Ação de Natal leva crianças das Aldeias SOS em busca de Papai Noel

salvador
10.12.2021, 05:00:00
Papai Noel veio de helicóptero porque, segundo as crianças, o trenó estava quebrado (Arisson Marinho/CORREIO)

Ação de Natal leva crianças das Aldeias SOS em busca de Papai Noel

Brincadeira foi promovida pela CCR Metrô Bahia e Salvador Bahia Airport

A magia do Natal encantou 15 crianças da ONG Aldeias Infantis SOS Brasil, que embarcaram, nesta quinta-feira (09), em uma missão especial em busca do Papai Noel. O grupo saiu de uma das sedes da entidade, em Lauro de Freitas, em direção à Estação Mussurunga do metrô. De lá, foram levados para o aeroporto e, depois, transportados até a sede do Grupamento Aéreo da Polícia Militar da Bahia (Graer). Para garantir que a meninada se sentisse em um mundo mágico em todo o percurso, quatro ajudantes do Papai Noel e a Mamãe Noel garantiram a diversão. No destino final, elas finalmente encontraram o ‘bom velhinho’, que chegou de helicóptero para fazer a distribuição de presentes

A brincadeira foi promovida pela CCR Metrô Bahia e pelo Salvador Bahia Airport, com a participação da ONG Aldeias Infantis SOS Brasil. As crianças que participaram do Embarque Encantado tinham entre 5 a 6 anos e estão em situação de acolhimento em casas junto com mãe sociais ou de fortalecimento, quando a entidade atua para prevenir a separação familiar. 

Isabel Oliveira, 51 anos, mãe social da casa de acolhimento em Lauro de Freitas, afirma que as ações lúdicas são imprescindíveis na vida dessa garotada. “A vida deles é construída com marcas, com momentos de felicidade e de tristeza, e são exatamente esses momentos que marcam positivamente. A gente enquanto mãe se emociona junto com eles vendo o olhinho deles brilhando. A gente sabe que isso vai ficar registrado na memória deles para sempre”. 

Segundo Isabel, as crianças estavam ansiosas durante todo o trajeto porque acreditam muito no Papai Noel e a ONG Aldeias Infantis SOS sempre faz alguma ação no Natal para fortalecer esse vínculo e a memória feliz na vida delas. Uma das pequenas no local, Cecília Soares, 6, afirmou que nunca tinha visto o Papai Noel e que havia pedido um kit de cozinha para brincar com os irmãos da aldeia. “Eu amei muito ter visto o Papai Noel, fiquei muito feliz”. 

Meninada andou de metrô pela primeira vez com ajudantes de Noel

(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

A mãe social da casa de acolhimento de Candeias, Patrícia Braga, 45, levou dois de seus filhos para a ação de Natal. Segundo ela, a maioria das crianças nunca viveu uma experiência tão enriquecedora. “Hoje é mais um dia especial dentro das aldeias porque trouxemos nossas crianças e as que fazem parte do fortalecimento familiar para realizar esse passeio. Muitas nunca tinham andado de metrô, ido no aeroporto ou participado de um evento tão importante como esse, tão colorido e cheio de alegria. Na maioria das vezes estão mais tristes do que alegres”, disse a assistente social.

O primeiro personagem que as crianças viram foi o Apressadinho. Como o nome já diz, ele está sempre apressado. No momento que o ajudante chegou ao metrô, correndo entre os vagões com uma música natalina de fundo, os olhos das crianças começaram a brilhar. Apressadinho contou sua história e informou a missão do dia: encontrar o Papai Noel. A segunda personagem, Amora, chegou da mesma forma, cheia de carinho para a criançada. 

Além de Apressadinho e Amora, as crianças conheceram ainda o personagem Faminto. Em todo o caminho pelo aeroporto, não teve quem não prestasse atenção no grupo de crianças e personagens enfeitados com muitos sinos espalhados pelo corpo e cantando. 

Ao chegar na parte de fiscalização, onde as pessoas precisam passar pelo raio-x de segurança do aeroporto, um novo personagem apareceu: o Guardião dos Sonhos, que tinha a missão de fazer com que os pequenos acreditem que estão, na verdade, passando por uma cabine dos sonhos. 

No destino final, as crianças encontraram o Papai Noel e ficaram surpresas e emocionadas ao vê-lo descendo de helicóptero. No final da ação, todas tinham a certeza de que o bom velhinho desceu da aeronave do Graer porque o seu trenó estava quebrado no Polo Norte.

“A iniciativa da ação parte da ideia lúdica, do encanto e do fascínio que a aviação exerce nas crianças juntamente com a magia do Papai Noel. Acredito que elas sempre vão lembrar de ver o bom velhinho chegando pelo ar, voando de fato, porque é muito encantador. E, nesse período de Natal, nada melhor que começar o ano com uma ação que atenda crianças que, às vezes, têm uma carência e encontram nesses projetos a oportunidade de se realizarem e vivenciarem momentos melhores do que a vida por si só pode proporcionar para elas”, afirmou o capitão Victor Fonsêca, piloto e adjunto da comunicação social do Graer. 

Crianças de 5 e 6 anos fizeram fotos e ganharam presentes do 'bom velhinho'

(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

Segundo Jocelyn Cárdenas, gerente de Comunicação, Ouvidoria e Sustentabilidade da CCR Metrô Bahia, participar do Embarque Encantado é poder fazer com que as crianças vivam uma experiência única na vida. “Essa é mais uma visita especial que recebemos e que traduz nosso compromisso de, além de transportar gente, encantar pessoas. Vamos manter a magia do Natal para sempre na memória dessas crianças", disse. 

"Para nós, o aeroporto é um lugar de realização de sonhos. Nos alegramos em contribuir para que essas crianças tenham um Natal inesquecível", destacou Daniela Franco, gerente de Comunicação do Salvador Bahia Airport.

O sentido do Natal

Para Elizangela Santos, pedagoga, psicopedagoga, especialista em gestão, coordenação e orientação escolar, o Natal significa muito mais do que a ceia do dia 24 ou a decoração da casa para receber família e amigos. A data precisa ser um momento também de reflexão e de colocar em prática a empatia e a solidariedade. 

"Em um mundo com tanta desigualdade, onde as pessoas não têm as mesmas oportunidades que outras, a solidariedade é necessária para garantir o mínimo de dignidade para quem passa por dificuldades", afirma a profissional.

Segundo ela, os projetos e ações sociais contribuem para trabalhar a importância da cidadania e consciência social nas crianças. "Trabalhar essa consciência desde pequenos possibilita uma maior responsabilidade social. É importante que a família seja sempre um exemplo nesse sentido, se envolvendo nesses tipos de ações. Assim, se trabalha também o sentido da empatia, solidariedade e amor ao próximo, valores indispensáveis na formação integral de qualquer criança". 

Sobre as Aldeias Infantis SOS Brasil

É uma organização humanitária, sem fins lucrativos, não governamental e independente, que luta pelo direito das crianças, jovens e adolescentes a viverem em família desde 1949. Hoje, a ONG está presente em 137 países.

No Brasil, a entidade atua há 54 anos e mantém mais de 70 projetos, em 31 localidades de Norte ao Sul do país. Ao trabalhar junto com famílias em risco de se separar e fornecer cuidados alternativos para crianças e jovens que perderam o cuidado de suas famílias, a Aldeias Infantis SOS Brasil luta para que nenhuma criança tenha que crescer sozinha.

Na Bahia, a ONG possui unidades em Lauro de Freitas, Candeias e Camaçari. Somente nessas sedes, a entidade atende 65 crianças nos serviços de fortalecimento familiar. 

*Com a orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas