Bahia arranca empate com o Goiás no fim e escapa de voltar ao Z4

e.c. bahia
16.10.2020, 22:00:00
Atualizado: 17.10.2020, 00:47:09
Fessin vibra com o gol marcado nos acréscimos, que garantiu o Bahia fora da zona de rebaixamento (Carlos Costa/Estadão Conteúdo)

Bahia arranca empate com o Goiás no fim e escapa de voltar ao Z4

Fessin marcou aos 49 minutos do segundo tempo e impediu derrota tricolor

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A situação delicada que o Bahia vive no Campeonato Brasileiro se estende a cada rodada. Na noite desta sexta-feira (16), o tricolor empatou por 1x1 com o lanterna Goiás, no estádio da Serrinha, em Goiânia.

Embora o número frio indique frustração, o contexto foi de alívio, pois o gol que impediu a derrota saiu aos 49 minutos do segundo tempo, com Fessin. Antes, Vinícius, aos três minutos da etapa final, havia marcado para o Goiás. 

E mais: esse gol de Fessin deixou o Esquadrão com 16 pontos, suficiente para terminar a 16ª rodada fora da zona de rebaixamento por ter saldo de gols melhor que o Coritiba (-5 a -7). O Bahia é 16º. Já o Goiás, com 10 pontos, continua na última colocação. O esmeraldino tem ainda dois jogos a menos.

O Bahia não vai ter muito tempo para assimilar o desempenho ruim em Goiânia. Na segunda-feira (19), receberá o líder Atlético-MG, às 20h, no estádio de Pituaçu.

O jogo
Precisando pontuar para não terminar a rodada na zona de rebaixamento, o Bahia começou a partida de forma tímida. Errando passes, tinha dificuldade para construir as jogadas de ataque. Do outro lado o Goiás tentava explorar as bolas pelo alto para encontrar o centroavante Rafael Moura na área.

O time da casa quase abriu o placar aos 20 minutos, quando Juninho Capixaba fez uma lambança e entregou nos pés do atacante Vinícius. Na pequena área, ele não conseguiu finalizar bem e perdeu chance incrível.

Em um primeiro tempo com nível técnico fraco, os dois goleiros foram meros espectadores e praticamente não foram incomodados. Já nos minutos finais, o Esquadrão voltou a criar chance para abrir o placar: Daniel descolou um bom passe para Rossi, o atacante cruzou rasteiro e Clayson não conseguiu chegar, mas a bola sobrou para Nino. Livre, o lateral mandou para fora.

Gols e expulsões
Apesar do fraco primeiro tempo, os dois times voltaram para a segunda etapa com os mesmos times. O que mudou mesmo foi a postura do Goiás, que partiu para o ataque. E não demorou para o gol sair.

Com apenas três minutos, Shaylon escapou pela esquerda e cruzou rasteiro para Vinícius Lopes, que estava sem marcação dentro da área e escorou para o fundo das redes.

A vantagem fez o Goiás entregar a bola ao Bahia e se fechar ainda mais para tentar o contra-ataque. Mas, apesar da posse de bola, o tricolor seguia inofensivo na frente. Quando Gilberto deixou Elias em boa condição, o volante chutou prensado e a bola subiu.

Mano então colocou Élber e Saldanha nas vagas de Clayson e Gilberto, respectivamente. Mas foi Elias quem teve outra boa chance. O volante recebeu cruzamento na área. Livre de marcação ele dominou e, de frente para o goleiro, mandou por cima.

A bola do empate teimava a se oferecer para Elias.Aos 22 minutos, Élber cruzou da esquerda e o camisa 5 recebeu sozinho na grande área, mas cabeceou pra fora.

A situação do Bahia ficou ainda pior aos 33 minutos. Após pedir falta no ataque, Élber recebeu o cartão vermelho direto por reclamação e deixou o time com um a menos. Antes, Rossi também havia sido expulso, mas ele já tinha acabado de ser substituído e não fez diferença numérica em campo.

Aos 44 minutos, o árbitro de vídeo entrou em ação para revisar um possível pênalti de Salazar em Fessin. O juiz de campo, no entanto, entendeu que o lance foi normal e mandou o jogo seguir após conferir no monitor. 

A pressão no ataque e os dez minutos de acréscimos dados pelo árbitro surtiram efeito. Aos 49 minutos, Fessin arriscou de fora da área e acertou um belo chute de canhota que o goleiro Tadeu se esticou todo e ainda tocou na bola, mas não o suficiente para evitar o empate do Bahia.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas