Assassinos de músico em Brotas são condenados a 30 anos de prisão

salvador
05.09.2019, 20:23:00
Atualizado: 05.09.2019, 20:48:31

Assassinos de músico em Brotas são condenados a 30 anos de prisão

Eles já estavam presos preventivamente e vão cumprir pena em regime fechado

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Dois homens foram condenados a 30 anos de prisão pelos assassinatos do músico Josino Eduardo Santos Rodrigues, 35 anos, e do amigo dele Marivaldo Lima dos Santos, 48 anos. As vítimas foram mortas a tiros, em março de 2016, em Brotas. Os bandidos também foram responsáveis pela tentativa de homicídio contra o irmão gêmeo do músico, Eduardo Josino Santos Rodrigues.

O julgamento de Jefferson Silva Souza, conhecido como Neném, e Railan Conceição da Silva, o Zói de Gato, aconteceu nesta quarta-feira (4). Os bandidos acreditavam que as vítimas eram informantes da polícia e forneciam informações que estavam prejudicando a prática de crimes, principalmente o tráfico de drogas.

Irmãos gêmeos trebalhavam como percursionistas (Foto: Reprodução)

Segundo o Ministério Público (MP-BA), a justiça acatou um pedido do próprio MP e condenou Jefferson a 31 anos, dez meses e 16 dias de prisão, e Railan Conceição a 33 anos e oito meses de reclusão, em regime inicialmente fechado, na Penitenciária Lemos Brito. Os dois já estavam presos preventivamente.

Por volta das 20h do dia 5 de março de 2016, as vítimas estavam conversando na porta de uma casa na Rua Alto do Saldanha, próximo à Ladeira Cruz da Redenção, quando foram surpreendidas por Jefferson e Railan.

Josino Eduardo foi atingido por vários tiros em diversas regiões do corpo, não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local do crime. Já Eduardo Josino foi atingido por quatro disparos, na região do tórax, quadril e costas. Ele foi socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde passou por cirurgia e se recuperou.

Já Marivaldo foi atingido na região cervical,  tórax e braço esquerdo. Ele também foi levado para o HGE, onde foi submetido a uma cirurgia para retirada do projétil, ficou internado em UTI e, depois, na enfermaria, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde.

Josito Eduardo era percursionista e trabalhou com artistas renomados. A morte de Jó, como era conhecido, causou comoção no meio musical. Caetano Veloso, Saulo, Mari Antunes e Carlinhos Brown usaram as redes sociais, na época, para prestar homenagens ao músico e dar as condolências à família.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas