Adolescente expulso de shopping por usar suástica é apreendido em Caruaru

em alta
18.06.2021, 15:25:00
Atualizado: 18.06.2021, 15:45:26
(Reprodução)

Adolescente expulso de shopping por usar suástica é apreendido em Caruaru

Ele foi ouvido pela Promotoria da Infância e Juventude; já tem outros atos infracionais

O adolescente de 17 anos expulso de um shopping em Caruaru (PE) por usar uma bracadeira com suástica foi ouvido na manhã da sexta-feira (18) pela Promotoria da Infância e Juventude da cidade. Ele foi apreendido pela Polícia Civil.

Segundo a Folha de Pernambuco, o caso é acompanhado pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e tramita em segredo de Justiça. 

O adolescente foi expulso por um segurança do Caruaru Shopping por incomodar outros clientes por andar com uma suástica na braçadeira. Em nota, o estabelecimento diz que analisou todas as imagens do circuito interno, ouviu testemunhas e vai preparar um material com todos os fatos colhidos para entregar à polícia. 

"Entendemos a seriedade do caso, e atualizamos que a Polícia Civil de Pernambuco informou que apreendeu, em flagrante, o adolescente de 17 anos, por atos infracionais de natureza grave. Também foram identificados outros atos infracionais praticados pelo jovem, como racismo e apologia à exploração sexual de menores de idade", diz nota divulgada nas redes sociais. 

Um procedimento foi instaurado para acompanhar o caso e o shopping diz que segue à disposição das autoridades.

O empresário Breno Melo, que gravou as imagens, disse ao JC Online que estava caminhando pelo ceontro de compras quando notou o jovem com a suástica. "De primeira, eu custei a acreditar. Não podia ser sério. Demorei a assimilar e resolvi voltar para ver se era, de fato, a suástica. Quando percebi, me aproximei. Ele disse que era menor de idade e que tinha liberdade de expressão", diz.

As imagens viralizaram nas redes sociais. A constituição brasileira define que fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos com a suástica para fins de divulgação do nazismo é crime. A pena é de 1 a 3 anos de reclusão, além de multa. Por se tratar de menor de idade, é considerado um ato infracional análogo ao crime.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas