Acelen vai investir R$ 500 milhões e gerar 4 mil empregos ainda este ano

donaldson gomes
15.04.2022, 05:00:00

Acelen vai investir R$ 500 milhões e gerar 4 mil empregos ainda este ano

Uma Grande parada
A Acelen investirá R$ 500 milhões nas paradas programadas de manutenção na Refinaria de Mataripe no decorrer dos próximos 12 meses. Serão gerados cerca de 4 mil postos de trabalho até o pico das atividades da parada previsto para outubro de 2022. O investimento é parte do plano estratégico da Acelen de modernizar a planta de 70 anos. O objetivo é ampliar os níveis operacionais dos 65% registrados em 2021 para mais de  97% da capacidade instalada. A estratégia vai permitir à empresa apresentar novos produtos, otimizar o atendimento aos clientes, expandir a produção para outros mercados, e, simultaneamente, garantir segurança no abastecimento do mercado regional e nacional. Além da geração de empregos, a parada de manutenção deve proporcionar oportunidades de negócios no entorno da refinaria, movimentando a economia local em São Francisco do Conde, Madre de Deus e Candeias.

Modernização
Das 26 unidades de produção da Refinaria de Mataripe, 11 passarão por paradas programadas nesse período. “A Refinaria é um ecossistema importantíssimo para a economia da Bahia e o Brasil, com uma história belíssima, a primeira do país, com responsabilidade de abastecer o mercado regional”, destaca o vice-presidente de operações da empresa, Celso Ferreira.

Segurança
Ainda de acordo com Celso Ferreira, as paradas seguirão rigidamente as diretrizes da política de segurança, saúde e meio ambiente da Acelen. Para garantir a segurança de todos os colaboradores da refinaria e dos terceirizados, a empresa criou um plano de recepção aos novos trabalhadores que irão participar das atividades.

Prejuízo na veia
Desde o início de abril, a indústria química brasileira passou a pagar mais impostos, com a entrada em vigor da Medida Provisória 1.095, publicada pelo no apagar das luzes de 2021, e que extingue o Regime Especial da Indústria Química (REIQ). Como resultado, o setor teme que mais de 10 mil empregos diretos estejam em risco somente aqui na Bahia. Além disso, outro efeito é a alta de preços dos produtos de toda a cadeia produtiva ligada a indústria. O presidente-executivo da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), Ciro Marino, ressalta a importância do regime para a manutenção de empregos e para a competitividade da indústria brasileira internacionalmente. No caso da Bahia, de acordo com dados da FGV Projetos, estima-se, no cenário base, que a revogação do REIQ deva comprometer R$ 2,4 bilhões em termos da produção anual, e comprometendo R$ 77,2 milhões de arrecadação anual de ICMS. Para a Abiquim, a indústria química do Brasil se encontra mais uma vez diante de um cenário de insegurança jurídica com grandes efeitos sobre as diversas cadeias produtivas. “Acreditamos que este não é o momento para a elevação de tributos, principalmente para um setor tão importante para a economia do país”, diz Marino.

Impacto no Brasil
A queda dos ganhos do setor poderá impactar diretamente a vida de 85 mil trabalhadores em um momento em que o principal objetivo do país é manter e aumentar empregos. Com a retirada do Regime, as previsões são de que o setor químico brasileiro, que é o sexto maior do mundo, tenha uma forte queda econômica, com impacto de R$ 5,5 bilhões no PIB brasileiro, pelos dados da FGV Projetos 2021. Ao se somar a essa perda de arrecadação o impacto devido ao efeito renda, a perda total de arrecadação anual seria de R$ 3,2 bilhões. 

Nova transportadora
A distribuidora Larco investiu R$ 150 milhões na abertura da mais nova empresa integrante do grupo, a Transprex. Especializada em transportes de produtos líquidos a granel, entre combustíveis e químicos, esta nova operação é responsável por levar os produtos Larco até as bases de distribuição do grupo e realizar os carregamentos de outras empresas, de forma rápida e eficiente.  Com o início do funcionamento previsto para abril, a Transprex gerou  100 empregos diretos e 200 indiretos. “Estamos oferecendo uma melhor performance, aumento de produtividade e entrega com qualidade, atributos que conferiram à Larco uma história de 22 anos de sucesso, completados em fevereiro”, declara o diretor de Operações da distribuidora de combustíveis, Márcio Sales.

Aniversário
O aniversário de 70 anos do Sinduscon-Ba será marcado por um encontro com a imprensa no dia 27, onde serão apresentados cenários para a indústria da construção na Bahia. Participam o presidente do Sinduscon-BA, Alexandre Landim, da CBIC, José Carlos Martins, e a economista Iêda Vasconcelos. 

Captação
Primeiro marketplace de jardinagem do Brasil, a startup baiana Plantemais.com está em busca de um novo sócio investidor para impulsionar o negócio. A startup está em fase de validação do MVP há 3 meses - iniciada após o investimento inicial de R$150 mil. O objetivo até o fim deste ano, a partir do novo aporte, é alcançar mais 8 cidades do Brasil e triplicar o número de funcionários. Mais informações sobre a Plantemais.com estão disponíveis no site www.plantemais.com, na @plantemais.com no Instagram e através do telefone (71) 99151-0028.

Expansão
A Rede SiM comemora os seus 15 anos de existência com planos de mais duas novas unidades até junho. O grupo investiu cerca de R$ 4 milhões na capital baiana, incluindo a primeira unidade de atendimento no Shopping Center Lapa inaugurada em janeiro e agora mais duas, no Big Bom Preço Iguatemi e na região do Salvador Norte Shopping. 

Onshore Week 2022
A Onshore Week 2022 – evento dedicado a reunir os principais agentes públicos e privados envolvidos no ambiente de exploração, produção, comercialização, refino e distribuição de óleo e gás no Brasil em áreas terrestres – será realizada de 18 a 20 de abril, no Senai Cimatec. O evento se propõe a debater o crescimento da atividade onshore no país e programar uma agenda de prioridades para 2022. O acesso é gratuito e as inscrições podem ser feitas até hoje, pelo endereço https://www.even3.com.br/ow2022/.

Uma boa Páscoa
Os preparativos para a Páscoa deste ano geraram 8,5 mil empregos nas indústrias de chocolates, amendoins e balas, de acordo com a Abicab, entidade que representa o segmento. Este ano, a indústria levou às prateleiras 399 produtos – sendo 150 lançamentos, o que representou uma alta de 58%, na comparação com o mesmo período do ano passado.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas