gosto de todas as mulheres, elas são maravilhosas. O que me chama a atenção são as mais 'bofinho', saudades, aliás. Mas, o que realmente me motiva a dar like, é quando eu olho para a pessoa e ela me parece simpática. Sei que isso é muito subjetivo. É importante também ter uma descrição bacana e muitas fotos. Se a menina é MUUUUITO bonita e tem pouca foto eu já fico 'tudo bom?? Claramente fake.' 

E não tem problema com o que ela fale, mas tem que falar. Não sei como acontece com os héteros, mas, no mundo sapatão, as mulheres parecem que dão like e depois esquecem, abandonam. Pode chegar e falar 'quero conversar, bater altos papos'. Tem que ter disposição para dialogar. Se tiver, a gente troca ideia até amanhã."

  • Liliane Carvalho, 21, estudante

"Tem muita gente que vê só a imagem e não a descrição. Eu sempre vejo e é isso que me faz despertar interesse em alguma mulher. Se a pessoa tem apenas as fotos, eu passo direto, mesmo que fisicamente ela me atraia. Tem que descrever alguma coisa, nem que seja um signo ou coisas do dia a dia que elas gostam de fazer. Sobre as fotos, eu não me importo muito. Acho que é tudo um conjunto. Mas sei que, à primeira vista, a aparência é o que impacta. Então eu geralmente gosto de imagens engraçadas, com os animais. Adoro retratos espontâneos, acho muito incrível. 

E o que mais me agrada é quando a pessoa usa algo da minha bio para puxar papo comigo. Por exemplo: uma das coisas que digo nela é que estou à procura de alguém para fazer uma revolução. E aí quando a pessoa chega no privado e fala 'vamo tomar uma cerveja e revolucionar', eu adoro. E o papo tem que ser esse: 'Vamo? Vamo!'. Tem que ser descontraído e rápido também, pois, infelizmente, a gente acaba perdendo o interesse muito rápido no Tinder - entretanto, se o papo for bom e fluir, o interesse só aumenta.

Outra coisa que me atrai muito é mulheres que são empoderadas e mostram isso. Que são ativistas, que estão na luta e se interessam por isso. Quando eu vejo isso na bio de alguém, curto na hora, não hesito. 

E outro erro que a galera comete no Tinder é que às vezes criam um 'padrão' de pessoas, e, muitas vezes, a gente não se encaixa nele."

Dicas para mulheres heterossexuais

  • Matheus Peixinho*, 25, autônomo

"Claro que no Tinder estamos diante de um quase 'cardápio de pessoas', onde, muitas vezes, temos acesso apenas à aparência. O problema é que as vezes a menina não está dentro do padrão que a sociedade impõe, mas há alternativas. Eu mesmo, muitas vezes, já curti e até dei 'Super Like' em mulheres que não acho extremamente lindas, mas que me atraíram pelo seu perfil. Numa rede onde quase todas colocam na descrição apenas um 'Sargitariana, 22' (isso quando botam), as pessoas que escrevem algo diferente chamam a minha atenção - principalmente se for algo engraçadinho.

Então seja criativa em seu perfil, coloque fotos e uma legenda que mostram a sua personalidade. Além disso, o mais importante, deem importância a pessoa quando conversam. Não sejam monossilábicas. Às vezes a pessoa é até legal, mas não está conseguindo puxar um assunto bom com você. Não desistam dela. Afinal, é difícil começar uma conversa com alguém que você nunca viu antes e não sabe nada sobre."

  • Edvaldo, 23 anos, estagiário

"É legal a pessoa ter mais de uma foto e mostrar o seu rosto. Tem gente que cria perfil com foto de desenho animado, aí complica. Além disso, tanto no retrato quanto na descrição é bom ter algo que possa puxar algum assunto. Por exemplo: uma foto praticando esportes ou escrever que gosta de tal banda. Depois do match, eu não me importo se a pessoa demora de responder (eu também demoro). Mas gosto de entusiasmo quando estou conversando. Poucas pessoas mostram isso e é uma das coisas que mais me atrai na pessoa, quando podemos nos animar e brincar conversando até sobre a brisa batendo dentro de casa."

  • Rodrigo Santos, 28, estudante

"O que me atrai em uma mulher no Tinder inicialmente é a beleza, não serei hipócrita. Gosto de você olhar as preferências delas também, para saber e ver se temos algo em comum. A foto tem que estar simples, gosto de simplicidade e nada muito chamativo. Curto mulheres que saibam o que querem da vida, que tenham o mesmo propósito que eu tenho e que corram atrás de crescer, tanto quanto pessoa como profissional. 

Na hora do papo, é necessário deixar as coisas fluírem, ver se o papo é bom e interessante. Beleza é importante, mas não considero fundamental. Gosto de conteúdo! Um bom papo é tudo."

  • Levy Teles, 23, jornalista

“Pô man, o que me chama atenção em um perfil são bios engraçadas e ‘fotos conceituais’. Eu sou uma pessoa de baixas expectativas no Tinder. A amizade e a conversa já bastam - o que vier depois é lucro. Não ser invasivo e agir de forma respeitosa é o básico e o mínimo que se espera de ambos os lados. Gosto de pessoas que conseguem equilibrar humor com conversas com mais nuances, digo, assuntos corriqueiros da vida. Acho que disso você consegue ir sentindo se mais à vontade há possibilidades de mais abertura e coisa do tipo."

  • Daniel Brito, 21, estudante

"Basicamente, a pessoa tem que se apresentar direito na descrição. Não precisa fazer um textão enorme, pois não é Facebook, mas uma descrição rápida de si mesma, mostrando o que faz da vida, a idade, coisas do tipo e, principalmente, deixando claro suas intenções, é super essencial. Frases bonitas clichês não ajudam muito, ao meu ver. Vai que a pessoa não põe em prática nada daquilo?

O essencial da conversa é, claro, não dar vácuos depois do match. É uma frustração muito grande para a outra parte se isso acontece - ainda mais quando ela já vem de muitas decepções anteriores. Quebra a vontade de usar o app. Dado esse passo, acho que é importante demonstrar interesse e não ser monossilábico(a). Responder com três linhas já denota uma grande falta de vontade em manter a conversa, principalmente quando você vê que aquilo não ocorre de forma recíproca

Eu costumo usar as minhas melhores fotos e acho que isso é muito importante como "apresentação". Não tem necessariamente a ver com a aparência exterior, embora ache ainda que, claro, o conceito de 'beleza' varia de pessoa para pessoa. A menina pode ser 'bonita' para mim e não ser para outros. Infelizmente, esse é o padrão que impera. Porém, para mim, uma descrição boa pesa bastante. Deixar o Instagram na descrição também é importantíssimo, e é bom deixar aberto, para curtir as fotos e demonstrar o interesse. "

*Com orientação do editor Wladmir Pinheiro

**Nome fictício


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/atiraram-pelas-costas-e-pisaram-na-cabeca-diz-familiar-de-estudante-morto-pela-pm/
Parentes de João Guilherme, 15, protestaram em sede de CIPM na Cidade Baixa
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/mulher-voa-apos-ser-atingida-por-touro-durante-rodeio-no-ms-assista/
De costas, vítima não viu aproximação de animal durante 'brincadeira'
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/youtube-anuncia-mudancas-na-monetizacao-e-na-producao-de-conteudo-infantil/
Novidades passam a valer em janeiro; canais de pequenos produtores serão os mais afetados
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/jovem-acusado-de-agredir-estudante-em-ondina-vira-reu/
Segundo o MP, Guilherme teria espancado Cayan por vingança  
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/homem-cai-de-passarela-e-e-salvo-por-onibus-em-lauro-de-freitas-assista/
Vítima ficou com ferimento no maxilar e foi resgatada com ajuda de populares
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/oxumare-faz-ato-ecumenico-em-defesa-das-florestas-e-da-tolerancia-religiosa/
Celebração contou com a participação de representantes de cinco religiões
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/antes-de-jogar-carro-contra-caminhao-pai-manda-filho-gravar-video-adeus-mae/
Garoto e o pai, que não aceitava fim de casamento, morreram na batida
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/morre-em-sp-o-cantor-portugues-roberto-leal-aos-67-anos/
O cantor vinha há dois anos tratando um câncer de pele, e teve complicações na última semana
Ler Mais