Assinou: Grupo Metha vai patrocinar o Cine Glauber Rocha por 5 anos

sua diversão
09.11.2021, 22:22:00
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)

Assinou: Grupo Metha vai patrocinar o Cine Glauber Rocha por 5 anos

Cerimônia aconteceu nesta terça (9), com presença de autoridades e responsáveis pelo equipamento

Emoção, sorrisos e esperança de dias melhores. Assim foi o evento que marcou a assinatura do contrato que firmou o patrocínio do Cine Glauber Rocha com o Grupo Metha S/A, nesta terça-feira (9), no restaurante La Pasta Gialla, que fica no interior do espaço do cinema que é o único de rua vivo em Salvador. Com a parceria, o cinema passará a se chamar Cine Metha - Glauber Rocha. 

O Glauber é o cinema mais antigo de Salvador. O contrato de patrocínio vale por cinco anos e prevê que o Metha fique responsável pelo custeio e manutenção do equipamento. 

O patrocínio ao Cine Metha Glauber Rocha é uma iniciativa do Instituto Metha Futuro, braço de investimento social do grupo empresarial, focado no desenvolvimento de projetos educativos, culturais e de geração de renda. O acordo entre as partes prevê a realização de sessões de cinema a preços populares para estudantes e jovens de baixa renda, como forma de estimular a democratização das salas de cinema. 

O evento teve participação do prefeito de Salvador, Bruno Reis; o diretor do Cinema, Cláudio Marques; o vice-presidente e o sócio do Metha, José Manuel Parada e Antônio Carlos Mata Pires; e a secretária estadual de cultura, Arany Santana.

Políticos, gestores e autoridades públicas estiveram presente no evento que celebrou a assinatura do contrato de patrocínio (Foto: Paula Fróes/CORREIO)

Marques ficou emocionado no discurso que antecedeu a assinatura do contrato.

"Tenho falado muito nos últimos tempos. Foi uma batalha dura da gente. Estou emocionado, contente, isso aqui é uma vitória para todo o mundo que é apaixonado pelo Centro Histórico de Salvador. Há uma energia pela manutenção das salas de cinema. Foram dois anos muito duros para salas de exibição, mas acho que a gente sai muito fortalecido dessa experiência toda. Vir a sala do cinema e todo o seu ritual está muito fortalecida", afirmou.

A secretária Arany Santana celebrou a pluralidade das pessoas da mesa e classificou o momento como o de união pela cultura. "A cultura tem essa capacidade. Ela é suprapartidária e está acima de tudo. Este cinema é um espaço de memória, história. Que nossos alunos irão frequentar. É um momento de celebração, um abraço a todos nós que nos empenhamos. A cultura é um segmento que pagou um preço muito alto durante essa pandemia e agora se ergue", declarou.

Para conseguir captar o patrocínio, a Prefeitura de Salvador enviou à Câmara de Vereadores um projeto de lei que isentou o Cinema de pagar o IPTU ao município. Segundo o prefeito Bruno Reis, o valor era de aproximadamente R$ 10 mil mensais, totalizando uma isenção fiscal de R$ 120 mil por ano. 

A assinatura do contrato foi classificada pelo prefeito como o marco de um dia histórico para Salvador. Segundo o prefeito, seria muito prejudicial para o projeto de revitalização do Centro Histórico que o cinema ficasse desativado. Por isso, o município empreendeu esforços para conseguir intermediar a parceria. 

"É um dia histórico para nossa cidade. Nosso coração transborda de alegria. Soubemos pela imprensa da saída do Banco Itaú do Cine Glauber Rocha. Naquela ocasião, fui claro e objetivo para mandar um recado para a instituição que iria rever a relação da prefeitura com a instituição financeira. Tiveram lucros exorbitantes na pandemia e não reconheceram a importância do cine Glauber Rocha", disse Bruno Reis.

O CEO do Grupo Metha, Josedir Barreto, destacou a importância de trabalhar em parceria com uma instituição que é emblemática na cena cultural baiana. “Somos uma empresa que entende que o seu papel na sociedade vai além da realização de nossos negócios. Queremos ajudar a manter vivas a cultura e a arte, seja pelas telas de cinema, ou por outras expressões artísticas. É desta forma que acreditamos estar contribuindo para a educação e crescimento cultural da população”, explica.

Vice-presidente do grupo Metha, José Manuel Parada afirmou que o equipamento é secular e importante e e que, desde que soube da saída do Itaú, a empresa decidiu chegar junto do cinema, como uma forma de reaproximar a empresa das próprias raízes na Bahia.

"Nosso papel na sociedade vai muito além dos projetos que fazemos e entregamos. A gente não vai ficar apenas restrito aos nossos negócios, queremos manter vivos os projetos de alfabetização de operários, os projetos de geração de renda e inclusão digital no entorno de nossos projetos e queremos manter viva a cultura e a arte no nosso estado e município. Vamos atrás de ajudar a manter vivas manifestações de arte do nosso município", disse.

Fundado em 1919 como Cine-Theatro Guarany, surgiu como a mais moderna casa de espetáculos da capital. Com a morte de Glauber Rocha, em 1981, o cinema ganha o nome do mais importante cineasta brasileiro de todos os tempos. Devido à decadência dos cinemas de rua, o cinema ficou longos anos fechado, até ganhar nova vida em 2008. 

Presidente da Fundação Gregório de Mattos, Fernando Guerreiro afirmou que percebeu, com a ameaça de fechamento, que muitas pessoas frequentavam apenas o Glauber e se depararam com a possibilidade de não ter mais esse espaço cultural disponível.

"É uma localização estratégica, o último cinema de rua de Salvador. Um centro cultural enorme, que homenageia um grande artista. Tudo junto, a praça e o Poeta. Hoje, esse espaço se transformou num corredor cultural e não poderia sucumbir. Eu percebi, com a ameaça de fechamento, que tem pessoas que só vêm aqui. O Glauber pode se transformar novamente num grande centro de cultura", afirmou.

Hoje o Cine Metha - Glauber Rocha tem quatro salas de projeção. O espaço tem ainda com café e restaurante. A antiga livraria será desativada após o cinema entrar em comum acordo com a LDM, que vai abrir uma nova loja no Shopping Bela Vista.

Segundo Cláudio Marques, no espaço será construído um sebo, espaço também voltado para a literatura e que dará abertura para apresentações culturais. "Uma novidade muito boa que em poucos dias iremos divulgar com mais detalhes. A LDM possui um trabalho incrível e faz parte da nossa história. Neste momento, iremos experimentar coisas novas", disse Marques.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas