Aplicação de vacina da Pfizer na BA depende de chegada de seringas encomendadas

coronavírus
11.08.2021, 14:30:00
(Arquivo)

Aplicação de vacina da Pfizer na BA depende de chegada de seringas encomendadas

Último lote não veio com insumos, que devem chegar em voos posteriores

A aplicação de doses da vacina da Pfizer contra a covid-19 na Bahia pode atrasar por falta de seringas. A secretária interina da Saúde da Bahia, Tereza Paim, afirmou que a entrega do último lote não incluiu o insumo – a entrega da vacina e do material para aplicação é de responsabilidade do Ministério da Saúde. 

"Dessa vez a Pfizer não trouxe as seringas junto. Esses insumos não vieram, portanto a gente vai esperar uma nova remessa", disse ela em entrevista à TV Bahia. 

Ela explicou que uma requisição foi feita para as fábricas e produtores do insumo, mas não foi possível antecipar a compra até agora. A Pfizer usa uma seringa específica de 1mL. "Não podemos antecipar essa compra por esse déficit, não tinha proporcionalidade para licitação", acrescenta.

Em contato com o CORREIO, a assessoria da Sesab salientou que nenhum município ficou sem insumo para aplicar vacina da Pfizer e que, diferente do que a secretária deu a entender, a aplicação do imunizante não chegou a ser suspensa.

Ainda conforme a Sesab, o insumo é enviado de modo fracionado pelo Ministério da Saúde, que adquire na Índia. Na medida que ele vai enviando novas remessas de vacina, também envia novos lotes de seringas.

Nesta quarta, às 18h, o estado deve receber um novo lote da vacina, enquanto a pasta aguarda a chegada dos insumos do imunizante que ainda não foi distribuído. Esse material, explica a Sesab, normalmente vem junto ou em algum outro voo.

Na entrevista, a secretaria também havia falado sobre a expectativa da chegada dos materiais. “Esperamos que essa remessa venha logo e novas doses também. Queremos o avanço em termo de quantidade e de tempo, porque nós não podemos esperar. A maior parte da população tem que estar vacinada”, comentou mais cedo. 

Tereza Paim, que ocupa o cargo desde a semana passada, quando Fábio Vilas-Boas entregou o cargo, disse que a Bahia está "correndo" para vacinar o quanto antes, especialmente levando em conta que o estado não teve registro até agora da variante delta do coronavírus. "Estamos correndo para que isso não aconteça aqui".

Um lote com 215.280 doses de vacinas da Pfizer pousou em Salvador ontem, com carga que será usada para aplicação das duas doses. Outro lote deve chegar hoje.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas