Aluno de escola pública viraliza após usar internet de açougue para estudar

em alta
10.06.2020, 08:44:24
Atualizado: 10.06.2020, 08:47:25
(Foto: Reprodução)

Aluno de escola pública viraliza após usar internet de açougue para estudar

Para acessar ao conteúdo online, Willian usava um celular que comprara vendendo latinhas em Goiás

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Para os cerca de 21% dos brasileiros que não têm internet em casa, números do IBGE, estudar remotamente durante a pandemia é um desafio. Nada que desanimasse o estudante Willian Marciel Vieira Dantas, de 13 anos, que usa a conexão de um açougue no distrito de Nova Fátima, em Hidrolândia, na Região Metropolitana Goiânia, para acessar ao conteúdo online.

Willian é aluno do 8º ano do Colégio Estadual Ademar Alves de Souza e sonha em se formar em física. Mesmo tendo sido dispensado das aulas, provas e atividades escolares por causa da pandemia, ele reserva cerca de duas horas por dia para estudar e não perder o ritmo.

Para isso, ele usa o celular, que foi comprado há cerca um ano, depois que ele conseguiu juntar o dinheiro vendendo latinhas que recolheu pela cidade.

"Minha avó sempre me falou que, se eu quiser ser alguém na vida, eu preciso estudar. Como eu quero fazer vários cursos, eu não posso perder tempo", contou William ao portal G1.

Foi durante um dia de estudo que o dono do açougue, Marcos Paulo Souza Cruvinel, de 28 anos, resolveu tirar uma foto do garoto estudando para publicar numa rede social. Ele conta que ficou impressionado quando viu o menino com o celular e cadernos.

"Eu sempre libero a internet para os meus clientes. Um dia, ele chegou aqui e pediu para usar a internet, e eu emprestei. Ele sentou no banco da praça, ficou mexendo no celular e anotando em um caderno. Eu fiquei curioso e perguntei pra ele o que era, e ele me explicou que havia pedido a internet para estudar, porque na casa dele não tinha", contou.

Depois que Marcos publicou a foto em uma rede social, a imagem começou a ser compartilhada e comoveu a internet. Uma 'vaquinha' online já arrecadou mais de R$ 50 mil para investir no estudos de Willian e construir um quarto para ele estudar, já que ele divide o cômodo com a prima e a irmã, na casa da avó, Hilda Viera. O adolescente também ganhou a instalação da internet em casa e uma bolsa de estudos online.

De acordo com a professora de matemática do estudante, Rosana Batista da Silva Lima, de 40 anos, William sempre foi um aluno exemplar. Ela conta que, quando viu a foto dele na internet, não teve dúvidas de que se tratava do aluno dedicado que ela acompanha há um ano.

"Eu fiz questão de compartilhar com outros alunos para que eles pudessem ver que, mesmo com todas as dificuldades, ele não deixou de estudar. É o que sempre falo, quando a gente quer, a gente vai atrás e consegue", disse Rosana ao portal.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas