Área onde hoje é o Litoral Norte baiano tem ocupação humana há mais de 3 mil anos

bahia
24.07.2021, 05:00:00
Atualizado: 27.07.2021, 15:23:33
Castelo Garcia D'Ávila remonta ao primeiro século de história do Brasil (Ruidival Marques/Creative Commons)

Área onde hoje é o Litoral Norte baiano tem ocupação humana há mais de 3 mil anos

Região tem algumas das melhores opções de banho de mar, mas atrações vão além disso

Há pelo 600 anos a região do Litoral Norte convive com a ocupação humana. “Sauipe”, um dos locais mais conhecidos da exuberante costa que se inicia na Linha Verde, recebeu esse nome de índios Tupinambás, e significa “lugar de muitas famílias”. 

Mesmo a badalada Praia do Forte, descoberta para o turismo na década de 80, tem o início da sua ocupação datado de séculos antes da chegada de qualquer um que leia este texto neste plano. O Castelo Garcia d’Ávila divide espaço com a beleza natural da Reserva Sapiranga e projetos de conservação da vida marinha, como o Tamar, dedicado às tartarugas, e o Instituto Baleia Jubarte, voltado à proteção dos cetáceos. 

Confira também o episódio especial do podcast O Que a Bahia Quer Saber sobre o 'boom' do Litoral Norte! Por que tantas famílias estão migrando para a região?

Clique no player abaixo para escutar o podcast:

A Casa da Torre foi construída entre 1551 e 1624 na Colina de Tatuapara, terras do mestre de armas português Garcia d’Ávila que chegou à Bahia com o governador-geral Thomé de Souza. A partir de lá, ele transformou a sesmaria de Itapuã em um vasto domínio agrário.

O Litoral Norte da Bahia pode até ser a viagem ou, cada vez mais, a casa dos sonhos por conta de suas praias, belezas naturais e os elevados índices de ensolação anuais, mas a riqueza da costa que se estende acima de Salvador vai muito além disso.

Clique aqui e leia mais sobre o Boom do Litoral Norte

Arqueologia 
Escavações realizadas por conta da implantação de empreendimentos turísticos na região do Litoral Norte mostraram indícios de ocupação humana na região de Mata de São João há mais de 3 mil anos. Muito antes de brasileiros de todas as regiões do país e gente do mundo inteiro se encantarem com a temperatura daquelas praias,  lascas de pedra, pontas de lanças feitas de quartzo e sílex, cerâmicas, tigelas e até urnas funerárias indicam que tribos nômades pré-históricas passaram por lá

Casa da Torre
A Casa da Torre já chegou a ser alvo de uma corrida encampada por aventureiros que buscavam tesouros, jóias e moedas supostamente abandonadas nas ruínas do castelo. As paredes já desgastadas pelo tempo foram escavadas inutilmente. Não se tem notícias de qualquer tesouro encontrado lá, se não o do conhecimento histórico, além de um visual pra lá de encantador. O local é um dos preferidos por quem visita a Praia do Forte.  Um bom guia pode juntar a visita ao castelo com uma trilha na Reserva de Sapiranga, que possui 600 hectares preservados de Mata Atlântica. O passeio dura em média uma hora e meia, com paradas para banhos no Rio Pojuca. 

É chão 
O Litoral Norte da Bahia é cortado pela BA-099, que possui 356 quilômetros de extensão, entre o município baiano de Lauro de Freitas e a divisa com o estado de Sergipe. É o principal acesso às praias da região. Sob concessão da Concessionária Litoral Norte, a via é pedagiada e está com a estrada duplicada até a Praia do Forte, em Mata do São João.

Turismo 
A Zona Turística da Costa dos Coqueiros compreende todo o litoral norte da Bahia, estendendo-se por cento e noventa e três quilômetros. Sua extensão vai desde a praia de Ipitanga até até Mangue Seco. Estima-se que responda por 18% do turismo da Bahia.

Clima 
Está localizada na zona intertropical, pode ser caracterizado como de clima quente-úmido, de relativa homogeneidade, com médias térmicas elevadas e alto índice de chuvas bem distribuídas ao longo do ano. O período entre outubro e fevereiro é denominado como período seco. No verão, o litoral norte apresenta variações mensais e anuais de temperatura de 23 a 25ºC.

Expansão 
O Litoral Norte era formado por poucos povoados rurais, dispersos, ou de populações aglomeradas em antigos núcleos de difícil acesso, formados por pescadores e pequenos produtores rurais, como, por exemplo, Vila de Abrantes, Arembepe, Monte Gordo e Praia do Forte. Após a construção da Estrada do Coco, e da Linha Verde, a expansão humana e imobiliária se fez de forma intensa, o que fez com que a infraestrutura chegasse a áreas remotas. 

Praias 
Em mais de 150 quilômetros de extensão, a região registra mais de 30 praias, que além de representar o  sustento de comunidades tradicionais, fazem a alegria dos visitantes. As praias estão espalhadas pelos municípios de Lauro de Freitas, Camaçari, Mata de São João, Entre Rios, Esplanada, Conde e Jandaíra.

O Boom do Litoral Norte é uma realização do jornal Correio com o patrocínio do Iberostar e da Prima Empreendimentos.
 


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas