Assassino de ator, Paulo Cupertino viveu 8 meses como 'Seu Manoel' no MS

em alta
03.11.2020, 15:32:55
(Foto: Reprodução)

Assassino de ator, Paulo Cupertino viveu 8 meses como 'Seu Manoel' no MS

Segundo moradores, homem que executou Rafael Miguel e os pais do jovem era cliente assíduo de barbearia e lotérica

Assassino do ator Rafael Miguel e dos pais dele, o empresário Paulo Cupertino Matias, 49 anos, que está foragido desde junho do ano passado, após cometer o triplo homicídio, esteve em Mato Grosso do Sul e trabalhou em uma chácara em Eldorado, no sul daquele estado. Segundo o portal G1, ele permaneceu na cidade por cerca de 8 meses, usando o nome falso de Manoel Machado da Silva, até ser denunciado e fugir há uma semana.

Responsável pelas investigações em Eldorado, o delegado Pablo Reis disse que o assassino foi visto pela última vez no dia 28 de outubro.

Usando barba grande e máscara, o que ajudava no disfarce, Cupertino – ou Seu Manoel, como ele era chamado – era assíduo frequentador de uma barbearia, além de uma lotérica onde fazia apostas e até o posto de saúde da cidade, após conseguir emitir uma carteira no SUS.

Cupertino matou Rafael Miguel e os pais dele porque não aceitava o namoro de sua filha com o ator. O crime aconteceu em São Paulo.

A polícia soube que Cupertino "envelheceu muito" desde o triplo assassinato, ocorrido há um ano e quatro meses. Sempre discreto, ele começou a sair no início da pandemia, quando se aproveitou da recomendação do uso da máscara para esconder parte do rosto. Também conversava pouco com as pessoas, segundo o G1.

O delegado informou que vai ouvir funcionários da lotérica e da barbearia, e informou ainda que já solicitou imagens de câmeras dos locais. “Estamos fazendo buscas do caso e ainda vamos intimar estas pessoas. É uma investigação oriunda de São Paulo, Paraná e nós entramos com esse apoio, com a intenção de coletar mais informações da estadia dele aqui nesse período de 8 meses", disse Reis ao G1.

A investigação aponta que Cupertino fugiu da cidade em uma aeronave que estava na fazenda do patrão dele, que também é piloto e foi identificado como Alfonso Helfenstein. Ambos são considerados foragidos.

Ainda de acordo com o delegado, tudo indica que Cupertino e Alfonso se conheceram em Ponta Porã, onde Alfonso ofereceu uma vaga de caseiro na fazenda dele. 

A investigação aponta que, antes da estadia em Eldorado, o assassino conseguiu a emissão de uma falsa Certidão de Pessoa Física (CPF) ao apresentar outros documentos falsos na Receita Federal de Ponta Porã (MS).

Ele também esteve no Paraná e tirou uma identidade falsa, o que teria garantido a ele movimentação em contas bancárias. Desde então, vinha usando o nome falso de Manoel Machado de Silva, de 49 anos, declarando que residia em Rio Brilhante, a 161 km de Campo Grande.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas