Badalado desfile da Victoria’s Secret está cancelado em 2019

em alta
01.08.2019, 18:00:00
Adriana Lima foi uma das angels a cruzar as passarelas do evento (Foto: Shutterstock/Reprodução)

Badalado desfile da Victoria’s Secret está cancelado em 2019

Ano passado, transmissão do evento teve sua pior audiência

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Victoria's Secret Fashion Show, como o nome diz, não é apenas um desfile de lingerie, é um show. Criado em 1995 e televisionado a partir de 1999, o projeto teve as modelos mais famosas do mundo cruzando suas passarelas, ao som de baladalas atrações - que fazem apresentações ao vivo.

Entre as angels que participaram do evento, estão as brasileiras Gisele Bündchen, Adriana Lima, Isabeli Fontana, Izabel Goulart e Alessandra Ambrosio, além da alemã Heidi Klum, da inglesa Naomi Campbell e muitas outras. Mas tudo isso está perto do fim.

Em entrevista para o jornal Daily Telegraph da Austrália, a modelo Shanina Shaik - que desfilou para a marca cinco vezes desde 2011 - disse que o projeto não irá acontecer em 2019. 

Isso condiz com um comunicado interno, enviado pela L Brands, empresa dona da Victoria’s Secret, em maio. No aviso, estava anunciado que as coisas iriam mudar - e que o show não seria televisionado. Mas não deixava claro que seria cancelado.

O fim, se confirmado, tem todo sentido. Afinal, em mundo que cada vez mais celebra a diversidade, o projeto se recusava a mudar - e continuava trazendo apenas modelos com corpos sequíssimos. Sem falar que a edição de 2018 foi altamente polêmica.

Para quem não lembra, Ed Razekdiretor de marketing da L Brands, afirmou que “o desfile é uma fantasia” e que, por isso, mulheres trans não teriam espaço. E mais: também disse que ninguém tinha interesse em modelos plus sizes. 

O público. porém, discorda. A mesma edição teve a menor audiência da história do evento, com 3.2 milhões de telespectadores. Parece muito? Pois, em 2010, ano do pico de audiência, o desfile teve 10,4 milhões de pessoas assistindo, mais que o triplo de 2018.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas