Aluno do Marista é afastado por postar imagem de ataque em Columbine

salvador
09.04.2019, 20:35:00
Atualizado: 09.04.2019, 20:38:08
(Divulgação)

Aluno do Marista é afastado por postar imagem de ataque em Columbine

Caso foi informado ao Ministério Público, Conselho Tutelar e Delegacia do Adolescente

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um aluno do ensino médio do Colégio Marista, em Patamares, foi suspenso por tempo indeterminado da escola, após compartilhar em suas redes sociais uma publicação com referência a um atentado.

O estudante publicou uma imagem em preto e branco do atentado de Columbine, nos Estados Unidos, ocorrido em 1999, que deixou 13 mortos e 21 feridos. Na época, dois estudantes invadiram a escola e colocaram em prática o plano que tinha traçado há meses.

A publicação, que já foi retirada do ar, foi feita pelo adolescente na segunda-feira (8). Assim que soube do fato, a direção do colégio convocou o aluno e seus responsáveis para uma reunião e comunicaram a suspensão. 

“Mesmo avaliando que não houve ameaça, pois ele não fez qualquer tipo de declaração sobre ter uma atitude semelhante ao caso de violência mencionado em sua rede social, a instituição comunicou o Ministério Público, Conselho Tutelar e Delegacia do Adolescente. O estudante foi suspenso por tempo indeterminado”, informou o Marista por meio de nota. 

Por meio de nota, a Polícia Militar informou que, através da Operação Ronda Escolar, reforçou a segurança na região para "tranquilizar as famílias e estudantes". “É importante ressaltar que a medida é preventiva e a PM não foi acionada pela escola”, disse a PM.

Já a Secretária de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), que vem realizando investigações sobre ameaças recebidas por escolas, informou que a Polícia Civil chegou a apurar o caso, mas não revelou detalhes.

Na semana passada, pelo menos três escolas e uma faculdade particular suspenderam as aulas na cidade de Alagoinhas, no Nordeste da Bahia, por causa de áudios de ameaças que circularam no WhatsApp.

Uma ação conjunta de investigação foi montada. Um adolescente foi apreendido.

Leia na íntegra o comunicado do Marista: 
"NOTA À IMPRENSA
Salvador, 09 de abril de 2019
 
O Colégio Marista Patamares esclarece que fez uma cuidadosa apuração sobre o episódio envolvendo um aluno do Ensino Médio, que, nesta segunda-feira (8), postou em sua rede social uma imagem de um atentado, ocorrido em 1999, nos Estados Unidos. Logo que a direção tomou conhecimento do fato, na manhã do mesmo dia, se reuniu com o adolescente e a família, conforme prevê o regimento escolar, para entender a atitude do estudante. Mesmo avaliando que não houve ameaça, pois ele não fez qualquer tipo de declaração sobre ter uma atitude semelhante ao caso de violência mencionado em sua rede social, a instituição comunicou o Ministério Público, Conselho Tutelar e Delegacia do Adolescente. O estudante foi suspenso por tempo indeterminado.  
 
Num momento em que as informações, verdadeiras ou não, circulam com uma velocidade fora do controle, o Colégio reafirma seu compromisso de estar atento a todas as manifestações e se coloca à disposição para esclarecer as dúvidas e orientar os pais e responsáveis. A escola segue sendo um lugar seguro e aberto ao diálogo. O Colégio Marista reafirma seu compromisso com uma educação de excelência, baseada em valores.
 
Colégio Marista Patamares"

* Com supervisão da subeditora Fernanda Varela

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas