Ação solidária busca doar 300 cestas de alimentos orgânicos a famílias de Canabrava

minha bahia
08.07.2021, 19:56:00
(Foto: Shutterstock)

Ação solidária busca doar 300 cestas de alimentos orgânicos a famílias de Canabrava

Campanha “Solidariedade que conecta” foi idealizada pelo Grupo Gaia Mais

A fome tem feito parte da realidade de muitos brasileiros e, durante a pandemia, o acesso a alimentos de qualidade tem sido um verdadeiro luxo. De acordo com um levantamento feito pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede Penssan), depois de 17 anos em queda, em 2020, a insegurança alimentar cresceu no País, atingindo mais da metade da população. Neste mesmo período, a quantidade de pessoas passando fome chegou a 19 milhões.

Só na Bahia, a fome já matou mais de 400 pessoas durante a pandemia. Desde o início da crise, no ano passado, ao menos 3.795 baianos foram levados a serem tratados em hospitais, com o quadro de desnutrição.

Em reação a esses dados e com base no contexto baiano, um grupo de pessoas se sentiu indignado e passou a promover uma ação solidária para atacar o problema. A campanha “Solidariedade que conecta”, idealizada pelo Grupo Gaia Mais, tem como foco a arrecadação de recursos para a compra e distribuição de cestas básicas com produtos orgânicos de pequenos produtores locais para famílias em situação de vulnerabilidade social do bairro de Canabrava, em Salvador.

Quem quiser ajudar a "Solidariedade que coneta" tem algumas opções. Por exemplo, é possível doar uma ou mais cestas básicas para as famílias beneficiadas, a partir de alguns cliques no site oficial da ação. Outra opção disponível ainda é a doação de um valor livre, que também será revertido em cestas. Os recursos arrecadados serão utilizados para a compra de 300 cestas de alimentos, que serão destinadas às famílias em vulnerabilidade social, atendidas pelas organizações que participam da ação, pelo período de três meses.

Por que Canabrava?
Canabrava é um bairro de alta vulnerabilidade social em Salvador. Ficou conhecida como bairro do lixão, um estigma preconceituoso, que perdura até hoje por ter, desde 73, passado a receber os resíduos sólidos produzidos em Salvador. Tudo isso fez com que a população de Canabrava, nos últimos 50 anos, sofresse com os impactos negativos decorrentes da convivência com o “lixão” da cidade. Com a construção do aterro sanitário fora da cidade, em meados de 2000, o lixão foi fechado. Aproximadamente 1.000 catadores tiravam a sua sobrevivência dos resíduos sólidos do lixão. Parte deles foi capacitada e formou duas cooperativas que funcionam até hoje, a CAEC e a Cooperbrava. Parte dos catadores se integraram às empresas de limpeza urbana. Mas muitas pessoas ficaram desamparadas, o que gerou no bairro uma grave crise social e econômica, pois muitas famílias viviam disso e os próprios negócios do bairro giravam em torno da economia da reciclagem.

Hoje vivem em Canabrava cerca de 14.000 pessoas. Há muitos moradores vivendo em casas precárias, em áreas com risco de deslizamento e em áreas com risco de enchentes. Os índices de desenvolvimento social são muito baixos e, por isso, a organização comunitária é essencial para que a comunidade se instrumentalize e se organize para a luta por direitos.

Para doar e participar da campanha "Solidariedade que conecta", basta acessar ao site https://solidariedadeba.gaiamais.org/

Grupo Gaia
O Grupo Gaia é um conjunto de empresas que atua nos setores financeiro, imobiliário, educacional, ambiental, esportivo e de qualidade de vida. Cada empresa com seu segmento próprio compartilha o mesmo princípio: atuação em áreas nas quais podemos fazer a diferença, objetivando encantar pessoas, inovar e realizar

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas