Artista expõe obras sacras feitas com papel do jornal CORREIO

salvador
26.08.2021, 06:00:00
Exposição está sendo realizada no Shopping Barra (Arisson Marinho/CORREIO)

Artista expõe obras sacras feitas com papel do jornal CORREIO

A mostra, que foi lançada nesta quarta (25) no Shopping Barra, fica até o dia 25 de setembro

Samuel Cruz, 37 anos, sempre gostou de seguir o caminho da arte sacra e reaproveitar materiais para fazer seu trabalho. Ora, o que é um artista se não um transformador de realidades?

Há alguns anos, ouviu um conselho do consultor Miguel Bitencurt e simplesmente decidiu parar de pintar seus quadros e esculturas. O objetivo era não esconder mais o que estava por baixo da tinta: as páginas da edição impressa do CORREIO - e somente do CORREIO. Com isso, é possível valorizar o material e dar um destaque ao seu trabalho. Deu certo. Tão certo que chamou atenção do artista plástico Sérgio Amorim, que o convidou para a sua exposição no Shopping Barra, iniciada na quarta-feira (25) e que vai ficar por lá até o dia 25 de setembro.

São Cosme e Damião (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

“Eu estava expondo no Santo Antônio Além do Carmo e uma outra artista, Luzimar, viu meu trabalho e mostrou a Sérgio. Ele gostou e me convidou para expor. Ainda fico emocionado me recordando desse momento, é realmente muito importante para mim”, disse Samuel.

O artista colocou para jogo oito de suas obras: Santo Antônio, Cosme e Damião, Sagrado Coração de Jesus, Nascimento de Jesus, Crucificação de Jesus, Iemanjá, São Francisco de Assis e Irmã Dulce farão parte do cenário do shopping nesse período.

Samuel faz questão de frisar que essa vitória foi conquistada a várias mãos. Desde o apoio de Luzimar, que fez a indicação, até Sérgio Amorim, responsável pelo convite; Miguel com a consultoria e, também, a esposa Rosângela Vieira, com quem divide as noites de insônia e muito suor para a realização dos trabalhos.

É Rosângela também quem o ajuda a separar todo o volume de papel que futuramente vira moldura e escultura feitas pelo maridão artista. “Ela é uma pessoa muito importante, me dá um apoio que eu não sei nem como descrever”, conta com voz apaixonada.

Além disso, a matéria-prima vem através de colaborações de assinantes do CORREIO, com bem já havia revelado ao jornal anteriormente. “Desde o começo, uso o papel do CORREIO. Começou assim e continua porque eu comecei a receber doações de mais de 15 assinantes do jornal que incentivavam meu trabalho. E isso nunca parou. Eles, sempre que passam na minha varanda, deixam as edições impressas que já leram”, contou. 

Iemanjá (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

As peças expostas estão à venda por preços que vão de R$ 1,7 mil a R$ 4,8 mil. Todos os quadros são no tamanho 92x78. “Eu garanto que fica muito bonito. É um presente para se dar a uma pessoa querida, que vai marcar”, vende o peixe.

Quem quiser conferir mais do trabalho de Samuel pode ir até o Instagram do artista no @samuelcruzartepapel.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas