Advogada que assumiu ser 'racista mesmo' ganha liberdade após fiança de R$ 10 mil

brasil
08.12.2019, 09:52:00
Atualizado: 08.12.2019, 09:53:49

Advogada que assumiu ser 'racista mesmo' ganha liberdade após fiança de R$ 10 mil

Natália Burza Gomes Dupin ofendeu taxista em Belo Horizonte na última quinta-feira

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Justiça determinou, neste sábado (7), a liberdade provisória mediante pagamento de fiança no valor de R$ 10 mil da advogada Natália Burza Gomes Dupin, de 36 anos, suspeita de injúria racial a um taxista na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais, na última quinta-feira (5). 

Natália foi ouvida pela juíza Roberta Chaves Soares em uma audiência de custódia, pagou a fiança e foi liberada logo após a audiência. Para decretar a soltura, a magistrada pontuou que "a autuada é primária, possui endereço fixo e ocupação lícita e o crime não foi cometido com violência e grave ameaça à pessoa".

De acordo com a Polícia Militar, o taxista Luiz Carlos Alves Fernandes, de 51 anos, perguntou se a mulher, que estava com o pai idoso, precisava de um táxi; ela disse que precisava sim, mas não andava com "preto". Ainda conforme a ocorrência, o motorista alegou que a mulher não poderia dizer aquilo, porque era crime; ela respondeu: "eu não gosto de negro, sou racista, sou racista mesmo". E na sequência cuspiu no pé dele.

O taxista chamou a PM. A mulher de 36 anos foi detida e levada para uma companhia da polícia. No local, ela ainda desacatou os militares, chegou a chamar uma sargento de “sapata”, conforme a ocorrência, e foi algemada. Um vídeo, que circula nas redes sociais, mostra o momento em que a advogada é presa aos gritos de "racista" da população.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas