Arqueólogos descobrem acervo de dois séculos atrás no bairro do Santo Antônio

salvador
02.07.2020, 17:46:00
Atualizado: 02.07.2020, 17:46:30
(Foto: Secom/GOVBA)

Arqueólogos descobrem acervo de dois séculos atrás no bairro do Santo Antônio

Peças foram encontradas a partir de 1,5 metro de profundidade

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Envolvidos na obra de requalificação das principais ruas do Santo Antônio Além do Carmo, arqueólogos encontraram, na última segunda-feira (29), um acervo de objetos do século XIX no subsolo do bairro, que é tombado como patrimônio nacional. Mestre em Arqueologia pela Universidade Federal de Sergipe, Railson Cotias, que participou da coleta explicou que tratam-se de cerâmicas, faianças (porcelana porosa), vidros e metais.

Segundo ele, os objetos achados até agora são relacionados a usos domésticos, como de cozimento ou de servir à mesa. “Estamos analisando a camada em que estes objetos foram encontrados, a partir de 1,5 metro de profundidade, podendo ser provenientes das várias obras de urbanização da praça ou mesmo de alguma relação com o Forte de Santo Antônio, a edificação mais próxima”, relata Cotias, que também participou do resgate de material histórico da Rua Chile, no centro antigo de Salvador. 

(Foto: Secom/GOVBA)
(Foto: Secom/GOVBA)
(Foto: Secom/GOVBA)
(Foto: Secom/GOVBA)
(Foto: Secom/GOVBA)

“As prospecções continuarão em outros pontos do Largo até final de julho. Precisamos entender as camadas dos achados, o período dos acervos e suas associações e cronologias com contextos e grupos sociais”, diz Railson. Os locais de escavação são escolhidos por análise de fontes documentais (primárias e secundárias), iconografia, mapas, topografia e características da obra.

Requalificação

O bairro de Santo Antônio passa por requalificação das suas principais vias: Rua Direita, Ladeira do Boqueirão e o Largo. De acordo com o governo do estado, responsável pela obra, a requalificação beneficia 17 mil m² de ruas e calçadas, rebaixamento subterrâneo de fios, com vala e tubos para eletricidade e telecomunicações, além da remoção dos atuais postes. 
 
As obras integram o Projeto ‘Pelas Ruas do Centro Antigo (CAS)’ e prevê a pavimentação de vias e requalificação de calçadas, com acessibilidade. O orçamento totaliza R$ 124 milhões de investimentos distribuídos por 313 ruas, em 11 bairros, mais a Rua Chile e 17 ruas do Centro Histórico de Salvador.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas